10 mitos do skincare para conhecer e afinar sua jornada da pele

Toda olheira é igual? Lavar o rosto só com água fria? Vem descobrir estes e outros mitos do skincare e afine ainda mais sua jornada da pele!

mitos do skincare

Cuidar da nossa pele é uma jornada para a vida toda: com o passar do tempo, vamos crescendo nesse relacionamento incrível com a nossa pele como vamos acumulando informações valiosas para cuidar dela e mantê-la sempre saudável. Mas é importante ter cuidado, viu? Há muitos mitos do skincare rolando por aí que podem prejudicar seus cuidados com a pele.

Aqui nós listamos dez para você aprender, decorar e afinar ainda mais sua rotina de skincare.

1- Não precisa usar protetor solar em casa ou em dias nublados

A gente começa por um dos mitos do skincare importantíssimos de serem derrubado: não importa a estação do ano, o clima ou mesmo se você está dentro de casa. É que enquanto a radiação UVB está presente em maior intensidade nos raios solares entre 10h e 16h, a radiação UVA está presente nos raios solares o dia inteiro, não importa se está sol ou nublado: "Ela ultrapassa vidros de janelas e consegue estar presente mesmo com o clima frio e/ou nublado. Digamos que ela consegue ultrapassar todos esses obstáculos", explica Dra. Monalisa Nunes, dermatologista consultora da Sallve. "A radiação UVA penetra mais na pele e também está associada ao câncer de pele, além de ser a radiação que causa o envelhecimento precoce da pele", complementa.

2- Quem tem pele negra não pode usar ácidos

Dra. Monalisa aponta este como mais um mito do skincare: "Todos os ácidos podem ser usados na pele negra. O que muda é a concentração e a indicação para o tipo de pele - se ela é oleosa, mista, seca ou sensível.

+ Mito ou verdade: a pele negra precisa de menos cuidados?

3- Quanto mais produtos, mais completa a sua rotina de skincare

Lembra que a gente já te ensinou por aqui quais são as três etapas essenciais de qualquer rotina de skincare? Para Dra. Monalisa Nunes, limpar, hidratar e proteger são o chão de qualquer rotina de cuidados com a pele. Se você vai evoluir essas etapas em muitos ou poucos passos, não importa. E não, mais passos não significa uma rotina mais completa: "É muito mais importante ter produtos chave que são adequados para o seu tipo de pele e que sejam compatíveis na atuação, e nunca esquecer que nenhuma rotina faz sentido, não importa quantos produtos ela tenha, se não houver fórmulas de limpeza, hidratação e proteção solar".

Aproveitando o gancho, ela reforça que tão importante quanto os produtos que você vai usar é manter sua consistência de uso: "Se você tem dificuldade de manter uma rotina maior, é melhor você enxugar essa rotina e voltar para os passos fundamentais, de limpezahidratação e proteção solar. Você vai ter mais resultados fazendo apenas esses passos com consistência do que se usar muitos produtos poderosos, como um antioxidante ou um renovador sem consistência", ensina, sublinhando que "não adianta usar o melhor skincare sem consistência".

3- Todo ácido é renovador celular ou pode irritar a pele

Nem sempre, viu? O ácido ascórbico (vitamina C), por exemplo, é um antioxidante. Já o ácido hialurônico é um hidratante. O ácido tranexâmico, uma das grandes estrelas do skincare no último ano e estrela da fórmula do nosso Sérum Uniformizador, também não promove a esfoliação química da pele: "Ele é extremamente seguro e não traz reações adversas mais fortes para a pele, como vermelhidão, irritação ou ardência. O ácido tranexâmico age em diversos momentos do processo de formação da mancha da pele, e é um ingrediente relativamente novo. A gente usava outros ativos no passado que poderiam até despigmentar manchas, mas tinham efeitos colaterais indesejados para a pele. Não é o caso do ácido tranexâmico", afirma Antônio Carlos Vanzo, Chief Scientific Officer da Sallve

+ ABC dos ácidos nos cosméticos: um guia completo

4- A pele pode se acostumar aos cosméticos

Você já deve ter ouvido por aí que sua pele pode se acostumar aos cosméticos que você passa nela, e que por isso, depois de um tempo, eles param de fazer efeito. Mas é isso mesmo? Dra Monalisa Nunes afirma que "no geral, isso é um dos mitos do skincare". A dermatologista explica que "muitas vezes a pele tem a necessidade da ação de um ativo ou, por exemplo, por hidratação.

+ 5 mitos ou verdades sobre ácido hialurônico

Pense aí em uma pele desidratada, que era lavada com um sabonete corporal (ou com ingredientes mais agressivos), que não seguia uma rotina com hidratação, ou somente com uma hidratação ocasional, e que estava com aspecto seco, desidratada. O que acontece quando essa pele ganha os cuidados de uma rotina diária é que ela muda de estado - que diferente do tipo de pele, e pode ser temporário. "Quando você fornece esse ativo e cuida da sua pele, dando a ela o que ela precisa, ela vai entrar em equilíbrio com o uso contínuo". Por isso, depois de passada aquela fase inicial, de uma mudança muito visível, você pode sentir sua pele mais estabilizada: É só uma sensação de que a pele se acostuma, mas não é o caso. Sua pele está apenas equilibrada", explica Dra. Monalisa.

5- Cravos são bichinhos vivendo na nossa pele? 

Não, viu? Cravos são o resultado do acúmulo de sebo dentro dos folículos (poros). Isso dito, existem algumas bactérias e ácaros que gostam de lugares exatamente assim: com gordura e sem contato com ar. Um exemplo de ácaro que gosta desse ambiente é o Demodex folliculorum, que pode ser encontrado também em outros poros da pele. Sua presença nos poros entupidos, por sua vez, podem acabar ajudando em uma infecção, o que pode gerar uma espinha, por exemplo. 

6- Lavar o rosto: só com água fria

A gente já conversou por aqui sobre o quanto a água quente pode prejudicar a sua pele, mas não tem jeito: especialmente no inverno, é difícil encarar a água fria, né? Mas não é obrigatório lavar o rosto com água fria nem gelada - este é mais um dos mitos do skincare: "A nossa pele é composta por camadas de células. A camada mais externa dela possui água, gordura e células. É claro que a água muito quente irá retirar a gordura que ajuda a manter a hidratação natural da pele, porém a água morna não. Então você pode sim lavar o rosto com água morna, ou fria se preferir - mas a água fria não é obrigatória", explica Dra. Camila Rosa.

7- A água que bebemos vai direto para a nossa pele e a hidrata

Quando se fala na saúde da pele e sua hidratação, é muito comum ouvir que beber água interfere diretamente neste quadro. Mas Dra. Camila Rosa explica que embora muito se fale sobre isso, a água que ingerimos não vai diretamente para a nossa pele - este é mais um dos mitos do skincare.

"A hidratação da pele acontece pela água que chega na derme através do sangue e também pela água que fica retida na camada mais externas da pele. Beber água é essencial para regular as funções do organismo, e para a hidratação dos nossos orgãos e tecidos, mas ela não vai diretamente para a pele quando você a ingere. Você precisa manter sua pele hidratada de outras formas. É verdade que se você não estiver hidratada com água, sua pele não vai ficar com viço, mas não há uma relação direta entre os dois. Isso tem mais relação com a hidratação pela água que existe fora da pele, não a que eu bebo".

8- É melhor não cuidar das espinhas e deixá-las sumirem sozinhas

Há mitos do skincare de sobra sobre a acne, e que podem deixar marcas na sua pele para o resto da vida. É o caso da ideia de que não é preciso tratar uma espinha, já que uma hora ela vai embora sozinha. Tratar da sua espinha é questão de saúde, não de estética.

"Na maioria dos casos, uma espinha não é um caso grave", já nos contou a dermatologista Dra. Juliana Piquet. "Mas a gente tem que pensar sim no problema a longo prazo, como você desenvolver uma cicatriz. Quanto mais tarde você tratar dela, mais complicado é", diz a dermatologista. "Dá muito mais trabalho e custa muito mais caro".

Cicatrizes de acne: fazendo as pazes

Dra. Juliana alertou também para ficarmos sempre de olho com lesões maiores em regiões específicas do rosto: "Especialmente no rosto, dependendo do ponto, há uma comunicação com os seios da face ou contato com meninge, por exemplo, e isso pode acarretar um quadro de infecção à distância. "Especialmente perto do nariz e entre as sobrancelhas", especifica a dermatologista. "Teoricamente, porém, isso pode acabar acontecendo em qualquer área, dependendo da progressão do caso, que pode levar a pneumonia, meningite e até septicepmia".

Mas não precisa ficar apavorado: Dra. Juliana deixa claro que estes não são eventos comuns - na verdade, são bem raros -, mas é importante sempre sabermos do risco que uma espinha não tratada tem - e que vai bem além das cicatrizes de acne que podem perdurar pelo resto da vida.

9- A pele repuxando depois de lavar o rosto é sinal de uma limpeza bem sucedida

Esse é um dos mitos do skincare mais antigos: sabe aquela ideia de que só quando sua pele estiver repuxando, bem ressecada, ela vai estar limpa? Pois a pele repuxando depois de lavar o rosto é justamente o oposto do sucesso: essa sensação nada mais é do que um sintoma de que a barreira protetora da sua pele foi afetada:  “Isso é sinal de que a pessoa precisa hidratar melhor a pele para refazer essa barreira de proteção”, dá a dica Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

+ Cuidado com a pele repuxando depois de esfoliar!

Julia Petit faz coro: "Essa sensação de pele hiper seca e repuxando, pra muita gente, é 'ufa, consegui tirar toda a umidade e oleosidade'. Não é verdade. Você está estragando sua pele, sensibilizando sua pele", ela já contou por aqui. "Se você sente sua pele seca demais e repuxando, pode ter certeza absoluta que ela vai piorar no dia seguinte. E se você tem esse efeito depois de aplicar um cosmético - não importa qual seja, está errado".

10- Olheiras são sinal de cansaço e são sempre tratadas da mesma forma

É bastante comum ligar, automaticamente, olheiras ao cansaço, mas nem sempre esse é o caso. Você sabia que há quatro tipos de olheiras? A olheira pigmentar é causada pelo excesso de melanina na pele, e é comum em algumas etnias específicas, como árabes, turcos ou indianos. Já a olheira estrutural surge por conta da anatomia óssea do rosto. A olheira mista vem em seguida, e é aquela que mistura mais tipos - entre eles, sim, a olheira vascular, a tal "olheira de cansaço", e que é causada pelo aumento de vascularização ou congestão dos vasos sanguíneos na região dos olhos.

Aqui na Sallve, para as olheiras de cansaço, seu aliado é o Antioxidante Hidratante. Já para as olheiras pigmentares, quem entra é o Sérum Uniformizador. Já para procedimentos dermatológicos, é importante conversar com seu dermatologista. É ele que vai determinar qual é o tipo da sua olheira e o tratamento indicado para ela.

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!