#jornadadapele: Aniela Niehues

Essa catarinense tem uma história cheia de afeto com a Sallve

Foi na Turnê Sallve que passou por Santa Catarina que a Aniela Niehues, natural do Oeste do estado e moradora de Florianópolis, começou a contar um pouquinho de sua história de afeto com a Sallve e como cuidar da própria pele ajudou em um processo de recuperar sua autoestima. Por isso, hoje é dia de conhecer um pouquinho mais essa integrante da nossa comunidade.

A estudante, que sonha cursar Design de Moda ou de Interiores, diz logo de cara que é pisciana e faz jus às características do signo. Defende com paixão as causas em que acredita, como o vegetarianismo/veganismo, além de questões sociais e o amor pelo meio ambiente.

Aniela Niehues

Aniela e a pele

A relação da Aniela com a própria pele se intensificou em 2019, mas antes disso ela já se observava. A convivência nem sempre foi amorosa, ainda mais na adolescência. “Só de um ano e meio para cá que eu comecei a ter esse cuidado. Antes disso, com uns 15 anos, fazia umas loucuras que achava no Google. Coisas duvidosas para passar na cara, tipo pasta de dente. Era terrível e eu achava que estava arrasando. Pesquisava também como ser tal celebridade, o que ela fazia para ficar com o rosto bonito. Tinha esse desejo de ser essa outra pessoa e não de me aceitar”, contou.

+ Que expectativa é essa que criamos para nossas peles?

Um ano e meio atrás, Aniela Niehues sofreu um grave acidente de carro e sobreviveu. Ela teve um traumatismo craniano e precisou passar por uma cirurgia no rosto: uma reconstrução no globo ocular da face. “Minha cicatriz, embaixo do olho esquerdo, ficava bem inchada e a olheira muito mais escura. Não demorou para que aquela marca virasse motivo para eu me deprimir mais ainda e jogar minha autoestima no fundo do poço”, explicou.

“Fazia o possível para não sair da minha casa e evitava ao máximo o contato com outras pessoas. Foram momentos extremamente difíceis. Não me reconhecia e não aceitava o fato de ter que conviver e lidar todos os dias com a marca do dia mais traumático da minha vida”, emendou.

+ Por que se tornou normal sermos tão violentas com nós mesmas?

A estudante disse que chegou a pensar em fazer uma cirurgia plástica e consultar também um dermatologista na época, porém decidiu investir em um tratamento psicológico, o que a ajudou muito. “A terapia me ajudou muito. Não posso deixar de falar disso, porque para mim é uma coisa importantíssima e todo mundo deveria fazer.”

O match com a Sallve

Para sair de casa, a Aniela usava bastante maquiagem, o que causou um desequilíbrio. “Logo observei que a maquiagem não estava trazendo benefício nenhum, além de simplesmente mascarar a marca. Foi também o momento em que tive mais acne. Decidi então que investiria em skincare. Depois de muita pesquisa, encontrei o Antioxidante Hidratante, que prometia uniformizar o tom da pele, desinchar, melhorar as olheiras e um combo de coisas boas. Pesquisei muito sobre a marca antes de compra”, contou. O match foi perfeito: “No começo, ali nas primeiras duas semanas, eu fiquei um pouco frustrada, porque não percebi tanta diferença, tinha as minhas expectativas”, explicou.

+ A ligação comprovada entre skincare e saúde mental

Foi aí que ela fez um comentário no nosso site, foi respondida e notou que precisava dar um pouquinho mais de tempo para sua pele. Cerca de duas semanas depois, Aniela começou a notar diferenças, principalmente, na textura da pele: “Ele me ajudou muito a desinchar a área da cicatriz e uniformizar minha pele, porque no olho que eu tinha a cicatriz, minha olheira ficava mais escura. Não era nem uma olheira, era uma marca. E o Antioxidante Hidratante me ajudou com isso.”

“Digo que a Sallve me ajudou na questão de autoestima e na reconexão comigo mesma. Antes, eu via as propagandas das linhas de cosméticos reforçando a pele perfeita, que ia tirar toda a cicatriz, todas as manchas. A Sallve, pelo blog, reforçou muito que não, que o skincare é além disso, que é além dessa ficção pelo perfeccionismo. Quebrou esse padrão para mim de ter que mudar de rosto ou mudar de pele para ser eu mesma”

Aniela Niehues

A catarinense afirmou ainda fez questão de reforçar o quanto o skincare mudou tudo. “A minha questão com a autoestima era complicada, por causa do acidente. Eu acordava de manhã e não queria me olhar no espelho. De manhã, o olho fica mais inchado. Eu evitava sair de casa por causa das perguntas sobre a cicatriz ou o motivo do meu olho ser mais escuro de um lado. Essas coisas me deixavam deprimida. E esse interesse pelo skincare mudou muito, muito, muito a minha relação comigo.”

Aniela Niehues

Rotina de skincare? Vegana, por favor!

Lembra que te contamos que a Aniela defende com paixão as questões ligadas ao vegetarianismo/veganismo? Pois bem: isso reflete muito suas escolhas quando o assunto é escolher produtos para sua rotina de skincare. Atualmente, boa parte dela é Sallve, que é vegana e cruelty free.

+ Como o Antioxidante Hidratante age em cada tipo de pele?

“A minha rotina de skincare é bem básica. Acordo, limpo o rosto com o Limpador Facial, depois eu coloco o Antioxidante Hidratante nos olhos, passo o Sérum Antiacne quando tenho acne e o Hidratante Firmador, terminando com um protetor solar vegano e cruelty free. Duas vezes por semana faço esfoliação ou uma máscara - aliás, gosto muito das duas máscaras da Sallve. À noite faço o mesmo processo, só não coloco o protetor solar. Hidratante Labial sempre que possível. Tenho um em cada bolsa”, conta, rindo.

A Aniela é uma grande admiradora das fórmulas e procura saber detalhes sobre os ativos. “Eu me importo bastante com as fórmulas, como os produtos são produzidos. Gosto de ter certeza do que eu estou colocando na minha pele. Como esse produto chegou até a mim, por quais mãos ele passou. Meu interesse começou junto com o vegetarianismo, fui tendo mais conhecimento dos outros problemas, como por exemplo os testes que são uma crueldade sem fim. Tenho essa reflexão. Não preciso causar crueldade nenhuma para poder me sentir bem. Existem outras formas”, afirmou.

Aniela Niehues

Ela também é fã de transparência: “É superinteressante e importante ter a total transparência sobre os ingredientes, onde são encontrados, para a gente começar a ter essa consciência geral. Tem muita marca que super produz e apenas por lucro, não é algo que eu compactuo e tenho interesse. Acho superinteressante ver ingredientes que a gente conhece, como o extrato de moringa. Achei super legal! A taurina, a cafeína, aloe vera...”, disse.

+ Taurina, phytoesqualano, vitamina E...extração de origem animal? Nada disso!

“O que é importante pra mim na hora de escolher produtos é a marca ter essa posição consciente, ser vegana, cruelty free. Ter esse interesse em redução de impactos socioambientais, ter preocupação com embalagens ecológicas. É justamente ter posição consciente e incentivar isso”, afirmou.

“Eu procuro marcas que enaltecem e incentivam peles reais, trabalhando com a inclusão de todos os tipos de pele. Seja com cicatrizes, mancha, sardas. Acho importantíssimo ter essa inclusão. E ser uma marca acessível, o que eu acho que a Sallve já é, por ser online."

Aniela Niehues

Por fim, Aniela provou que é do bonde da comunidade e fez aquele apelo especial: vem, protetor solar! “Eu sinto confiança comprando a Sallve. Tanto é que uma das únicas marcas que eu compro cosméticos para pele. Só falta a marca lançar o protetor solar agora. Meu coração está quentinho esperando por esse momento, para eu usar só os produtos da Sallve, exclusivamente”, finalizou.

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading