Banho no meio da tarde: uma bem-vinda pausa no home office

Seria o banho no meio da tarde um equivalente a tomar um cafezinho em tempos normais?

banho no meio da tarde

Você ainda se lembra de como eram seus dias antes da pandemia? Não parece outra dimensão? A gente já reclamava do trabalho transbordando pela nossa vida pessoal graças a aplicativos como o Whatsapp apitando noite e dia no nosso celular, mas atualmente essa linha parece cada vez mais tênue. Se a gente trabalha literalmente onde a gente acorda, come e dorme, onde é que a gente vive mesmo?

Talvez por isso cada um de nós tem buscado novos rituais que funcionem mais ou menos como riscar o chão e traçar alguns limites - limites estes que não são mais apagar a luz bater a porta do escritório, ou fazer uma pausa para o almoço no restaurante ali na esquina. Pausas são importantes ao longo do dia: é quando nosso cérebro respira, areja. Até as ideias fluem melhor quando você volta para frente da tela. A pergunta, porém, permanece: como a gente faz essas pausas se sair se tornou algo que requer muita reflexão e cuidado?

+ A pandemia e a invasão domiciliar

Que tal um banho no meio da tarde?

Pois nem precisa ir muito longe para tentar um deles: que tal um banho no meio da tarde? "É um jeito de se desligar e não mudar para outra tela", diz Jessica Gomes, diretora de criação da Sallve, sobre a pausa para o banho no meio da tarde: "A ideia surgiu quando eu e um grupo de amigas estávamos conversando sobre pandemia e como a sensação de exaustão vai escalonando pelo número de calls que a gente faz durante o dia. E também pelo fato de parecer que você não tem mais controle sobre sua rotina, sua vida, por mais que você esteja em casa".

Jessica viu nesse ritual de tomar um banho bem no meio da tarde a oportunidade perfeita de tirar um tempo para ela que não fosse sinônimo de ficar no celular: "Então eu vou para o banho. Eu não necessariamente desligo a cabeça - até porque é difícil, mas eu vou organizando a cabeça e os pensamentos e até tendo mais clareza", conta. "Não é 'Ah, vou desligar um pouquinho e ver TV'. E também não vou ficar lendo livro porque, sinceramente, está difícil manter o foco. Então o banho é esse lugar que ajuda a dar uma reenergizada no corpo, é aquela pausa obrigatória pra mim".

+ Hábitos de beleza em plena pandemia: o que mudou?

Mylena Lima, nossa community manager, também é adepta do banho no meio da tarde. Para ela, o hábito surgiu de repente, quando começou a reparar que se sentia exausta, desligada e sem foco no meio da tarde com frequência: "A primeira coisa que fiz foi tentar dar uma pausa, lavar uma louça, acariciar minhas gatas e sair um pouco da frente do computador", lembra. "Até que um dia essa exaustão bateu muito forte e eu sabia que só um banho podia curar. Depois virou quase que um hábito".

Para Mylena, a pausa dá espaço até para ter novas ideias, mas mais ainda, ajuda a pausar um pouco o dia nas telas e focar no momento presente: "Tomar um banho no meio da tarde me ajuda muito ter um momento assim. Quando podíamos sair ou trabalhar no escritório, existiam pausas muito espontâneas durante o dia, desde tomar um café fora ou até virar pra um amigo do lado e conversar - coisas comuns que hoje não são mais possíveis devido ao home office e à pandemia. Então esse momento de quebrar um pouco a rotina no meio da tarde traz uma sensação de mais controle e de paz também. Assim a gente consegue voltar pro trabalho mais leve e focada".

+ Acne adulta na pandemia: não é só você que está sofrendo!

Julia Prado, brand designer da Sallve, também equipara a pausa para um banho no meio da tarde com esses momentos de pausa tão espontâneos e naturais durante o dia de trabalho que às vezes a gente nem os notava como tal: "A primeira vez rolou foi porque acordei atrasada e não deu tempo de tomar de manhã", ela brinca. "Aí quando tive um tempinho entre reuniões fui tomar meu banho e achei o máximo! É ótimo naqueles dias que você não está legal, está meio borocoxô. Eu uso esse momento para desligar mesmo, dar uma revigorada e arejada. Acho que um banho no meio da tarde me ajuda a levantar e circular um pouco. Para mim é o equivalente ao tomar um cafezinho em tempos normais".

Banho = boas ideias

Por mais que a gente desligue a cabeça na hora do banho, não é raro termos boas ideias debaixo do chuveiro, mesmo que involuntariamente - o que a ciência, aliás, explica: após conduzir um estudo sobre o tema, o psicólogo John Kounios, diretor do programa de Ciências Cognitivas e do Cérebro da Universidade Drexel, nos Estados Unidos reuniu dois fatores que explicam porque o nosso chuveiro pode ser o ninho de boas ideias.

O primeiro deles é a restrição sensorial. Segundo Kounios, nossos sentidos não estão aguçados enquanto estamos debaixo do chuveiro: é quando fechamos os olhos, enquanto os ruídos são abafados pelo som da água que cai e a sensação de toque é diminuída porque geralmente a temperatura da água é a mesma do nosso corpo.

"O que acontece no momento do banho é que os sentidos, em vez de serem focados para o exterior, estão voltados para o interior. E se você está atento a seu redor, não consegue se concentrar em seus próprios pensamentos", explicou Kounios em entrevista à BBC.

Ele disse ainda que tudo isso replica o estado de pouco antes de uma ideia genial nos vir à mente. Estudos de laboratório demonstram que nos segundos que antecedem uma ideia, nos tornamos menos conscientes do que acontece ao nosso redor, e isso acontece porque o córtex visual se desliga ligeiramente (o córtex visual é o responsável pelos estímulos que nos chegam através da visão)

O segundo fator que favorece essas ideias brilhantes debaixo do chuveiro é mais simples: quando tomamos banho, ficamos mais relaxados. "Quando está relaxado e de bom humor, você se permite a pensar ambiciosamente ou até ter ideias um pouco malucas", afirmou o psicólogo. E não seriam nossas ideias mais malucas as mais geniais e divertidas?

Em meio a tantos estímulos o dia inteiro, não é tentadora a ideia de se desligar de todos eles? Liga o chuveiro, deixa o celular na sala e relaxa: sua mente vai te agradecer o respiro.

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading