E as pessoas ficaram em casa

É hora de respirar, manter a calma, lavar as mãos contando até 40, e esperar. Respira. É hora de ficar em casa. #cuidesecuide

Danielle Macinne / Unsplash

Ontem abri o meu facebook e dei de cara com uma citação que nos conforta e nos aquece muito nesse período de isolamento. Essa fase inicial da reclusão que o Brasil está afrontando é a mais pesada. É quando a cabeça começa a borbulhar e a gente se faz mil problemas. Como fica o salário? A conta que eu tenho que pagar? Os impostos que preciso recolher?

Gente, calma. Respira.

É um período de crise, é fato. Não é você que está em dificuldade, é o mundo todo. Não é você que vai atrasar o pagamento de uma conta, é o mundo todo. Em alguns países, as parcelas de empréstimos bancários foram adiadas e os aluguéis são cobrados parcialmente. E isso é o mínimo que temos que esperar para as próximas semanas.

Quem vive na bolha que pode se permitir o luxo de ter diarista, se espera, na medida do possível, que o trabalho seja remunerado mesmo não tendo sido executado. Porque essas pessoas que muitas vezes trabalham sem uma carteira assinada são as que mais vão sentir essa crise. Esse valor que você tá habituado a pagar semanalmente (mas que pode não achar justo ter que pagar quando é você quem vai limpar a casa) é o que vai depender se ela vai ter feijão e arroz para servir à mesa.

Escrevo da Itália, da região foco da contaminação nesses dias. Essa é a quarta semana que estamos isolados em casa. Tivemos a primeira semana com a cabeça fervendo, perdemos o sono, adiamos os sonhos.

Aos poucos, tudo fica muito mais lúcido. As pessoas se unem, mesmo à distância. Existe uma rede de apoio (vamos falar disso na semana que vem - em como você pode, com um simples gesto, fazer tanto à outras pessoas), existe a união mesmo cada um dentro de sua casa.

As semanas se passam. Aquele monstro que habitou as nossas cacholas nos primeiros dias vai se acalmando. Vai diminuindo. Mas está sempre ali presente, afinal, não é hora de baixar a guarda. É hora de respirar, manter a calma, lavar as mãos contando até 40. E esperar.

Você se dá conta que mesmo não sendo um dos heróis de trincheira que arriscam às suas vidas combatendo o vírus - seja nos laboratórios, nas consultas médicas, na limpeza de hospitais, nas fábricas que não podem parar a produção de máscaras, álcool gel, maquinários respiradores, ou nos caixas de supermercados... Você também é um herói. Porque ficando em casa você está evitando a propagação do vírus.

E as pessoas ficaram em casa.
E leram livros, ouviram, descansaram, se exercitaram, fizeram arte, jogaram jogos, aprenderam novas maneiras de existirem e ficaram paradas.
E então ouviram mais profundamente.
Alguns meditavam, outros rezavam, já outros dançavam.
Alguns encontraram as suas próprias sombras.
E o povo começou a pensar de maneira diferente.
O povo foi curado.
E, na ausência de pessoas vivendo na ignorância, perigosas, com a mente e o coração fechados, a Terra começou a se curar.
E, quando o perigo passou, as pessoas se uniram novamente, sofreram com as suas perdas, fizeram novas escolhas, sonharam novas imagens e criaram novas maneiras de se viver e curar a terra completamente, como haviam sido curadas.

Kitty O Meara

#cuidesecuide

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading