Entendendo a sensação que o Esfoliante Enzimático deixa na pele

Você ficou com receio de efeito rebote ou pele oleosa após a aplicação do Esfoliante Enzimático? Vem cá, vamos entender essa sensação.

Sabe aquele ditado: "gato escaldado tem medo de água fria?". Quem já travou uma batalha contra o efeito rebote na oleosidade ou quem já usou muito matificante para apagar todo aquele brilho da oleosidade sabe bem que qualquer nova sensação na pele já acende a lâmpada da emergência lampejando dentro da nossa cabeça.

Sei bem porque também vou pisando em ovos a cada novo produto que experimento. Principalmente porque além do medo da oleosidade controlada voltar com tudo, tem outro fator que grita alto nessas horas: fomos acostumados àquela sensação de que pele limpa é pele repuxando. Mas ei, sabia que essa sensação do repuxar na verdade significa que estamos agredindo a nossa cútis? Pois é.

Antes de tudo precisamos aprender a sentir a nossa pele - é aquela história que tanto falamos por aqui no blog da Sallve: aprender a conversar com a nossa pele. Se sentimos que a pele repuxou é porque se trata de uma pele sensibilizada. Quando um esfoliante te dá essa sensação, ele não retirou as peles mortas e não liberou os poros, mas sim, atacou a tua camada de proteção da pele, a barreira cutânea, também chamada de barreira lipídica.

O Esfoliante Enzimático deixa a pele oleosa?

Quem tem esse repertório com a pele oleosa pode ter um receio na primeira vez que usa o esfoliante. E recebemos algumas dúvidas sobre a sensação que o nosso Esfoliante Enzimático deixa na pele.

"Ficou um resíduo levemente oleoso após o enxague".
"Esse resíduo oleoso que fica na pele não prejudica a absorção dos produtos que aplico em seguida?"
"Ele vai deixar a minha pele mais oleosa?"

De antemão, a resposta para as perguntas acima é não.

"A composição do Esfoliante Enzimático foi justamente pensada na questão do 'repuxamento', sensação de ressecamento dos produtos existentes no mercado", explica a nossa equipe de Pesquisa & Desenvolvimento.

Entendendo a sensação

O nosso Esfoliante Enzimático combina três ações (esfoliações enzimática, física e química) e assim remove as células mortas sem agredir a pele; remove progressivamente os cravos; uniformiza a textura e relevo; reduz a aparência dos poros; estimula a renovação da pele; hidrata e repara a pele.

Ele não cria uma película de óleo e não deixa a pele oleosa. O que acontece é que muitas vezes não estamos acostumados com o sensorial de renovação da pele e acabamos não a reconhecendo.

"Esta sensação, que podemos achar que é de 'oleosidade', está ligada a reparação do extrato córneo", explica a nossa equipe de P&D. E garante: "Ela não vai impedir a permeação de ativos". Ao contrário: o esfoliante é essencial para preparar a pele para receber melhor os ativos aplicados em seguida e como já falamos por aqui, é um dos fatores para potencializar a hidratação. Você pode usá-lo até duas vezes por semana, em dias alternados.

Essa sensação vem dos ômegas 6 e 9 que fazem parte da fórmula: são óleos vegetais, entre eles o de abacate (Persea Gratissima Oil). A função dos ômegas 6 e 9 no nosso esfoliante é a de reparar a barreira lipídica da pele e são eles que deixam a sensação de pele macia.

E mesmo depois dessa nossa conversa, se você não se sente confortável com a sensação, a dica é a de usar o Limpador Facial após o enxágue do Esfoliante Enzimático, combinado?

vamos conversar?

mais do blog

Microbioma Cutâneo

Microbioma Cutâneo

Já ouviu falar sobre o microbioma cutâneo? Ele é formado por milhares de bactérias, fungos e vírus que protegem a nossa pele.
Saiba mais

buscar

sua sacola

  • Loading