Pele oleosa: como cuidar, quais produtos usar e o que saber

Como cuidar da sua pele oleosa? Quais são as causas, os ingredientes que vão lhe ajudar a tratar e tudo que você precisa saber sobre ela está aqui!

pele oleosa

A pele oleosa é, sem exagero, uma esmagadora maioria quando se fala de tipos de pele no Brasil. Só para você ter uma ideia, estima-se que 80% dos brasileiros tenham pele oleosa ou mista. Aqui na Sallve, a cada lançamento, a primeira pergunta que recebemos da nossa comunidade (e em maior quantidade também!) é sempre a mesma: "Funciona para pele oleosa?" Sim, você pode achar que só você sofre com a oleosidade excessiva da sua pele, mas você, de fato, não estar sozinho. Mas como cuidar da pele oleosa? Como que a gente controla a produção excessiva de sebo, quais produtos funcionam melhor para ela?

Aqui a gente vai te responder tudo.

Pele oleosa: o que é e quais são suas causas

Não é difícil detectar uma pele oleosa. A Sociedade Brasileira de Dermatologia descreve esse tipo de pele como de aspecto mais brilhante e espesso por conta da produção de sebo maior do que o normal - especialmente na zona T. Por conta disso, a pele oleosa frequentemente tem poros dilatados e vem acompanhada de cravos e espinhas, mas atenção: a acne não é exclusividade desse tipo de pele - até peles secas podem desenvolver a doença.

A oleosidade em excesso que caracteriza a pele oleosa pode ter algumas causas, sendo a principal componentes genéticos: “A genética define se uma pele tem glândulas sebáceas que produzem sebo demais, se é uma pele que tende a produzir mais queratina do que precisa entupindo os poros. Essa predisposição genética é a base para que os fatores ambientais sejam mais agressivos nesse tipo de pele”, explica Dra. Monalisa Nunes, dermatologista consultora da Sallve.

+ Acne: afinal de contas, quais são as causas das espinhas?

A alteração nas taxas de hormônios também podem afetar a oleosidade da pele, assim como fatores externos como o meio ambiente (pense em altas temperaturas, clima úmido), medicamentos e uso excessivo de maquiagens e cosméticos. Uma pele oleosa também pode ser ainda resultado da combinação de alguns desses fatores.

Como cuidar da pele oleosa

A pele oleosa é o tipo de pele que mais inspira mitos, como o de que só quando você consegue retirar todo o óleo da sua pele, você "venceu" o excesso de sebo que ela produz. Na verdade, é o contrário: quanto mais você tirar os óleos produzidos pela sua pele, mais ela vai produzí-los, como forma de defesa - é o famoso efeito rebote. É que quando você retira toda a oleosidade da sua pele, você ataca diretamente sua barreira cutânea, que é como um escudo que protege sua pele de todas as agressões externa.

"É importante que a gente entenda que o sebo é superimportante para a pele. Ele controla a nossa resistência, a penetração de substâncias e vai controlar o microbioma cutâneo, que é o conjunto de de bactérias, fungos e vírus que colonizam a nossa pele e que se mantém saudáveis na presença do sebo de uma maneira adequada. Quando a gente retira demais esse sebo, você vai ter uma tentativa de recuperar essa substância que foi retirada, então é um mecanismo de rebote em que você vai fabricar mais óleo para compensar essa perda. Produtos muito adstringentes aumentam, pelo ressecamento, a penetração de substâncias irritantes e alergênicas, que podem desencadear uma dermatite de contato. Nos dias de inverno isso passa a ser mais importante ainda por conta do banho quente e da umidade relativa do ar mais baixa", já nos ensinou a dermatologista Dra. Marisa Gonzaga.

A palavra de ordem quando se fala em pele oleosa, portanto, é equilíbrio: o objetivo deve ser sempre o controle da oleosidade. E como fazer isso sem ressecar sua pele ou deixá-la repuxando? Optando por fórmulas não comedogênicas (ou seja, que não entopem os poros), recomendadas para a pele oleosa, e jamais deixando de lado os três passos principais de uma rotina de skincare: limpeza, hidratação e proteção.

"A ideia de que a gente deve desengordurar muito a pele, é uma ideia completamente errada. Quanto mais você desengordurar, maior é a chance de você ressecar, desidratar e favorecer o aparecimento de acne".

Dra Marisa Gonzaga da Cunha

Para a pele oleosa, tônicos e esfoliantes também são frequentemente indicados: o tônico por sua ação adstringente e o esfoliante para desentupir poros e evitar o surgimento da acne e controlar a oleosidade.

A importância da hidratação

Um dos maiores mitos sobre a pele oleosa é o de que ela não precisa de hidratação. Mas pele oleosa nem sempre é sinônimo de pele hidratada, viu? "Geralmente na pele oleosa pode ser mais difícil de se sentir a desidratação, mas a perda de viço é o sinal que mais denota uma pele desidratada", explica a dermatologista Dra. Camila Rosa. Outro sinal de pele oleosa desidratada que pode até te confundir? Excesso de oleosidade, consequência do efeito rebote - que é quando você retira toda a oleosidade que sua pele precisa para funcionar de forma saudável e ela a compensa em excesso.

Segundo a dermatologista, o medo do hidratante por quem tem pele oleosa vem de experiências com fórmulas que não são indicadas para esse tipo de pele - seja por seus veículos, textura ou ativos. "Quando não se escolhe o produto adequado você vai acabar tendo mesmo espinhas, aumento dos poros e daí por diante", pondera.

"O hidratante serve para recuperar a barreira cutânea, para deixar uma pele controlada, com todos os seus fatores de hidratação e proteção equilibrados - afinal de contas, nossa pele é uma barreira entre o interno e o externo do nosso organismo, então tudo tem que estar equilibrado. E o hidratante é peça chave para isso", ensina Dra. Camila, que ressalta: a pele precisa ser hidratada todos os dias sim!

Mais um papel importante do hidratante numa rotina de cuidados com a pele oleosa? Ele entra como equilíbrio para a ação de ativos adstringentes.

Os melhores ingredientes para cuidar da pele oleosa

Os ativos que você vai incluir na sua rotina também vão te ajudar a controlar o excesso de produção de sebo, como a niacinamida e o ácido salicílico - esse último ainda promove uma limpeza profunda nos poros, eliminando e evitando a formação de cravos e espinhas.

argila aparece sempre com uma boa aliada nos cuidados com a pele oleosa. O ingrediente, que muitas vezes está presente em máscaras faciais, ajuda a absorver o óleo e matificar a pele, reduzindo o brilho excessivo indesejado. Produtos que contém azulenobarba-timãogengibre e aveia também costumam ter resultados excelentes em peles oleosas.

+ Montando uma rotina de cuidados para sua pele oleosa

Presente na fórmula do nosso Tônico Renovador, o extrato de hamamélis é um excelente adstringente natural por conta dos taninos presentes em sua constituição (eles têm efeito secante!). Além disso, a hamamélis também é conhecida por ter potentes compostos anti-inflamatórios, como o ácido gálico, ajudando a prevenir e reduzir inflamações, além de acalmar a pele.

Quem tem pele oleosa pode usar óleos?

Óleos podem ter fama de proibidões quando se fala em pele oleosa, mas muitos óleos agem justamente ajudando quadros de acne ou poros dilatados sem qualquer efeito comedogênico, como é o caso do óleo de melaleuca presente na fórmula do nosso Sérum Antiacne, e podem ser inseridos sem problemas na rotina de skincare da pele acneica/oleosa.

+ O meu, o seu, o nosso relacionamento com nossa pele oleosa

"Você tem que saber se o óleo que você vai usar é entupidor, antes de mais nada", ensina a Dra. Denise Steiner. "Se você tem um veículo em óleo ou um óleo natural que não provoque o fechamento dos óstios, você pode usá-lo tranquilamente - não é proibido não!", ela afirma. Por isso, procure sempre seu dermatologista antes de inserir um óleo na rotina para saber se ele vai funcionar na sua pele.

Como ter certeza de que a pele é oleosa ou está deixo oleosa?

Existem algumas indicações de que a pele é oleosa: "Muitas vezes você realmente fica na dúvida se os cuidados inadequados é que estão deixando a pele oleosa ou se a pele é realmente oleosa. Aí nós temos que observar outras coisas que são indicativos, como por exemplo o cabelo que também é oleoso", responde Dra. Marisa Gonzaga. Aqui, vale ressaltar a importância desse diagnóstico com um dermatologista.

+ Tipo de pele ou estado de pele? Entenda a diferença

Entendo a oleosidade da sua pele

Para finalizar, um conselho de Julia Petit: "As pessoas confundem a oleosidade natural da pele com pele suja", comenta nossa Julia Petit. "Sim, a sua pele pode estar produzindo muito óleo, mas isso não significa que ela está suja. É tão estranho, é quase como se as pessoas se sentissem sujas com a própria hidratação natural da sua pele".

Julia continua: "É uma tríade. Precisamos fazer as pazes com uma pele hidratada de verdade, com a oleosidade da nossa própria pele e com o clima úmido do nosso país", aponta Julia. E é bem isso, né? A gente mora onde a gente mora, não tem jeito. Precisamos aceitar o clima e aprender a lidar com ele, não travar uma queda de braço. "É um problema de latitude e longitude!", brinca Julia.

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!