Como a poluição pode prejudicar a sua pele?

A gente também te ajuda a entender como se proteger!

Você já deve ter cruzado por aí com algum produto cosmético que diz ser “antipoluição” e promete ajudar na hora de proteger sua pele contra os efeitos dessas partículas que grudam na sua cútis no dia a dia. Sim, é isso mesmo, juntamente com a radiação solar, a poluição deixa a pele mais suscetível aos danos dos radicais livres e é por isso que devemos nos preocupar.

Crédito: Baran Lotfollahi/Unsplash

A poluição nada mais é do que uma mudança ou atividade que degrada o meio ambiente, afetando características físicas, químicas e/ou biológicas. E, sim, além do meio ambiente, também traz danos para nossa pele.

“Essas substâncias que ficam no ar em grandes cidades – monóxido de carbono, sílica, fuligem etc. - acabam acumulando na pele. Elas vão obstruir os poros e dificultar que as células de defesa atuem da melhor forma, sofrendo um processo de regulação um pouco descontrolado. Há um aumento na ‘fabricação’ de radicais livres, devido à presença desses poluentes. A pele pode ficar com um quadro inflamatório maior”, explica a Dra. Fernanda Junqueira, dermatologista.

A especialista alerta também que pacientes que já têm a pele com acne ou rosácea, por exemplo, pode até ter uma piora no quadro inflamatório por conta do acúmulo de partículas de poluição. Por isso, que é importante fazer uma limpeza de todos esses resíduos e usar produtos que impeçam que essas partículas de poluição grudem tanto na pele.

Com a ação dos radicais livres, um fator pode aparecer na jogada: o envelhecimento precoce. “A radiação ultravioleta em parceria com a poluição contribui nesse processo (de envelhecimento). As pessoas que se expõe à poluição e não fazem a limpeza adequada ou não usam nenhum fator de proteção podem apresentar um processo de envelhecimento mais pronunciado. Sinais, poros dilatados, enfim, até mesmo manchas em alguns quadros clínicos”, aponta ainda a médica.

Crédito: Thomas Millot/ Unsplash

E o que fazer?

Bom, acho que a dica número um já ficou bem clara: limpar a pele. “A gente fica com os poluentes na nossa pele. Pra tirar essas partículas, não precisa de muita neurose. Tem gente que usa um monte de produto: tônico, escovinha, etc. Na verdade, a utilização de um excesso de agentes de limpeza acaba piorando a situação, porque você tem uma produção de sebo excessiva, o efeito rebote”, diz a especialista.

“Em muitos casos, claro que isso é um a um, apenas com um sabonete adequado para cada tipo de pele, você consegue retirar a maior parte das partículas de poluição. O ideal é usar de manhã para tirar o sebo acumulado durante a noite e, à noite, para retirar todas as partículas de poluição e também o sebo acumulado durante o dia. Muitas vezes, só o sabonete vai dar conta dessa limpeza, se ele for adequado para o tipo de pele da pessoa”, completa.

Para rotina de skincare ser um sucesso puro, usar um cosmético ou dermocosmético com substâncias antioxidantes é o ideal, além, é claro do amigo de sempre: o protetor solar. “Você pode usar um antioxidante forte ou moderado, como uma vitamina C, adequado para seu tipo de pele. É um combo interessante: limpeza adequada, antioxidante e filtro solar. Com esses três, na maioria dos casos, você já está prevenindo os efeitos da poluição”, explica.

Além disso, uma esfoliação pode ser bem-vinda. “Eventualmente, um paciente que se expõe muito, em locais abertos, centro da cidade, polos industriais, pode fazer uso de uma escovinha, de uma limpeza de pele, um sabonete mais abrasivo, um esfoliante”, sugere.

Crédito: Da Kraplak/Unsplash

Tá, mas e os cosméticos antipoluição?

Cremes, séruns, loções que levam a inscrição antipoluição podem ser amigos, é claro, da rotina de skincare. Eles costumam conter agentes que protegem contra o estresse oxidativo da pele, evitando a destruição do colágeno e combatendo o envelhecimento precoce. Mas, na prática, o que significa ser antipoluição?

“Normalmente, esses produtos têm um material que faz um filme, uma película na pele. É como se você estivesse colocando uma ‘máscara cosmética’, fazendo com que as partículas de poluição não grudem tanto nos poros. Além disso, com a limpeza, essas partículas deslizam mais facilmente, já que ficam impregnadas nessa ‘máscara’, que a gente chama de um filme protetor”, conta a Dra. Fernanda Junqueira.

Para o produto levar esse “nome”, a especialista afirma que ele geralmente tem um polímero que vai fazer ser responsável por fazer essa proteção em filme da pele. “Mesmo fazendo essa proteção em filme, você pode colocar ativos que tem outras ações na pele. Alguns têm vitamina C, ácido ferúlico e, mesmo com o ‘filme’, há penetração desses ativos. São diversos polímeros que podem ser usados, não tem um específico. Cada marca desenvolve o seu ou compra um específico”, conclui.

O importante, como bem aprendemos, é limpar a pele todos os dias, de manhã e a noite, combinado?

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading