Turnê Sallve Pernambuco

A Turnê Sallve chegou no Pernambuco! A nossa conversa com os embaixadores Júlia Lira e João Uchô + convidados, foi uma delícia!

Depois de uma conversa super importante e relevante na nossa parada no Amazonas, a Turnê Sallve seguiu o seu rumo (virtualmente, por enquanto) ao Pernambuco, no nordeste brasileiro.

Os nossos embaixadores são a Júlia Lira (de Caruaru) e o João Uchôa (de Recife).
E a conversa contou também com os convidados de Pernambuco: a Gabi do Carmo (de Águas Doces), o Henrique Falcão (de Recife), a Katharina (de Petrolina), a Vitória Vieira (de Limoeiro), o Yan (de Taquaritinga do Norte) e a Tainah Zooby (de Recife).

Os cuidados no agreste do Pernambuco

A Júlia contou que mora em Caruaru, agreste do Pernambuco e que apesar de a sua cidade estar a apenas duas horas de Recife, sente uma enorme diferença na pele entre as duas cidades. Em Recife, ela sente muito mais o abafado na pele, enquanto que se sente mais confortável no agreste.

"O meu cuidado com a pele começou há cinco anos, quando comecei a ter mais independência, passei a pesquisar mais, a me interessar mais e fui me encontrando no skincare. Criei a hashtag #minhapelepoderosa no meu Instagram pra gente compartilhar as nossas experiências de skincare".

Foi aliás, por conta da sua produção na internet que a Júlia passou a cuidar mais da sua pele. "Quando comecei a gravar vídeos no Youtube eu comecei a sentir a necessidade de limpar a minha pele, porque eu usava muita maquiagem. Foi nesse período que comecei a ter essa rotina de pelo menos limpar a minha pele todos os dias. Passei a testar hidratantes mais levinhos. Nos últimos anos uso anticoncepcional e isso deixou a minha pele um pouquinho mais seca de o que ela é".

+ Pílula anticoncepcional X pele: uma conversa com a Dra Cidinha Ikegiri e Sarah Spadacio

E o que começou quase timidamente, só com a limpeza facial, virou um amor! "Hoje sou viciada em skincare, faço alguns passos, não sou adepta dos 12 passos da rotina coreana mas eu mesclo bastante os produtos no meu dia a dia. Primeiro uso o cleansing oil, depois o sabonete, seguido do tônico e posso usar alguma tratamento com ácido e o hidratante no final, antes de dormir. Vou mesclando, usando máscaras (em textura de gel, creme ou argila)".

+ Limpeza dupla: pra tirar todas as suas dúvidas

Simplificando a rotina no Pernambuco

Enquanto a Júlia entrou no skincare com a limpeza, o João fez o caminho inverso: de muitos produtos à uma rotina mais simples. "Sou um entusiasta de skincare, minha vontade de experimentar surgiu junto com a Sallve. Antes eu era um louco que entrava na farmácia e comprava todos os dermocosméticos da prateleira e depois eu percebi que precisava ter mais cuidado com isso.
A minha jornada da pele foi um pouco tardia, quando era adolescente comecei a ter mais oleosidade e cravinhos e foi quando fui num dermatologista pela primeira vez. Ele me passou uma rotina muito longa e eu acabava desistindo no meio do caminho. Abandonei, não queria mais fazer, porque dentro da minha rotina ela não encaixava".

Como muitos de nós, a rotina de skincare se estabeleceu quando temos a nossa independência financeira. E foi assim com o João também: "trabalhando, eu comecei a me interessar novamente por skincare por influência dos meus amigos. Começou muito com essa coisa do skincare se tornar o assunto dentro da internet, onde todo mundo começava a falar, começavam a surgir vários perfis e todo mundo queria testar um produto novo e dar a sua opinião. Eu comecei a ir na farmácia, comprar vários produtos, testar, achando que eu tava fazendo a coisa certa".

Mas ai veio o equilíbrio para o João. "Hoje a minha rotina é bem reduzida, com três produtos: limpeza, hidratação e proteção. E quando quero me fazer um carinho extra vou adicionando alguns produtos, mas tento fazer tudo muito simples, porque a minha vida é muito corrida e não posso passar duas horas no banheiro me olhando no espelho, não funciona comigo. Skincare também é poder se divertir, experimentar outras coisas, é um momento que a gente pode dividir com outras pessoas, trago os meus amigos aqui pra casa (agora não por causa da pandemia), a gente fazia a noite do skincare e cada um trazia um pouco dos seus produtos".

E não é uma delícia a ideia da noite do skincare? Nós, por aqui, adoramos! E não vemos a hora de podermos colocar essa proposta em prática.

+ Vamos espalhar mais amor em forma de skincare?

Lembra que nas outras paradas da Turnê Sallve no nordeste, a gente ouviu a expressão "tem um sol pra cada pessoa"? No Pernambuco também é assim, viu? "Aqui em Recife, não importa o horário, não importa a estação, é calor. Comecei a ter muita espinha interna e eu tirei todos os produtos de tratamento mais pesado. E entendi, nesse processo, que simplificar a minha rotina é a melhor coisa pra minha pele. Uso o Limpador Facial, o Hidratante Firmador e o Sérum Antiacne todos os dias. E comecei a usar o Tônico Renovador, aliás, uso até no pé, o que descobri no blog da Sallve nesses dias e eu amei essa dica! E proteção solar é indispensável".

Quando chega o fim de semana que eu quero um carinho a mais, começo a experimentar as coisas: uso máscara, uso muito argila e vou testando de acordo a como estou sentindo a minha pele. Se a minha tem acne vou de argila verde, se quero acordar a minha pele, vou de Máscara Antirressaca. E assim eu vou construindo a minha pele, como photoshop, vou criando as minhas camadas e vendo como funciona.

João Uchôa

A sabedoria da pele saudável

A Sallve adverte: se prepare pra amar essa mulher! "Primeiro que eu estou me achando a última bolacha do pacote por estar nesse seleto grupo, porque Julia é referência, né querida?", inicia a Gabi do Carmo, cantora e modelo.
"Eu tava até brincando hoje com umas amigas que eu sou aquela garota skincare desde novinha, nem sabia o que na era na verdade. Eu cuido bastante da minha pele que é acneica, oleosa e fui a adolescente da pele totalmente marcada. O meu lance com a Sallve é porque eu criei essa rotina de cuidado de saúde da pele depois que eu fiz um curso com a Daniele DaMata, de cuidado com a pele negra, de maquiagem. Eu vi um outro universo, porque a realidade da pele negra dentro desse mercado da beleza está mudando agora, é muito recente. Quando ela fez o curso ela falava muito disso e tudo o que ela coloca a mão, eu procuro conhecer e ela esteve junto no início da Sallve".

+ A Sallve é feita de milhares de pessoas

A Gabi levanta um ponto muito interessante: ao auto-conhecimento. "Como estou virando uma moça madura, eu comecei esse cuidado com a pele, essa sabedoria de escolher os melhores produtos, de acreditar que a pele tem uma saúde. Já passei mil ácidos, tomei Roacutan e nada parou a minha pele. Então eu fui entender a composição do corpo, minha questão hormonal, fui entender a minha realidade do biotipo da mulher negra. Fui compreendendo tudo isso pra chegar nesse momento de ser uma mulher ativista nesse ponto".

"Eu tenho uma deusa, eu nasci dela. Ela é a minha referência de beleza, a minha mãe. Eu sempre fui aquela pessoa do: depois eu cuido, sabe? Eu comecei esse cuidado com a construção da beleza quando entrei no mercado de trabalho. Minha família tem uma pele bem complicada e minha mãe tem uma pele maravilhosa. Tenho a pele que herdei do meu amado pai, com acne, acne interna - ela tá aqui, não vai embora nunca na vida, já aceitei. Tenho marquinhas de acne. Não tenho mais aquele relevo tão expressivo pelos cuidados. Tenho ovários policísticos e entendo os fatores que fazem com que eu tenha essa pele e aprendo o que vem junto pra somar. Minha mãe é esteticista, comecei a estudar com ela, a entender com ela, estou fazendo formação em terapias alternativas, em aromaterapia. Eu sei o que funciona pra mim, tenho essa sabedoria".

+ Acne da mulher adulta: quais são as causas e como tratar

A minha realidade é a de toda menina preta, gordinha, porque a gente demorou a se reconhecer muito belo. A gente demorou a entender o que era a beleza. Eu fiz um ensaio fotográfico pra uma marca de beleza e eu saí no catálogo. E 'meu Deus', eu tô num catalogo de uma revista nacional. Tem noção pra uma mulher gorda, numa revista nacional, com a pele normal, com cabelinho curto, desse jeitinho, sem mudar nada? Isso a gente não tinha dez anos atrás. Então, nunca que uma menina parecida como eu ia pensar em se cuidar. Porque ela ia dizer: ah, não tem pra mim.

Gabi do Carmo

A otimização da rotina no Pernambuco

A história do Henrique com os cuidados com a pele é muito bonita e mostra um enorme afeto entre mãe e filho: "meu cuidado com a pele começou na adolescência, época refém da oleosidade, com espinhas. Desde então eu me cuido. Eu acho que um cuidado com a gente é uma forma da gente se amar mesmo".

Ele contou que a mãe o orientou a como cuidar, a limpar a pele, a hidratar. "Eu comecei a gostar de cuidados com a pele com a minha mãe. Desde pequeno, lembro dela fazendo faxina com uma máscara no rosto. E ai eu pedia pra ela colocar em mim também".

+ Herança de família: o cuidado de geração em geração

Conhecer a pele da gente é uma construção. Hoje eu posso dizer que eu sei quando o clima vai interferir na minha pele, que o meu humor vai interferir na minha pele e eu consigo adequar a minha rotina.

Henrique Falcão

O negócio do Henrique é otimizar a rotina, com um produto que tenha mais funções - e quem não adora? "Agora é verão, eu dou preferência a utilizar produtos mais fluidos, séruns, coisas mais leves e com mais de uma função. Até porque eu não gosto de sobrecarregar a minha pele, porque aqui no Pernambuco é muito quente. A pele nem chega a observar completamente e eu já estou suando. Eu tenho barba e se dá um errinho, eu transpiro demais e tenho que tirar a barba pra fazer um detox da minha pele pra depois deixar a barba crescer de novo".

O valor da rotina

A história da Katharina pode soar bem familiar a muitas pessoas. A gente se joga numa rotina, vai no médico especialista e quando se dá conta, nem lavou o rosto direito, ou, esqueceu do protetor solar há semana - quem nunca passou por isso? Para alguns, é com o tempo que vem a consciência da importância de uma rotina de cuidados. "Sou uma baiana que mora em Pernambuco. A minha história com o skincare começou com 13 anos de idade, com problemas com acne. Minha mãe sempre falava comigo sobre a acne, sobre me cuidar. Eu ia no dermatologista, começava um tratamento e quando a acne sumia eu parava de me cuidar, porque a minha vida era sempre mais na maquiagem".

Eu não tinha desenvolvido ainda a coisa do amor próprio, de abraçar a negritude e tudo mais. A partir do momento que eu comecei a me conhecer como mulher preta, a apreciar os meus traços, eu decidi que o cuidar de mim era melhor que investir em maquiagem.

Katharina

"Comecei a cuidar mais da minha pele, a descobrir o meu tipo de pele, descobrir receitas caseiras, novos produtos e entrei no vício da rotina coreana. Tenho uns 40 produtos de skincare em casa. Foi realmente nessa descoberta de cuidar da minha pele, de abraçar a melanina, foi quando eu decidi entrar mais a fundo e descobrir o que é bom pra minha pele. É muito difícil conhecer no mercado o que é melhor pra pele preta, o que a gente deveria usar, o que não, o que evita manchas... Foi a partir dai que eu decidi a focar no cuidado com a minha pele", contou a Katharina.

A descoberta

Já a Vitória está na fase da descoberta e se define "meio entusiasta com o skincare".
"Estou me descobrindo agora. Nunca me aprofundei mas sempre fui curiosa. Skincare é muito autocuidado, amor próprio. O meu momento com skincare começou desde sempre, minha mãe sempre teve muito cuidado, bem natureba, sempre passou argila. Mas foi recentemente que eu achei que minha pele era oleosa e minha mãe perguntou: Vitória você está passando hidratante? Respondi que estava usando na zona T e ela me mostrou que minha pele é seca nas laterais e eu comecei a descobrir o que é bom pra minha pele realmente. Acompanho o blog da Sallve e vi que é necessário lavar só duas vezes ao dia e estou fazendo isso".

+ Lavar o rosto: 7 erros comuns que você pode cometer e como evitá-los

A marca da primeira espinha

Você lembra da primeira espinha que apareceu no teu rosto? Pois o Yan não só lembra, como pode te apontar a sua cicatriz, acredita? Esse enorme auto-conhecimento o levou a prestar muita atenção na sua pele, que é sempre muito bem hidratada para evitar as rugas do futuro. "Moro em Taquaritinga do Norte, uma cidade do Pernambuco que ninguém conhece", se apresenta o Yan.
"Quando eu era bem criança tinha curiosidade em relação a autocuidado. Sabe aquelas receitas que a gente vai no Youtube e vê: mistura gelatina com leite, põe no nariz e arranca a sua alma? Pois é, fazia isso. Era muito complicado porque sempre tinha o efeito rebote. Na hora tá tudo perfeito e depois de cinco minutos eu tava com a minha cara destruída. Com o tempo fui aprendendo e justamente, aprendi bastante devido a quarentena a a pandemia. Passei a acompanhar diversos portais e venho aprendendo muito desde então.

Gosto de ter um tempo pra mim mesmo, o momento do skincare é sagrado: é um tempo pra gente tomar conta de nós mesmos.

Yan

"Minha pele é mista, em algumas partes é oleosa e em outras é tão seca que quando eu lavo, eu sinto que tá puxando a minha pele, mesmo com um produto gentil.
Tenho as marcas da minha primeira espinha, porque a minha primeira espinha da vida foi na ponta do nariz. E como eu não sabia tratar, fui lá e estourei. Tenho uma cicatriz até hoje. A rotina com a espinha foi meio desesperadora pra mim. Por questão de bullying ou de pessoas que não sabem manter as suas opiniões a si mesmas, acaba que falam sem pensar no que vai causar à pessoa. O que resultou em baixa auto-estima na minha adolescência e infância, inclusive na minha formatura do nono ano, eu estava com uma espinha no meio da testa. E eu comecei a skincare. Mas, skincare pra mim consistia de: sabonete anti-acne no rosto, fim. Resultado: ressecou extremamente a minha pele, que produzia mais óleo pra compensar e ficava horrível".

Foi com a sua curiosidade (e muito bom humor <3) que o Yan começou a se informar e a montar a sua rotina. "Minha família não tem nenhuma vaidade, a gente nunca foi num dermatologista. O que eu sei de skincare, eu aprendi comigo mesmo através de pesquisas. E uma rotina fixa de limpeza, hidratação e proteção, eu só vim a desenvolver recentemente. Pra quem não é de Pernambuco, vamos ensinar uma palavrinha nova aqui: piranguero, é mão de vaca. Eu sou muito piranguero. Não gosto de gastar dinheiro se eu não sei que vai dar resultado.

O Yan contou ainda que a sua vibe bateu com a da Sallve: "eu sou vegetariano, eu prezo por marcas veganas. E a questão da multifuncionalidade dos produtos da Sallve: porque você investe e sabe que você vai ter algo que vai valer a pena.

+ A Sallve é vegana e cruelty-free?

Espalhando rotinas de skincare

Eu me identifiquei muito com a história da Tainah, porque assim como ela, me dei conta que vou espalhando a palavra do skincare. E quando vejo, mãe, marido e se bobear até o cachorro estão com a rotina de cuidados super bem planejadas.
"Desde a minha primeira menstruação aos dez anos tive muita espinhas, já tomei Roacutan e estou na minha segunda vez agora. Desde pequena sou acompanhada por dermatologista, não passo muito tempo sem ir. Sempre fui pra dermato, sempre tentei todos os medicamentos possíveis e imagináveis do mundo. Então, ácido, hidratante, protetor solar, tudo eu usava, desde cedo. Sempre fui muito cuidadosa com a minha pele. Por que? Pelo tão famigerado bulling no colégio, já que as outras crianças não tinham acne e eu tinha".

Trouxe o skincare para casa, hoje as minhas irmãs também usam, meu namorado tem a rotina de skincare, e eu sou viciada. Posso passar duas horas no banheiro. Coloco a minha faixinha e fico lá pleníssima, tanto de manhã quanto de noite. Amo, é o meu momento.

Tainah Zooby

Gostou dessa conversa em Pernambuco? Então fique de olho aqui no blog: semana que vem vamos para a Bahia!

vamos conversar?

mais do blog

Turnê Sallve Bahia

Turnê Sallve Bahia

Alô, alô! A Turnê Sallve desembarcou na Bahia! A conversa contou com os nossos embaixadores Luciellen Assis e o Matheus Araponga e convidados
Saiba mais

buscar

sua sacola

  • Loading