Pele oleosa e ácido hialurônico: essa combinação dá match?

Esse super hidratante costuma se dar bem em todos os tipos de pele

O assunto "ácido hialurônico" dá pano para a manga, como você deve ter percebido. Já falamos sobre como ele age, o que faz pela nossa amada pele, se é bom para olheiras e até se é aliado ou não na hora de suavizar manchas. Porém, não custa nada tirar mais uma dúvida sobre o ativo. E aí, você acha que pele oleosa e ácido hialurônico é uma combinação que dá match? A resposta é sim!

Crédito: Absalom/Pexels

Bom, primeiramente, como já te contamos por aqui, o ácido hialurônico é uma grande molécula de açúcar, produzida naturalmente pelo nosso corpo. É um grande umectante, retendo uma enorme quantidade de água, mantendo nossa pele hidratada e elástica. Porém, a partir dos 25 anos há uma queda na produção.

Daí a importância de repor e estimular a produção do ativo! Ou seja, o ácido hialurônico é bacana para todo tipo de pele, inclusive, costuma ser bem aceito por todas, sem contraindicações. Mesmo assim, grávidas e lactantes devem consultar seus médicos antes de usar, combinado?

Muita gente acredita que a pele oleosa não precisa de hidratação. E isso é um mito! Não é porque sua pele produz sebo excessivamente, que você não precisa nutri-la. Pelo contrário, se a cútis estiver hidratada, o corpo entende que não será necessário produzir tanto óleo.

Todas as peles precisam de hidratação, inclusive as oleosas, e quanto mais mantemos a barreira cutânea, o manto hidrolipídico íntegro, mais saudável é a nossa pele. Além disso, ela fica menos propensa a agressões externas e ao desenvolvimento de doenças.

Crédito: João Victor/Pexels

Portanto, se você é do time #peleoleosa, saiba que o ácido hialurônico pode ser um super amigo. “Produtos com baixo peso molecular podem agir nas camadas mais profundas estimulando a derme, prevenindo linhas e sinais do tempo. Além disso, podem ser usados para equilibrar a pele após o uso de produtos adstringentes ou ácidos que podem ressecar a pele, mesmo as que são oleosas”, alerta ainda a Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

Já falamos sobre alto e baixo peso molecular por aqui, mas, caso você não lembre, o ácido hialurônico pode ter pesos moleculares distintos. Se for de alto peso molecular, acima de 1000 kilodaltons, fica na superfície da pele, absorvendo água do ambiente e retendo-a.  Se for de baixo peso molecular, com até 50 kilodaltons, penetra na camada da pele e estimula a produção natural de ácido hialurônico.

Vale lembrar! Consultar um (a) dermatologista é sempre a opção mais correta e saudável para cuidar da melhor forma possível da sua pele! ;)

Tem alguma dica, dúvida ou sugestão? Fale com a Sallve. A gente adora trocar experiências!

 

vamos conversar?