Por que usar sobrancelhas naturais incomoda tanta gente?

Dia após dia mais gente adere a (mais essa) liberdade

Outro dia, vagando pelas redes sociais, fui impactada por uma notícia que mostrava Kéfera Buchmann - atriz, youtuber, 13 milhões de seguidores no Instagram! – rebatendo alguns seguidores que estavam bastante incomodados com suas sobrancelhas. Que nós, mulheres, somos cobradas (e muito!) a estar dentro de um padrão de beleza estético, não é novidade alguma. E, sim, aparentemente nem deixar sua sobrancelha natural será perdoado!

Kéfera Buchmann (Crédito: Reprodução/Instagram)

Após receber tantas críticas ao longo do tempo, Kéfera resolveu se antecipar e falar sobre o assunto ao postar uma selfie, em que exibia suas sobrancelhas super grossas. “Já sei que os comentários serão: ‘ué, por que você não faz sua sobrancelha?’. Então, já vou explicar aqui na legenda: porque eu AMO ela assim. Não é nem que eu gosto... eu AMO mesmo. Se você gosta de sobrancelha feitinha e desenhada, é só fazer a sua, não é? Eu tô felizona com as minhas taturanas penteadas pra cima. Na minha opinião, quanto mais sobrancelha, melhor!”, disse a atriz.

Estamos em 2020 e cada dia que passa avançamos um tico na escala do empoderamento feminino, da aceitação dos nossos corpos reais (naturais ou não), da nossa liberdade. Portanto, fazer a sobrancelha deve ser uma escolha de cada um e não uma imposição.

Acha que é só com a Kéfera? Que nada! Para não citar Cara Delevingne, a musa das sobrancelhas grossas, vamos falar de outra brasileira: Mariana Goldfarb. A modelo até já se irritou um pouco com as críticas que recebe por não faze-las desenhadas.

Mariana Golfarb (Crédito: Reprodução/Instagram)

"Queria aproveitar para dizer que é tão fácil entrar na página de uma pessoa que você nem conhece e ficar falando um monte de coisa que não leva a nada. Não é porque você, aí do outro lado, não gosta da minha sobrancelha que eu vou fazê-la. Quanto mais crítica eu recebo em relação a isso, mais eu tenho vontade de fazer as coisas que eu gosto de fazer. Vai ser inútil, pode vir falar o quanto quiser”, afirmou no Instagram. E com toda a razão!

Em entrevista, Mariana já disse também que se sente mais livre e “gosta do visual natural”. “Esse foi o jeito que eu encontrei para me sentir melhor, mas não sou contra quem faz e gosta. O importante é se respeitar e respeitar a decisão dos outros!”, disse em conversa com o jornal Extra.

Outra modelo, a grega Sophia Hadjipanteli também desafiou os tribunais das redes sociais e criou até uma campanha #unibrowmovement (#monocelha).
Em sua conta, ela exibe com orgulho sua monocelha. "Eu, pessoalmente, acho que meu rosto fica melhor dessa forma. Outros discordam, mas está tudo certo. Se eu gosto, me deixem gostar", disse Sophia à revista Harper’s Bazaar.

Sophia Hadjipanteli (Crédito: Reprodução/Instagram)

Talvez você esteja achando que isso não passa de uma tendência e, realmente, você pode estar parcialmente certo. Na história, as sobrancelhas assumiram diversas formas, tamanhos e cores. E são responsáveis, sim, por uma grande mudança nos nossos rostos. Nos anos 20, os arcos ultrafinos eram hit. Com o passar do tempo, foram ganhando muito mais importância. Anos 80? A sobrancelha era natural mesmo. Nada de pinça! Com a chegada dos anos 90 e 2000, designs mais finos ainda reinavam, mas não como antes. 

Agora, muita gente ama ter sobrancelhas grossas, porém com todos os fios no lugar, por exemplo. Sem falar da micropigmentação, que é um verdadeiro sucesso. Porém, muita gente também vem cultivando arcos naturais, reais e selvagens, fugindo do padrão alinhadíssimo e deixando de fazê-las religiosamente. E tá tudo bem, sabe? Respeitar o outro é essencial!

Larissa Manoela (Crédito: Reprodução/Instagram)

E não é só o excesso de pelos que incomoda. A falta deles também é motivo de críticas. Larissa Manoela, de apenas 19 anos, sempre recebe alfinetadas e perguntas do motivo de não fazer micropigmentação. "Vocês sabem que uma grande questão na minha vida é a minha sobrancelha, né? Eu realmente não tenho muito, porque é bem clarinha. Meu pai não tem quase nada, minha mãe não tem muito também. [...] Eu realmente não gosto que fique muito marcada. Tudo isso é uma questão que eu sei, não preciso que as pessoas fiquem me dizendo. Realmente gosto assim, entendeu?", emendou.

Eu mesma a-do-ro fazer a sobrancelha. Mas confesso que, de uns tempos para cá, tenho me questionado mais sobre os motivos disso. E, cada vez mais, tenho procurando deixar os fios naturais. Não sinto mais uma cobrança de fazê-las de 15 em 15 dias e tenho deixado deixando-as crescer, indo fazer só quando sinto que é necessário pra mim.

Não tenho vontade nenhuma de fazer micropigmentação, mas acho bacana ver uma amiga feliz porque conseguiu preencher falhas que tanto a incomodavam. Aprendi a gostar da rebeldia de alguns fios e querer cada vez mais que elas fiquem do jeito que devem ser, sem pressão para que tudo esteja sempre perfeitamente no lugar. Na verdade, isso é muito mais amplo, mas é assunto pra outro post...afinal, se aceitar na nossa própria pele pode ser difícil, mas é lindo demais!

 

vamos conversar?

buscar

sua sacola

  • Loading