7 tipos de descanso: como identificar qual o seu corpo precisa

tipos de descanso

Não faz muito tempo que nós conversamos aqui no blog sobre cansaço. Os efeitos do cansaço na nossa pele, o cansaço que a espera traz, como a alimentação pode ajudar a combater o cansaço e até os tipos de cansaço. Mas se existe mais de um tipo de cansaço, será que é certo a gente pensar que a solução para eles é a mesma - dormir? Pois bem, vamos dar um spoiler: dormir e descansar não são a mesma coisa. E quem explicou isso em um TED Talk foi a especialista em medicina interna Saundra Dalton-Smith. Dormir, segundo ela, é apenas um dos sete tipos de descanso que o nosso corpo precisa.

De onde você tira sua energia e os tipos de descanso

Dra. Dalton-Smith vai mais longe e afirma, categoricamente: a falta dos outros seis tipos de descanso têm efeitos sérios no nosso corpo e saúde mental, podendo nos levar à exaustão crônica: "Muitos de nós passamos pela vida achando que estamos descansados porque dormimos, mas na realidade está faltando outros tipos de descanso que realmente precisamos. O resultado é uma cultura de indivíduos altamente produtivos, bem sucedidos mas cronicamente cansados e com burn-out. Estamos sofrendo de um déficit de descanso porque não entendemos o poder real do descanso".

"O descanso é a terapia alternativa mais efetiva, sem química, segura e sub-utilizada disponível para nós"

Dra. Saundra Dalton-Smith

É fácil entender a importância de cada tipo de descanso quando a Dra. Dalton-Smith explica que toda atividade que você faz durante o dia requer energia - e a maioria dessa energia não é meramente física. Como por exemplo, quando seu chefe te chama em sua sala para discutir um problema e você se prepara para um potencial conflito, mesmo que inconscientemente. Ao fazer isso, ela diz, você usa suas energias social e emocional. Ou então quando você está preso no trânsito - aí você usa suas energias sensorial e mental, para processar o ambiente ao seu redor.

+ A humanidade nunca dormiu tão pouco: mas você sabe por que isso é perigoso?

Tudo isso posto, o primeiro passo para realmente descansar é detectar em que você mais gasta energia durante o dia. Depois disso, é só concentrar sua atenção no tipo de descanso que precisa ser restaurado - uma palavrinha que a médica usa sempre.

"Se sua definição de descanso está limitada a dormir ou ficar deitado no sofá maratonando uma temporada inteira de um seriado, você fica vulnerável à exaustão crônica".

Dra. Saundra Dalton-Smith

Ao citar que o ambiente de trabalho é o ambiente que mais suga nossas energias e uma grande fonte de estresse, Dra. Dalton-Smith cita um estudo da Deloitte, que indica a maioria dos trabalhadores não sente paixão por seu emprego. Nesse estudo ainda, metade dos entrevistados apontou seus empregos como a razão por trás de sua insônia. Outro estudo, da Universidade de Stanford, lista o ambiente de trabalho como a quinta maior causa de morte nos Estados Unidos: "Acredito que nossa falta de paixão, nossas noites em claro e nossa imensa exaustão são todos resultado de nossos déficits de descanso incorretos", diz a médica.

+ Como a nossa pele sabe que a gente tá dormindo?

Para identificar qual tipo de descanso seu corpo e mente precisam, o caminho oposto pode ajudar: aprender os tipos de descanso pode te levar a entender qual área você precisa restaurar. Aquela área de descanso que está em déficit. Vamos lá?

Começando pelo mais básico: o descanso físico

O descanso físico inclui dormir ou tirar um bom cochilo à tarde, mas não necessariamente se limita a fechar os olhos e deixar o sono bater - esse, explica a Doutora, é um descanso físico passivo. O descanso físico ativo também é igualmente importante aqui: pode ser uma aula de yoga, uma massagem ou uma sessão de meditação.

O descanso mental

Quem nunca sentiu claramente aquele cansaço mental? Você passa o dia ligado em absolutamente tudo o que tem para fazer e, à noite, tem uma dificuldade enorme de se desligar e relaxar. Mesmo que durma suas protocolares oito horas por noite, não adianta: você acorda no dia seguinte sentindo-se tão cansado que parece que você não dormiu nada. Aqui, o que você precisa é de um momento de silêncio, quietinho.

Para garantir seu descanso mental constante, Dra. Dalton-Smith sugere que você agende, com lembretes no seu telefone, pequenos intervalos ao longo do seu dia do trabalho, a cada duas horas: são essas pequenas pausas que podem te lembrar de parar e desacelerar o suficiente para acalmar sua mente. Lembra do método Pomodoro? Ele também pode ser útil aqui!

+ Vale a pena acordar às 5 da manhã todos os dias?

"Você também pode ter um bloco ao lado da cama para anotar qualquer pensamento que esteja na sua cabeça te impedindo de relaxar e dormir", enumera ainda a Doutora.

O descanso sensorial

Você já pode estar desconfiando, e sim: é aqui que se encaixam todos aqueles estímulos oriundos de telas de computador e celular, sons e ruídos dos mais diversos - do barulho que vem da janela à agenda ao telefone tocando e intermináveis calls no Zoom.

Tudo isso, afirma Dra. Dalton-Smith, pode carregar seus sentidos e levar a um quadro de estresse. E como restaurar seu nível de descanso sensorial? É mais simples do que você imagina: fechar os olhos por um minuto durante o dia, não ligar o rádio no carro, desligar os eletrônicos no final do dia... Aqui na Sallve há quem aposte em um banho no meio da tarde para se desconectar e ter uma bem-vinda pausa de todos esses estímulos, revigorando-se para o resto do dia. "Momentos intencionais de privação sensorial podem começar a contornar os danos de um mundo hiper-estimulante", aponta a médica.

+ Renovando as energias: ensinamento do budismo

O descanso criativo

Esse descanso é especialmente importante para quem trabalha com criação. Sabe aquela primeira vez que você viu algo incrível pela primeira vez, como a paisagem ou um ponto turístico bem cartão-postal, ali na sua frente? Então: Dra. Dalton-Smith afirma que absorver a beleza da natureza - seja um parque, ou uma praia - pode te dar esse descanso criativo ao restaurar essa sensação de surpresa e admiração.

Outra forma de garantir seu descanso criativo pode ser transformar seu cantinho de trabalho em um lugar que te inspira, com imagens que você ama, arte com a qual você se relaciona profundamente, livros que estão ali a mão e imediatamente abrem sua mente. Pode ser até uma cor de parede especial ali. Afinal de contas, trabalhar 40 horas em um ambiente improvisado e sem graça torna muito mais difícil para a mente viajar bem longe e criar.

+ Existir para criar, e não o contrário: o cansaço criativo

O descanso emocional

É impressão ou somos bem íntimos de todos esses tipos de descanso? Pois bem: para exemplificar o descanso emocional, Dra. Dalton-Smith cita aquela pessoa que está sempre disponível, da qual todo mundo depende, que está sempre pronto para fazer um favor para quem quer que seja. Que prefere dizer "um relutante sim a um sincero não", mas que no final do dia acaba se sentido sugado e preterido.

O descanso emocional, nesse caso, é fundamental, e precisa de bastante honestidade, para que a pessoa tenha espaço para expressar o que realmente sente ao invés de se preocupar em agradar os outros constantemente: "O descanso emocional requer coragem de apostar na incerteza de uma reação criada por sua autenticidade. Uma pessoa emocionalmente descansada pode responder à simples pergunta 'Como você está?' com um verdadeiro 'Não, não estou bem?', podendo até se abrir para expressar coisas que normalmente não abordaria.

+ Quando a positividade em excesso pode virar fonte de ansiedade e depressão

Sabe aquele meme que tem corrido as redes sociais sobre a sinceridade de se cancelar uma reunião no Zoom por estar com uma crise de ansiedade? Sermos sinceros sobre como estamos nos sentindo ou mesmo sobre nossas vontades é parte de restaurar nosso descanso emocional.

O descanso social

Geralmente, segundo Dra. Dalton-Smith, a necessidade do descanso emocional vem acompanhada da necessidade do descanso social: esse déficit de descanso social pode acontecer quando a gente tem dificuldade de distinguir as relações que nos cansam das relações que nos revigoram.

É aqui que entra aquele ótimo exercício de procurar se cercar de pessoas que contribuem para o seu bem-estar, que te fazem bem - mesmo que apenas virtualmente, como a pandemia tem nos obrigado. "Crie tempo para estar com as pessoas que não querem nada além de estar com você e elimine aquelas relações que são apenas virtuais. Priorize relações reais - você pode interagir mais com elas ao ligar sua câmera e focando na pessoa com quem você está falando", ensina a Doutora.

+ Trabalhar da cama: perigo ou inspiração?

O descanso espiritual

Por último vem o descanso espiritual. Já ouviu falar nele? Pois é: será que estamos mesmo conectados com todas as necessidades do nosso corpo? O descanso espiritual, como explica Dra. Dalton-Smith, é a habilidade de se conectar com algo que vai além do físico. Seja orações, meditação, envolvimento com sua comunidade e daí por diante. Tudo isso pode te dar um sentindo um profundo senso de pertencimento.

Ela termina seu Ted Talk com um convite à participar da "revolução do descanso", entendendo cada um desses tipos de descanso e olhando para dentro: do que o nosso corpo precisa para se sentir restaurado. Não é tentador?

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!