A nova mania dos millennials japoneses? Comprar maquiagem usada. Mas calma!

Millennials japoneses agora têm uma nova mania: comprar maquiagem usada. Mas isso é perigosíssimo, viu?

Atualmente a indústria da moda vive o boom de sites de segunda mão - tem o The Real Real, Vestiaire Collective... Até o Farfetch abriu seu site do gênero, tentando pegar carona num nicho que ganha cada vez mais força e não pode mais ser ignorado. Afinal de contas, a moda se move cada vez mais rápido e os preços estão cada vez mais altos. Então se junta o útil ao agradável.

Daí você pensa: imagina se existisse isso na beleza? Quantas tantas maquiagens você compra e não usa até o final? Quantos batons são o fogo do momento, ou logo são substituídos por outra cor que você começou a usar? E aquela base que você comprou da cor errada?

Pois no Japão já existe. Segundo uma matéria do Business of Fashion, uma turma de millennials japoneses lançou essa modinha, que vem ganhando cada vez mais fôlego, agora com um site especializado em compra e venda de cosméticos usados.

Uma entrevistada fala na matéria que sempre procura pesquisar quantas vezes um cosmético foi usado antes de comprá-lo, ou sua data de validade. Outra explica que no Japão o ato de compartilhar o que você tem é comum, e que um site de venda de cosméticos usados denota que talvez a obsessão dos japoneses pela limpeza excessiva esteja mais brando.

Um funcionário do site, por sua vez, explica que comprar maquiagens nesta plataforma é a mesma coisa que testá-los em uma loja. Afinal, você compra um batom de marca, experimenta, e se gostar, compra um novo. 

Já a estudante Yoko Hashimoto, que mora em Tóquio, parece ser mais precisa ao analisar o fenômeno: "Os jovens gostam de carregar por aí batons e pós compactos de marca. Mas eles usam marcas baratinhas em casa (como skincare, base, filtro solar), para economizar". Para Yoko, comprar maquiagem usada é  especialmente popular para aqueles que querem usar seus cosméticos como acessórios para suas fotos nas redes sociais.

Redes sociais sim, mas também uma preocupação constante com as finanças estão entre as razões pelas quais os millennials japoneses vem comprando cosméticos usados. "Não podemos pagar pelas maquiagens caras, mas ainda queremos usá-las porque acreditamos que, de alguma forma, elas vão iluminar nossos dias", diz Yoko. "Claramente não vemos um futuro brilhante à nossa frente, então tudo o que podemos fazer agora é nos divertimos ao máximo cortando despesas desnecessárias e investindo em experiências", finaliza.

A ideia de conter o desperdício pode até ter uma boa intenção por trás, mas é só intenção mesmo: comprar maquiagem usada é um perigo (potencialmente sério) à saúde.

Máscara de cílios, lápis de olhos e sombras têm alto risco de darem alergia e  podem contaminar os olhos com conjuntivite, entre outros. Batons, por sua vez, são ainda mais perigosos, e podem transmitir tanto herpes como mononucleose.

Na lista de riscos à saúde quando se aplica um cosmético usado você pode incluir ainda foliculite, impetigo, espinhas, leveduras (infecções fúngicas) e daí por diante.

Dermatologistas, aliás, desaconselham que você compre cosméticos usados até de conhecidos: o vírus da herpes labial, por exemplo, pode ficar encubado por anos no organismo sem que se desenvolva qualquer lesão.

Ou seja: a nova mania dos millennials japoneses pode acabar por aqui mesmo. Maquiagem só nova, fechadinha. É mais fácil você pensar antes de comprar - e isso vale para tudo, né?

vamos conversar?