Como começar a usar ácidos na pele

Como começar a usar ácidos na pele? Aqui você confere um guia completo para evitar reações adversas da sua pele, sem medo!

Inserir ácidos na rotina de skincare é um passo bem importante no cuidado com a pele. Ele denota - ou pelo menos deveria, viu? - mais informação, um maior conhecimento da nossa própria pele e, idealmente, que conversamos com um dermatologista para tratar dores específicas, como acne, manchas, textura e daí por diante. Mas como começar a usar ácidos na pele?

Aqui, reunimos dicas para evitar sustos - como pele hiperssensibilizada ou até manchada - pelo uso de ácidos sem os devidos cuidados. Mas antes de mais nada, calma: ácidos podem ser ótimos aliados no tratamento da nossa pele. Por exemplo: os alfa-hidroxiácidos, ou AHAs, agem diretamente na renovação celular da nossa pele eliminando células mortas que se acumulam em sua superfície, devolvendo o viço, diminuindo manchas, linhas finas e até cicatrizes de acne, e deixando a textura da pele bem mais uniforme. O ácido salicílico, um BHA, por sua vez, é o grande herói do tratamento da acne, promovendo uma limpeza profunda dos poros eliminando o excesso de sebo que pode causar cravos e espinhas.

+ ABC dos ácidos nos cosméticos: um guia completo

Então, vamos lá?

Ácidos na pele: é ele, o dermatologista!

Antes de inserir ácidos na sua rotina de skincare, o ideal é conversar primeiro com seu dermatologista. É ele que vai te indicar o ácido que pode ajudar exatamente o quadro que você quer tratar. "É necessário analisar também se o paciente está fazendo algum tratamento medicamentoso de cuidados com a pele - especialmente quando se fala de retinóides, hidroquinona ou qualquer outro ativo que seja sensibilizante", explica Dra. Monalisa Nunes, dermatologista consultora da Sallve. Seu conselho? "Se você está usando algum medicamento, procure o dermatologista que os prescreveu para saber se o o ácido que você quer usar é compatível."

+ BHA: seu guia completo sobre beta-hidroxiácidos

Básico em dia

"Sempre me certifico, como dermatologista, que ao inserir alfa-hidroxiácidos na rotina de um paciente, por exemplo, ele está fazendo os passos básicos de cuidado com a pele - limpar, hidratar e proteger", afirma Dra. Monalisa. É importante lembrar que esses três passos bem feitos resultam em uma pele com sua barreira cutânea equilibrada, protegida da ação dos raios UV e que está mais pronta para receber os ativos que você quer usar - aqui, no caso, os ácidos. Quer se assegurar de que eles vão fazer efeito com menos riscos de sensibilização? Tenha essa trinca sempre em dia!

A hidratação, aliás, é fator fundamental quando falamos do uso de ácidos na pele. Como eles podem ter uma ação mais forte, a barreira cutânea pode ser afetada - e são os hidratantes que podem equilibrá-la ou até reconstituí-la, como é o caso do nosso Hidratante Reparador.

+ Sérum Antiacne e Hidratante Reparador: por que essa dupla tem tudo a ver

ácidos na pele

Conheça sua própria pele

Tudo isso feito, um cuidado primordial ao inserir ácidos na sua rotina de skincare é observar sua própria pele: "Conhecer nossa pele é muito importante. Assim você consegue detectar os primeiros sinais de uma sensibilidade que possa se desenvolver - como vermelhidão, ardência, coceira ou acne", ensina Dra. Monalisa.

Comece com calma

Mais um conselho importante, e que na verdade vale para todas as fórmulas que você quer inserir na sua rotina: comece com uma de cada vez, e em dias alternados durante a primeira semana. Assim você dá tempo para que sua pele se adapte aos novos ativos e consegue detectar, caso haja alguma reação, qual fórmula a causou. "Quando a gente inicia um novo produto é sempre bom começar aos poucos", afirma Dra. Monalisa.

"Se houver uma irritação aguda no momento do uso, você pode passar água para retirar o excesso de produto ou até mesmo lavar o rosto com um limpador facial suave, aplicando o hidratante em seguida, retomando o uso só quando sua pele estiver recuperada. E, fundamental sempre, converse com seu dermatologista", sublinha. "E não use um produto com AHA em uma pele sensibilizada ou irritada", ressalva.

+ Trio do viço: o incrível poder de combinar vitamina C e ácidos

Protetor solar: indispensável

Quando nós utilizamos ácidos na pele, o uso de protetores solares se torna ainda mais indispensável. Com o processo de esfoliação química destes ativos, que agem diretamente na diminuição da espessura da camada córnea, nossa pele fica mais fina, fazendo com que a proteção solar seja mais essencial. Além disso, o uso de ácidos pode sensibilizar a pele, levando a pequenas e discretas irritações. Se não usarmos proteção solar, também corremos o risco de manchar a pele.  Além disso, alguns ácidos são fotossensibilizantes. - o que significa que o contato do produto com o sol pode gerar uma reação que pode causar queimadura, alergia ou irritação.

Dra. Monalisa termina a conversa de forma tranquila. Para ela, ninguém precisa ter medo de inserir ácidos como os AHA em sua rotina: "Especialmente quando se fala em cosméticos, que já foram pensados para o uso na população comum, em concentrações mais toleradas. É só ter o cuidado de conversar com seu dermatologista, inserir os AHAs aos poucos na sua rotina e hidratar e proteger a pele", repete, para reforçar.

+ Como passar protetor solar (e reaplicar também)

"O maior erro ao inserir ácidos na rotina é usá-los de forma arbitrária, sem saber as indicações específicas dele, ou usar um ácido que está numa concentração que não é a ideal para a sua pele. O horário inadequado também é um erro comum, assim como pular o protetor solar - esse um dos maiores erros quando falamos sobre o uso de ácidos na pele, porque ela acaba ficando sensibilizada. Outro erro para evitar? Misturar muitos ácidos de uma vez só: "As pessoas compram muitos produtos com ácidos e acabam misturando, então quando acontece uma reação, é difícil detectar o que foi que causou o quê. Isso não só danifica a pele como pode não causar efeito nenhum", encerra.

Ácidos na Sallve

Aqui na Sallve, os alfa-hidroxiácidos aparecem na fórmula do Tônico Renovador - em uma combinação patenteada dos ácidos glicólico, lático e málico -, aliados a três extratos (de alcaçuz, hamamélis e physalis) para acalmar e hidratar a pele.

ácidos na pele

Essa poderosa fórmula de tratamento com AHA 7% limpa e esfolia a pele sem ressecar, além de hidratar controlando a oleosidade, minimizar poros e uniformizar a textura suavizando cicatrizes de acne e linhas finas. Ele também é adstringente, uniformiza o tom, acalma e deixa a pele luminosa, reduzindo cravos e acne.

Já o beta-hidroxiácido ácido salicílico é a estrela da fórmula do nosso Sérum Antiacne. Muito mais do que um secativo poderoso que seca espinhas em 24 horas, ele é um sérum que ajuda a tratar e prevenir acne sem ressecar, minimizando poros dilatados e melhorando cicatrizes e manchas de acne. Além disso, ele reduz a presença das bactérias causadoras da acne, a inflamação e a vermelhidão, e ainda repara a barreira de proteção da pele, promovendo a renovação celular.

ácidos na pele

Só ele contém o ácido salicílico - um BHA que desentope os poros - em sua concentração máxima de 2%, a melaleuca com o 4-terpineol que oferece todos os benefícios bactericidas e anti-inflamatórios sem irritar a pele, e a niacinamida e o extrato de buchu, que controlam a oleosidade e ajudam a minimizar poros dilatados. 

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!