Simbologia: reconheça os cosméticos sem testes animais, veganos e bio

Você sabe a diferença entre os símbolos de cosméticos veganos, orgânicos ou cruelty free? A gente te explica!

Já é prática comum, hoje em dia, ler atentamente o rótulo de um cosmético antes de comprá-lo: seja para saber exatamente quais são os ingredientes da fórmula ou para certificar-se de que um produto é vegano, bio ou livre de testes em animais. O que parece ser elementar, porém, pode confundir muita gente: isso porque cada uma destas categorias conta com símbolos variáveis - muitas vezes dependendo de qual órgão registrou sua certificação. Os símbolos podem mudar até de país para país.

Você já deve ter reparado que há pelo menos três símbolos para produtos cruelty free, assim como para fórmulas veganas. Nos orgânicos encontramos ainda mais: cinco são os mais comuns.

Para te ajudar a fazer uma escolha mais informada e entender exatamente o que significam os símbolos de seus cosméticos veganos, orgânicos e que não são testados em animais, reunimos aqui os certificados principais. E te explicamos o que cada um deles significa.

Cruelty Free

Fotos: Divulgação

1- Cruelty Free: O coelhinho de orelhas de coração sinaliza que a marca e o produto em questão não conduzem testes em animais para nenhum dos ingredientes, fórmulas e produto final. A verificação, neste caso, é controlada pela PeTA.

2- Not Tested on Animals: Aqui, a verificação é controlada pela organização australiana Choose Cruelty Free, sinalizando que nenhum dos ingredientes da fórmula foi testado em animais. Além disso, para obter o selo, as marcas precisam provar que nenhum dos ingredientes da fórmula é derivado da morte de animais ou até mesmo de um subproduto da mesma prática.

3- Leaping Bunny: O símbolo coelhinho pulando é verificado pela Cruelty Free International. O Leaping Bunny é considerado o símbolo de maior credibilidade entre os três mais comuns e a explicação é simples. Enquanto para usar os símbolos da PeTA e da Choose Cruelty Free as marcas precisam pagar uma taxa, assinar contratos e termos de compromisso certificando-se de que não há testes de animais em ingredientes de suas fórmulas, para ter o selo do Leaping Bunny, as marcas precisam concordar com auditorias a cada três anos por um auditor independente, além de visitas pontuais.

Veganos

Entre os vários símbolos que sinalizam um cosmético vegano, os mais conhecidos e frequentes são os três abaixo. A única diferença entre eles é o órgão emissor/controlador, que pode variar ainda dos Estados Unidos para o Reino Unido/ Europa.

1 - Certified Vegan: Verificado e emitido pela Vegan Action, ele não exige testes e auditorias dos produtos, optando por contratos e documentos que comprovem a produção 100% vegana.

2- Vegan: O símbolo com o girassol é emitido e verificado pela Vegan Society, criada no Reino Unido em 1944.

3- Cruelty Free and Vegan: O coelhinho de orelhas de coração da PeTA em sua segunda versão, que certifica o produto de fórmula 100% vegana.

Orgânicos:

1- Soil Association: A associação britânica exige que pelo menos 95% dos ingredientes da fórmula seja de origem orgânica. O certificado, porém, pode ser emitido caso a fórmula seja 70% orgânica. Para isso, as proporções precisam ser exatamente descritas na embalagem.

2- NaTrue: a ONG da União Europeia tem três níveis de certificação. Natural Cosmetics (ingredientes precisam ser naturais, mas não necessariamente orgânicos), Natural Cosmetics with Organic Portion (cosméticos naturais a base de pelo menos 70% de ingredientes de origem orgânica), e Organic Cosmetics (pelo menos 95% de ingredientes naturais, provenientes de cultivo orgânico).

3- Eco-Cert: O símbolo francês exige pelo menos 95% de produtos naturais e no máximo 5% de ingredientes de origem sintética. Além disso, 10% do peso da fórmula precisa ser orgânico.

4- USDA Organic: O órgão americano exige pelo menos 95% de ingredientes orgânicos para emitir o selo. Caso a fórmula seja exclusivamente orgânica, o cosmético pode adicionar a informação abaixo do selo: "100% orgânico".

5- Charte Cosmebio: Também dividido em três categorias, o selo pode ser BIO (de 95% a 100% da fórmula de origem natural e a mesma porcentagem de ingredientes a base de plantas de origem orgânica, além de 10% da lista geral de ingredientes), Cosmos Natural ( 95% a 100% da fórmula de origem natural) e Cosmos Organic (de 95% a 100% da fórmula de origem natural, a mesma porcentagem de ingredientes a base de plantas de origem orgânica, além de 20% da lista geral de ingredientes).

Com este conhecimento, vale manter em mente um fator importante: para conseguir estes selos em suas embalagens de cosméticos, as empresas pagam taxas altas, o que acaba tornando-se proibitivo para pequenas marcas. De qualquer forma, com ou sem os selos, é sempre importante ler a fórmula dos cosméticos caso um produto se diga orgânico ou vegano - para muitos, a prática já é natural.

 

vamos conversar?