Que expectativa é essa que criamos para nossas peles?

Será que estamos sendo justos com nossa pele ou estamos traçando expectativas que nunca vamos alcançar?

Foto: Jackson David/ Unsplash

Hoje em dia temos tanta informação sobre skincare ao alcance de um clique ou "arraste aqui" do Instagram que nos sentimos, tantas vezes, donos de toda a verdade quando o assunto é pele. Sabemos para que serve cada ativo e já estudamos tanto nossos poros, manchinhas, rosácea ou melasma que achamos que já tiramos tudo de letra. Mas queridos, não se enganem: se tem uma coisa que a gente não tira de letra é pele.

É que, assim, a gente tem essa informação toda, e ao mesmo tempo, uma pilha infinita de fotos de peles incríveis queimando nossas retinas e tantas vezes jogando na nossa cara uma realidade que não só não é real para nós, não é real nem para quem está naquela foto (ah, um filtrinho!). Daí que quando achamos que já estamos lá, arrasando com a nossa pele, basta vir uma imagem que vai te fazer traçar uma nova meta para ela. E assim vamos seguindo: cobrança em cima de cobrança.

Mas para um minutinho: você já parou para pensar que expectativas são essas que você traça para a sua pele? O que você espera de todos os ativos que você sabe, no papel, para que funcionam? O que é de fato alcançável para você para a sua pele? Essa é uma conversa que acho que temos muito pouco, e que é, de fato, essencial para o relacionamento que vamos trilhar com ela.

Tem coisa que simplesmente não vai rolar

Sofro de acne desde os 12 anos. Já tive espinhas colossais - várias delas ao mesmo tempo -, já tive a fase de querer esconder minhas cicatrizes de acne a todo e qualquer custo, já fiquei deprimida por me olhar no espelho e a textura da minha pele passar longe de ser lisinha como todas que eu via ao meu redor.

Aos trinta e tantos anos, caiu a ficha: minha pele tem suas limitações. Tem coisas que, a não ser com um tratamento mais sério e administrado invariavelmente por uma dermatologista de extrema confiança, por muito tempo, e desembolsando uma boa grana, nunca vou conseguir. Outras coisas, acho que nem assim. Então aprendi a cuidar da minha pele para deixá-la saudável, viçosa, e trabalhei dentro da minha cabeça a ideia de que preciso aceitá-la como ela é: ou eu vou engatar uma queda de braço eterna com ela, ou vamos ser amigas - na textura linda e na espinha irritante que nasce no queixo. Ela é perfeita? Não, e eu sei que nunca vai ser "perfeitaça". Tá tudo bem. Ela tá saudável, e aos poucos vamos uma trocando informações com a outra.

Skincare é o máximo, cuidar da pele é maravilhoso, essa conversa toda é incrível, mas que tal a gente começar a entender que alguns ideais simplesmente não se encaixam na nossa própria pele? Que tal a gente começar a entender que, às vezes, somos também bem injustos com ela? Cobramos demais, esperamos demais. E relacionamento saudável nenhum dura assim.

Da próxima vez que você se olhar no espelho para fazer seus passinhos diários, tenta pensar nisso: expectativa x realidade, e como essas duas coisas podem sim conviver em harmonia. Ou não: às vezes você vai se frustrar. Paciência. Faz parte também. Invariavelmente, você vai aprender com a sua pele. E isso que é incrível. É só manter os olhos abertos e o espírito desarmado.

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading