Maquiagem colorida por Karen Bachini

Karen Bachini já te coloca em clima de arco-íris num bate papo sobre makes animadas que serve de aquecimento perfeito para sua aula na nossa série "Sallve a Make"

Instagram/ Karen Bachini

O Instagram (e os vídeos no YouTube) de Karen Bachini não são para as mais discretinhas. Quer dizer... São sim, sabia? Porque é inevitável: você pode ser do time do batom nude, base levinha e olho com sombra neutra o quanto quiser, mas é impossível não se deixar morder pelo bichinho multicolorido e animadíssimo que habita o feed da influenciadora, e se perder por horas entre máscaras de cílios amarelas, olhos de por do sol ou sobrancelhas cor de rosa. No mínimo vai ser o escapismo que você precisava para levantar seu humor. O risco, porém, é você começar a se jogar mais em cores que nunca imaginou usar na maquiagem: ou seja, só dá para sair ganhando.

Karen sempre gostou de maquiagens coloridas elaboradas, mas sua paixão por makes artísticas tem uma origem mais "nerd" (NR: amamos nerdices). Karen se tornou maquiadora porque queria fazer filmes de ficção científica, "aquela coisa alienígena, tipo 'Star Trek', sabe?", ela conta. Só que a maquiagem de efeitos especiais, como você pode imaginar, não é das coisas mais fáceis: "Essas coisas que eu gostava antes, de efeitos especiais e tal, dava muito trabalho. Você tem que ir atrás da prótese, e nem sempre foi fácil conseguir essas coisas, então acabei deixando de lado e comecei a explorar a maquiagem mais diferentona, artística mesmo, com o que eu tinha em casa." Karen fez uma - foi sucesso. Vieram os muitos pedidos de mais tutoriais de maquiagens mais coloridas e artísticas, e o resto é história - documentada num grid que espanta pra longe qualquer vibe ruim. "Acho que as pessoas querem ver coisas diferentonas, então acabo fazendo coisas mais coloridas e diferentonas também", conta.

"Maquiagem é meu mundo inteiro"

É engraçado pensar, conhecendo o trabalho tão incrível de Karen - e toda a sua habilidade com cores, pincéis e cosméticos, que houve algum momento em que ela simplesmente detestava todo esse universo. Mas é verdade: "Até os 18 anos eu não usava maquiagem. Achava maquiagem coisa de patricinhas extremamente fúteis", ela ri. "Não conseguia relacionar uma coisa tão legal com uma imagem que na minha cabeça, naquela época, não entrava, uma imagem que eu não queria ser. Eu queria ser o posto daquilo." Ela explica: "Naquela época não existia você gostar de gays e de maquiagem, ou você era uma coisa ou outra - hoje você sabe que pode ser as duas coisas."

Talvez justamente esse desafio de padrões tenha feito Karen ter esse relacionamento tão profundo com a maquiagem.
"Maquiagem teve muito a ver com tirar meus medos, me aceitar mais do jeito que eu sou - mesmo que na época as pessoas me falassem 'ah é uma patricinha, tá usando maquiagem'. Maquiagem foi, para mim, quebrar esse padrão, essa ideia de que só meninas extremamente vaidosas podiam usar. Foi como eu provei para mim mesma que eu podia ser tudo o que eu quisesse, ao mesmo tempo, junto e misturado. Ela é uma forma de expressar como me sinto por dentro, como me sinto a cada dia.... Hoje sou mais uma drag queen do que qualquer outra coisa: cada dia eu tenho uma nova inspiração ou visual e quero testar uma coisa diferente. A maquiagem me ajuda a ser essa coisa nesse dia."

"Tudo isso foi extremamente útil quando Karen se viu isolada em uma cidade pequena na Itália, em dezembro - emendando o período com a quarentena que começou em seguida. "Sempre que ficava entediada ou começava a ficar ansiosa eu usava maquiagem. Eu construía vários visuais inusitados, me maquiava para me divertir mesmo, ou para testar algo novo, como uma base - muitas vezes eu nem gravava vídeo. A maquiagem me ajudou muito na quarentena - assim como gravar vídeo sou fazer lives."

Cor favorita? Arco-íris

Tem medo de começar a ousar nas cores? Karen também tinha - especialmente por achar que nunca ia combinar com suas roupas: "O que eu fiz foi começar a me vestir toda de preto, bem gótica minimalista, e botar um olho bem colorido. Depois comecei a desenvolver usar um olho bem colorido e trocar a blusa, ou usar uma sandália colorida e combinar a maquiagem com ela.

Hoje, porém, Karen já se soltou de vez: "Comecei a engatinhar na maquiagem colorida para a vida real assim, tentando usar menos cores nas roupas. Mas hoje uso tudo colorido, desde a roupa à maquiagem, calcinha... Fica muito colorido, mas tudo faz sentido na minha cabeça. E é isso: tem que fazer sentido na sua cabeça. Sua dica, em resumo, para começar a colorir mais o make? "Ou você tenta combinar a maquiagem com uma peça de roupa que você está usando ou se veste inteira de uma cor neutra."

O rosa, porém, tem lugar de destaque no mundo de Karen: afinal de contas, né? Basta olhar para seu cabelo! Aqui, porém, não há qualquer resquício de um visual muito Barbie. "Acho que você corre mais esse risco quando faz uma maquiagem levinha e usa o batom rosa." Para ficar animado no estilo de Karen, ela ensina: "Não pode ser levinho, do tipo 'só estou aqui me maquiando rapidinho.' Dê entonação no rosa em outras coisas: delineador, blush, sobrancelha rosa... Eu comecei usando delineador colorido e lápis."

Make de girassol

Se você suspeita que o tema da aula de Karen Bachini na nossa série Sallve a Make deste sábado (12/09) no YouTube, às 17h, é cor, bingo! O foco, porém, não vai ser o rosa, e sim o amarelo. Sim, para Karen, o amarelo é uma daquelas cores que vai bem em todo mundo - basta encontrar o tom certo. "Tem um amarelo numa paleta de sombras da minha amiga Bruna Tavares, por exemplo, chamado Girassol, que eu detesto. Então não é essa que vamos usar, tá?", ela conta, rindo. "Mas o resto dessa paleta é linda."

(Nota de KB: "A Bruna sabe que eu detesto essa cor!")

A maior dica de Karen para fazer o amarelo funcionar na maquiagem é encontrar o tom certo para sua pele, um amarelo que você goste. "Vai ver vai ser o girassol da Bruna Tavares, que é mais fechado e funciona muito bem em tons de pele mais escuros. Eu vou usar um bem mais claro que um girassol, vou usar um girassol sementinha, bebê! Que é o que vai com meu tom de pele", avisa, mandando o recado: "Então a gente vai precisar de uma base bem clarinha para a cor saltar nos olhos. Se você é uma menina de pele retinta, de pele preta, vai ter que usar uma base mais clara - que são aqueles primers com cor, ou um corretivo mais claro - porque o amarelo precisa saltar."

Essa é sua segunda dica para tirar o máximo de proveito do seu amarelo favorito: se ele é mais clarinho, um tom pastel, faça uma base clarinha para ele. Já se tem muito glitter ou purpurina, uma base escura é a pedida para deixá-la ainda mais brilhante.

Estão preparados para um sábado bem colorido?

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading