Uau! Frete grátis para todo Brasil 😱

A verdade sobre os Sulfatos: você deveria mesmo se livrar deles?

A onda "livre de sulfatos" está por aí, mas é importante saber exatamente o que o ingrediente faz e o que causa antes de tomar decisões

Não é de hoje que a gente vê nas embalagens, principalmente em xampus, alguma marcação que diz: “livre de sulfatos” ou “sem sulfato”. Talvez você até já tenha se questionado qual a vantagem ou qual o problema com esse ingrediente, que parece ser tão mal visto por alguns.

Ele está presente em cosméticos, produtos de higiene, de limpeza, entre muitos outros. Atende por vários nomes e funções, mas no ramo da beleza, você já deve ter sido apresentada (o) a ele pela alcunha de Lauril Sulfato de Sódio (SLS). O tema é bastante polêmico e controverso, mas é preciso entender o todo para saber os motivos de tanta discussão.

Crédito: Unsplash/Matthew Ttkocz

O que é?

Os sulfatos se originam a partir do ácido sulfúrico e, de uma maneira bem simplista, são ingredientes responsáveis por fazer aquela bela espuma no seu sabonete de limpeza facial, no seu xampu e até mesmo na sua pasta de dente, por exemplo. Eles atraem água e óleo e, por isso, são conhecidos como detergentes (surfactantes). Com isso, toda a sujeira da sua pele ou do seu cabelo se vai mais facilmente durante a lavagem.

É perigoso?

Na realidade, não há nenhum estudo que diga que os sulfatos causem problemas sérios à saúde. E aí você deve estar se perguntando: então, qual é a polêmica?

A verdade é que o único ponto comprovado é que esses agentes de limpeza podem ser muito agressivos e causarem sensibilidade, dependendo, é claro, da quantidade presente na fórmula. O Lauril Sulfato de Sódio (SLS) e o Lauril éter sulfato de sódio (SLES) podem irritar os olhos, pele – causando dermatites, - e pulmões, como aponta este estudo da Universidade de Washington. Se você tem pele sensível, talvez seja bom evitar a substância.

Crédito: Unsplash/Callie Morgan

Mas não tinha uma história que podia causar câncer? Bem, não exatamente assim. O que pode acontecer é que o Lauril éter sulfato de sódio pode estar contaminado com 1,4-dioxano, processo que ocorre durante a fabricação de um produto. Essa substância, sim, é conhecida por causar câncer em animais em laboratório.

Além desses pontos, os sulfatos podem levar ao ressecamento da pele, por efeito da deslipidização. Porém, a boa notícia nesse caso é que é possível balancear esse feito com outros ingredientes, diminuindo o problema. Ou seja, nesse ponto, nada para se preocupar tanto assim. De qualquer forma, talvez seja interessante procurar cosméticos que tenham uma menor concentração da substância em suas fórmulas.

O meio ambiente

Se você quer um motivo para não usar produtos com sulfatos, chegamos ao ponto exato: o meio ambiente. Está aí o principal afetado pela presença do ingrediente nas fórmulas!

Quando descartado na natureza, o ingrediente interfere no desenvolvimento do bioplâncton, que é exatamente o início da cadeia alimentar dos peixes. Ou seja, é tóxico para animais aquáticos.

Crédito: Pexels

Outro ponto, é que o Lauril Sulfato de Sódio pode ser derivado dos óleos de coco e de palma, que são ricos em ácido láurico.

O problema aqui é que para produzir o óleo de palma, florestas tropicais são destruídas para dar lugar a plantações de palmeiras, o que implica em expulsar povos nativos, destruir a vida selvagem e extinguir o balanço do ecossistema da região. Ou seja, é um grande desafio para os fabricantes.

Nomes para ficar de olho na embalagem

Caso você tenha decidido banir o uso do sulfato em sua rotina de cuidados diários, aqui vai uma lista para ficar de olho nas embalagens. Afinal, os nomes são muitos:

Lauril éter sulfato de sódio, Lauril éter sulfonato de sódio, Sodium lauryl sulfate, sodium lauryl ether sulfate, sodium laureth sulfate, sodium dodecyl polyoxyethylene sulfate, sodium lauryl ethoxysulfate, sodium polyoxyethylene klauryl sulfate, monododecyl ester sodium salt sulfuric acid, sodium dodecyl sulfate, sodium lauryl sulfate, sodium salt sulfuric acid, sulfuric acid monododecyl ester sodium salt, sulfuric acid, sodium salt, sodium cetearyl sulfate, magnesium sulfate, ammonium lauryl sulfate, sodium trideceth sulfate, TEA-lauryl sulfate magnesium laureth sulfate, entre outros.

Algumas referências e estudos usados para este texto

Human and Environmental Toxicity of Sodium Lauryl Sulfate (SLS)

Awareness of Sodium Lauryl Sulfate & Sodium Laureth Sulfate Health Hazards among Users

Are Sulfates Really That Bad?

Sulfates

Sodium Lauryl Sulfate

Sodium Laureth Sulfate

Bioassay of 1,4-Dioxane for possible carcinogenicity

Biological activity and environmental impact of anionic surfactants

Let's talk about SLS

 

Tem dúvidas, quer saber mais ou sugerir algum tema? Fale com a Sallve. A gente adora trocar experiências! 

 

vamos conversar?