Trabalhar da cama: perigo ou inspiração?

Trabalhar da cama é proibidíssimo? De gênios que trabalharam da cama a quem sofre com doenças crônicas, a gente aprende que a cama pode inspirar.

trabalhar da cama

2020 foi o ano que obrigou muita gente a aderir ao home office. Imediatamente, com a pandemia obrigando tantos (que tiveram o privilégio de poder trabalhar de casa) a transformar seu lar em escritório, vieram as tantas mil regras sobre como fazer seu dia de trabalho render. Jamais trabalhe de pijama! Nunca trabalhe do quarto, com a cama te chamando ali do lado! Separe um cantinho da sua casa para ser seu local de trabalho, não confunda as coisas. Tudo isso óbvio, foi motivo para algumas das várias compras aleatórias da internet.

Com o passar dos meses, a gente começou a se tocar que o que estamos vivendo está bem longe de acabar, e enquanto o dia D e a hora H não chegam, vamos adaptando as tantas regras que criamos para nós mesmos.

Trabalhar da cama, por exemplo, é tão ruim assim?

Essa pulga atrás da sua orelha, te chamando para colocar lado a lado travesseiro e notebook, quem lançou foi o The New York Times. Em uma matéria intitulada "Trabalhar da cama é ótimo, na verdade", em que uma jornalista conversou com algumas pessoas cuja carne fraca as levou a trocar a mesa pela cama para trabalhar. Uma conta que já fez calls com outras pessoas e as duas estavam na cama trabalhando. Outro diz que só consegue focar e produzir se tiver mui-to confortável. E tem também o que é mais analista e filosófico e afirma que trabalhar da cama é uma espécie de negação de que o que estamos vivendo é a vida real.

No meio da discussão, há ainda mais um fator, esse muito vida real sim: o quão grande são nossos apartamentos para podermos nos dar ao luxo de ter um escritório em casa? Com crianças fazendo dever de casa, cônjuges ou roomates trabalhando ao mesmo tempo e a gente tendo que fazer ligações em vídeo e entregar materiais com a mesma frequência de antes (ou maior), talvez o quarto seja mesmo o refúgio perfeito.

Tessa Miller, autora do livro "What Doesn't Kill You", leva a conversa para ainda mais uma vertente: trabalhar da cama é a única opção de pessoas que sofrem de doenças crônicas como ela, que foi diagnosticada com doença de Crohn aos 23 anos (ela hoje tem 32). "Acho que a pandemia está destacando todas essas coisas que pessoas com doenças crônicas vêm fazendo e que agora todo mundo faz, como trabalhar da cama. Conheço muitas pessoas altamente produtivas, inteligentes e talentosas que trabalham da cama por necessidade". Tessa diz ainda que espera que todo mundo aprenda que um ótimo trabalho pode ser feito de qualquer lugar, e que isso crie oportunidade para pessoas com doenças crônicas ou deficientes em campos que, antes, eles não se sentiam acolhidos.

"A posição horizontal conduz o pensamento criativo", diz Abie Sidell, cineasta nova-iorquino que também sofre de doença crônica. "Quando estamos na horizontal, seja dormindo ou sonhando, estamos fazendo muito trabalho criativo no nosso subconsciente", ele afirma, dizendo que sim, sempre que está com algum bloqueio, vai para a cama. "Gostaria que houvesse menos normas e padrões em torno do que é aceitável ou não para se trabalhar".

Trabalhar da cama é coisa de gênio?

A ideia de trabalhar da cama não é nova: a matéria cita Frida Kahlo pintando suas obras na cama depois de seu acidente, ou Winston Churchill, que acordava tarde e ditava para seus assistentes enquanto tomava café da manhã na cama. Na lista há ainda Marcel Proust, que rascunhava suas obras da cama, ou Truman Capote: "Sou um autor completamente horizontal. Não consigo pensar se não estiver deitado".

Mais recentemente, a gente viu em "Mank", no Netflix, Herman J. Mankiewicz trabalhar o roteiro de "Cidadão Kane" inteirinho de sua cama (o álcool fica por sua conta e risco).

Salvador Dalí também já se jogou na cama - a do seu quarto no Hotel St. Regis, em Nova York, para trabalhar em projeções no papel que simulariam a inspiração.

"Experimente trabalhar da cama um dia. Sento com meu cachimbo na boca, uma tábua no colo, e escrevo sem parar. Pensar é um trabalho fácil, e não há muito esforço em mover seus dedos o suficiente para escrever as palavras"

Mark Twain

Ou que tal Henri Matisse, que, após uma cirurgia para retirada de um câncer, fez todo o trabalho de concepção da Capela do Rosário, em Vence, na França, de sua cama no Hôtel Regina em Nice? Foi deitado usando as paredes de seu quarto, com a ajuda de assistentes, que ele trabalhou em sua tão famosa técnica de recortes.

Trabalhar onde você acha que produz melhor

Se há algo que essa pandemia vem nos ensinando é que regras, definitivamente, serão quebradas. A comida rápida durante a semana, o iPad liberado para as crianças quando você tem um prazo apertado, o pijama que fica até a hora do almoço (ou depois?)... É como funciona pra você e como você se sente menos pressionado. O importante, como dizem os entrevistados pelo The New York Times, é a qualidade do trabalho que você entrega.

E aí: como funciona pra você?

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!