Turnê Sallve Paraíba

A Turnê Sallve desembarcou virtualmente na Paraíba pra uma conversa sobre clima quente e úmido, pele, auto-estima e skincare.

Dessa vez desembarcamos virtualmente na Paraíba, no Nordeste do Brasil. As embaixadoras dessa conversa boa sobre skincare são a Brenda, do LovB Skincare; e a Camila Thaynara.

O papo contou ainda com Debora Chaser, a Desireê Nicole, o Gabriel Asafe, a Giulia Morais, a Mirelle do Skincare Tropical, o Pedro Yago e a Raíssa Patrício.

Amor pela Paraíba

A Brenda, de João Pessoa, já nos deixou com vontade de agendar a viagem das férias para quando a pandemia acabar! "A minha cidade é ma-ra-vi-lho-sa, ela é quente, é úmida, tem uns negativos como deixar o cabelo um pouco armado e a pele oleosa mas é uma cidade que traz um carinho, um amor e as pessoas são maravilhosas".

Ela contou que tem "pele oleosa com tendência a acne desde os dez anos. Minhas amigas tinham uma pele bonita e eu tinha uma relação de angústia, era uma frustração porque eu tratava, ia na dermato".

Com o tempo tive que me adaptar e ser mais grata, eu tratava a minha pele como se fosse minha inimiga. Quando eu me olhava no espelho, chorava. Tive que aprender a me olhar com carinho e foi uma construção, não foi de um dia pro outro.

Brenda, LovB Skincare

"Ontem fui na dermato e ela me disse que estou passando coisa demais. Respondi: mas deixe o meu Tônico Renovador, que eu tô amando! Hoje em dia eu me sinto mais segura", revelou a Brenda.

O segredo da maquiagem na Paraíba? É o skincare!

A Camila teve um histórico de acne bem forte e contou que foi em um curso de uma ação social perto de sua casa, sobre maquiagem, que ela começou a buscar informações sobre skincare e make.

"Dali, foi um passo pros challenges no Instagram, um sucesso. A minha relação com a pele não veio da minha família, comecei a cuidar da pele recentemente. Mês passado maquiei a minha tia e na hora que eu passei o primer ela ficou encantada e até chorou, porque nunca viu a pele assim. Eu ainda tenho muito a aprender, vai ser um aprendizado eterno com a minha pele".

"Tenho muitas manchinhas. É amor e ódio ao mesmo tempo. Quando eu comecei a ter esse contato com maquiagem, não me explicaram bem o real motivo dos produtos, das fórmulas. Hoje faço a preparação antes da maquiagem", contou.

Percebi que quando eu não cuidava a minha pele gritava e agora, está melhorando cada vez mais.

Camila Thaynara

Do make reboco ao skincare

A maquiagem usada para esconder foi um tema bem presente nesse papo. A Debora contou: "a pele oleosa me incomodava demais na adolescência, ia pra escola com maquiagem reboco. Eu sou apaixonada por produtinhos de skincare. Vivo nesse calor da Paraíba mas a minha pele é muito clara. Qualquer manchinha de acne já ressaltava no meu rosto, ficava na louca da farmácia mas também ia no dermatologista, tomava anti-inflamatório e fazia tratamento com ácido. Minha pele é oleosa com tendência a acne mas hoje, com a rotina de skincare de manhã e a noite, ela tá bem controlada".

Base no colarão da Paraíba?

A Debora conta que tava louca pra caprichar na maquiagem pro encontro da Turnê Sallve, mas "o calor daqui não tá ajudando. Queria fazer uma maquiagem com base hoje, mas não deu, porque não tem condições de ficar com base hoje aqui em João Pessoa. Não uso nem protetor com cor porque nenhum dá certo, fico laranja. Me libertei da maquiagem com o skincare, antes eu andava com pó, base, tudo na bolsa, hoje, se tiver um corretivo e um rímel é muito".

A Julia Petit conta que ela também não consegue mais usar base em dias muito quentes: "eu tenho a impressão que no calor, eu sinto a base no rosto, parece um tecido. Pode ser a mais cara, a mais leve, a mais tecnológica, a mais fininha, eu sinto".
A Brenda também reforça a dificuldade de usar base na Paraíba: "aqui é quente e úmido, quando uma blogueira fala: essa base é matte, você passa e derrete. Aqui só segura a base em pó". E a Julia completa: "e imagino que vai pesando, craquelando e vai dando aquela loucura".

Make até na praia na Paraíba? Não mais.

A Desireê vai te surpreender! "Eu tenho pele oleosa com tendência a acne, fiz tratamento com Roacutan, sofri muito na adolescência por ter acne, mancha e cheguei até a ir pra praia com maquiagem. Hoje acho bizarro, não faria mais. Já sofri muito com isso, o que não quer dizer que não sofra mais. Mas hoje eu consigo compreender a jornada que eu a minha pele enfrentamos. Hoje tenho mais cicatrizes de acne do que mancha".

A minha relação com Instagram é a de mostrar que até a pele oleosa, com tendência a acne, que tem poros aparentes e tem cicatrizes de acne, pode ter uma rotina de skincare não em busca de uma pele perfeita, mas por uma pele saudável, que a gente consiga se ver bem nela. A minha relação hoje de skincare e maquiagem é de respeito. Antes eu usava a maquiagem pra esconder tudo. Hoje, eu tenho uma rotina de skincare e uso a maquiagem pra me sentir bem, não pra me esconder.

Desireê Nicole

Descobrindo a pele na quarentena

São muitas as pessoas que passaram a dar mais atenção à pele durante esse período que estamos mais dentro de casa. O Gabriel é um deles: "a minha relação com a pele surgiu na quarentena. O que sempre me incomodou na minha pele é que era muito opaca, sem brilho. De quarta a domingo eu estava nas festas, não usava maquiagem mas tava iluminador. Chegava em casa, passava água e pronto. Chegou a quarentena e comecei a pesquisar sobre cuidados com a pele, comecei a cuidar e passei a sentir menos a necessidade de tacar iluminador na minha cara. A minha pele é seca e desde que estou cuidando, eu consigo sentir que está menos opaca. Meus lábios ressecam muito, num nível de sangrar. E desde que comecei a ter o cuidado com a pele, cuido da boca também. Tenho vários balms, tenho um na mesma de trabalho e passo o tempo todo".

Eu amo olhar no espelho no sol e ficar me olhando altas horas, porque gente, o glow é tudo.

Gabriel Asafe

O ciclo vicioso do make

A Giulia, que tem a pele mista, contou que também passou pela fase de se esconder na maquiagem.
"Na adolescência tive muitas espinhas e não sabia como cuidar. Era um ciclo vicioso: tentava esconder com a maquiagem, que entupia cada vez mais os poros".

Pano branco

"Pra quem não sabe, o sol nasce primeiro em João Pessoa, na Paraíba, é o lugar mais extremo mais oriente do Brasil", nos ensinou a Mirelle antes de falarmos da pele. Afinal, o nosso papo é sobre skincare mas também sobre os estados do nosso país.

A Mirelle tem uma história com uma doença de pele, chamada pano branco (pitiríase versicolor). "Ao contrário de muitos, eu nunca tive problema com acne e sempre fui tachada como a pelezinha muito bonitinha, "perfeita". Até que aos meus 14 anos eu comecei a ter umas crises de pano branco e as pessoas não falam muito sobre isso. Eu trato até hoje e pra mim é bem tabu, tanto que é a primeira vez que falo sobre isso, porque realmente me marcou muito, as pessoas me falavam coisas horríveis e foi assim que comecei a ir no dermatologista. Minha mãe não tratava muito da pele e vejo que toda a família só começava a cuidar ao chegar em uma certa idade.
Foi ai que eu descobri um mundo. Passei por 'n' dermatologistas e assim fui descobrindo todas as marcas, todas as tentativas. Eu só resolvi o meu problema quando encontrei a dermatologista do coração que me acompanha até hoje. Foi uma jornada bem longa e essa dermatologista me disse: vamos tratar outras questões que você tem. Nunca mais parei de tratar, vivo numa constante, sempre com algum produto pra estabilizar na minha rotina. Porque é uma questão tanto psicológica quanto de pele mesmo. Minha ansiedade interfere diretamente, ou se a minha imunidade cai: coisas bem específicas interferem direto".

Nunca fui na dermato

O Pedro brinca logo de cara: "eu sou amigo imaginário da Julia (Petit), da Mareu, da Jana (Rosa), da Camila Fremder, toda essa galera. Faço muito parte de um grupo de brasileiros, muito grande eu diria, de pessoas que nunca foram ao dermatologista mas que cuidam da pele. Eu sou o estereótipo desse tipo de pessoa porque desde adolescente eu cuido da minha pele. Eu nunca me vi sem cuidar da minha pele. Tenho a pele extremamente oleosa e sempre usei produtos hidratantes e de limpeza para esse tipo de pele e com o passar do tempo fui aumentando esse repertório do skincare".


Pedro contou que quando se mudou de Pernambuco pra Paraíba, chegou a pensar que tinha problema hormonal mas era tudo por conta do calor e da umidade de João Pessoa. "Se você não tem o privilégio do ar condicionado, meu sonho, tem que tomar três ou quatro banhos por dia pra sobreviver".

Com make ou sem: se ame!

A Raíssa é maquiadora e contou: "nem sempre eu me aceitei com a minha pele natural, em sair com um protetor, um hidratantezinho labial e tá tudo bem. Quando comecei a atender como maquiadora passei a pesquisar muito, estudar tipos de pele e na faculdade de fisioterapia, a gente estuda parte de dermatologia e cosmético e foi onde comecei a de fato a me interessar e tomar gosto pela coisa".

"O amante de maquiagem se prende muito a isso: por quê não eu sair com a cara limpa na rua? Eu consigo enxergar a minha beleza nas duas fotos: com maquiagem e sem. Eu queria que as pessoas enxergasse isso também. Eu não quero que uma cliente me diga 'eu quero que você me transforme', porque o meu intuito não é esse. Pra gente se sentir bem, se sentir de fato completa e bonita a gente tem que se aceitar de todas as formas. Não é porque eu estou com uma maquiagem que vou ser linda e maravilhosa, porque é muito mais complexo do que somente uma maquiagem. O meu amor pela pele, pela maquiagem é a fazer as pessoas enxergarem que você é bonita do jeito que você é. Eu amei que o skincare tomou essa proporção nos últimos tempos porque ele vem pra reforçar a nossa beleza natural, é cuidar de o que você tem".

Fique de olho aqui no blog: na semana que vem a nossa Turnê é no Ceará!

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading