O fim dos likes no Instagram e seu impacto na nossa autoestima

O Instagram anunciou que deve ocultar a contagem de likes de sua timeline e a notícia, mais do que tudo, gera um debate: qual é o seu lugar nisso tudo?

 Foto: Reprodução

O fim dos likes no Instagram está perto. Essa semana a rede social anunciou que vai começar a testar um novo formato. A novidade é que vai passar a ocultar a contagem de curtidas de cada foto. Dessa forma, só o dono da conta vai conseguir ver quantos likes tem. A ideia deles com isso é que todo mundo comece a prestar menos atenção neste tipo de métrica e mais no conteúdo. Além disso, é uma tentativa de controlar a obsessão. Afinal, tanta gente posta suas fotos e fica desesperadamente seguindo quantas curtidas ganha. "É sobre criar um ambiente de menos pressão, em que as pessoas se sintam mais confortáveis em se expressar", disse o chefão do Instagram, Adam Moseri.

Ansiedade, stress, depressão

O comportamento que já se tornou praxe dá margem a ansiedade, stress, depressão, dismorfia corporal e daí por diante. A lista é enorme, e bem conhecida de todo mundo que vive nessa era moderna ditada pela popularidade nas redes sociais. O impacto do Instagram é o mais sério. Tanto que aqui na Sallve já conversamos com psiquiatras, dermatologistas e uma cirurgiã plástica sobre como as tendências de beleza do Instagram tem feito mal à cabeça das pessoas.

Cada vez mais o público quer aquela pele igual a do filtro, o nariz igualzinho ao que a gente consegue fazer com o Facetune. Além da vida perfeita em cenários paradisíacos altamente instagramáveis. E sem contar com pratos que além de deliciosos são lindos de se ver - e fotografar. Um mundo em que todo mundo está feliz e sorrindo o tempo todo. E claro, as curtidas batem os muitos milhares, numa corrida pela popularidade a qualquer preço.

Qual é o seu papel?

A medida de colocar um fim nos likes do Instagram, não coincidentemente, foi anunciada bem no mês da conscientização da saúde mental. Tudo se interliga no final, né? Beleza, autoestima, saúde mental. Tudo se conversa e se alimenta.

O anúncio serve para a gente tentar se escutar um pouquinho e refletir sobre como nos comportamos nas redes sociais, como nos enxergamos e como enxergamos o próximo. Como a gente se comporta e como isso tudo afeta a gente. Como é o conteúdo que a gente cria? Será que estamos imunes aos números do Instagram ou a gente se deixa seduzir, nem que seja um pouco? E precisa? Tá fazendo bem pra você? Se não, se desliga um pouco. O exercício pode valer mais que uma boa máscara facial. ;)

Conta para nós nos comentários: qual é a sua relação com as redes sociais e como elas afetam a sua relação com você mesma e o espelho?

vamos conversar?