Check-ups de pele te dão medo? Dica: não precisa se assustar!

Dra. Juliana Piquet fala sobre como ninguém tem que ter medo de fazer check-ups de pele - e o que eles levam em conta.

Foto: Aveisa Vargas/ Unsplash

Limpar, tonificar, esfoliar, hidratar, proteger do sol, dar aquele gás com uma máscara volta e meia... São muitos os passos a seguir para manter sua pele sempre bem cuidada e bonita, viçosa.

Mas conforme você vai dominando essa tal rotina de skincare, você vai entendendo que ela é algo muito mais profundo do que você imaginava: cuidar da sua pele é também uma questão de saúde. E assim, os passos da sua rotina vão aumentando - pode ser algo prático e simples, como o uso da água fria ao invés da quente para lavar seu rosto pelo menos, ou algo maior, como fazer check-ups de pele.

Se assustou? Pois saiba que não precisa.

"O check-up de pele não é nem um pouco invasivo", afirma a dermatologista Dra. Juliana Piquet, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. "Na verdade, a maior arma do dermatologista neste caso é o olho, em um exame que fazemos com o auxílio do dermatoscópio [uma lente de aumento de até 400 vezes com luz específica]. Com ele, nós observamos alguns parâmetros que têm correlação com o que a gente vê quando faz uma biópsia. Com isso, evitamos tirar sinais desnecessariamente. Mas lógico, se ainda já temos dúvidas, a gente opta por retirar e fazer uma biópsia."

Quem deve fazer check-ups de pele?

Antes de mais nada, saiba que não é uma obrigação que você precisa a todo custo incluir na sua rotina de skincare. A Dra. Juliana explica que embora qualquer um possa fazer um check-up de pele, tudo depende mais do histórico de cada um: "se a pessoa durante a infância e principalmente adolescência se expôs muito ao sol, principalmente se tem histórico de queimadura solar, bolha ou pele descascada, porque isso aumenta muito o risco de um câncer de pele", explica a dermatologista.

Outro fator a se levar em conta é o histórico de câncer de pele na família (especialmente melanoma). "Por isso é difícil precisar exatamente uma idade para começar a fazer check-ups. Pode ser até que um pediatra encaminhe uma criança para um dermatologista para checar uma pinta que ele ache suspeita", continua.

E no caso de histórico familiar ou relacionamentos "turbulentos" com o sol?

Neste caso, há o recurso do mapeamento: "É uma foto que a gente faz do corpo todo, de cada segmento, e uma de cada sinal, com aumento", explica a Dra. Juliana. Este exame, porém, não é indicado para todo mundo: "Ele é para esses pacientes que têm um histórico familiar ou uma quantidade muito grande de nevos (ou pintas) com características atípicas e irregulares, que a gente tem que acompanhar de perto".

A maioria dos pacientes, segundo a dermatologista, todavia, pode fazer um exame clínico de check-ups de pele normal, com a dermatoscopia.

Qual é a importância de se fazer check-ups de pele?

O câncer de pele é o mais comum do mundo, mas por outro lado, a boa notícia é que ele é, em sua imensa maioria, fácil de prevenir e curável, especialmente quando detectado precocemente. "Um diagnóstico precoce aumenta muito as chances de cura, e os tipos mais comuns, felizmente, são os menos letais", diz a Dra. Juliana. "O melanoma é o que gera mais medo e o que a gente fala mais, porque é mesmo um câncer que pode matar. Mas mesmo ele, quando diagnosticado precocemente - daí a importância dos check-ups -, tem índice de cura bem alto.

No que ficar de olho em casa

Quer ficar atenta à sua pele? A Dra. Juliana dá algumas dicas de pintas que pedem uma atenção maior: são elas assimétricas (quando você a dobra ao meio, as duas metades são iguais?), se as bordas são regulares, se ela tem uma cor só, seu diâmetro e sua evolução: se ela está crescendo ou se ela sangra, por exemplo. "Sabe aquele caso de uma feridinha que não cicatriza nunca? Temos que ficar atentos a isso, e aí vale marcar uma consulta", ensina a dermatologista.

A exposição solar

Não é exagero: a exposição da sua pele ao sol é fator crucial para a saúde da sua pele. Ao longo de nossa longa conversa com a Dra. Juliana Piquet, ela cita diversas vezes o risco da exposição solar excessiva ao sol e a importância da prevenção - que é, leia-se, aplicar filtro solar religiosamente (em to-dos os lugares!).

"Sempre perguntamos como foi a vida dessa pessoa com o sol. A gente se preocupa muito, no caso do melanoma, com aquelas exposições ao sol excessivas nas férias. Sabe quando a pessoa não tem o hábito de se bronzear o ano inteiro e quando chega as férias pega muito sol, se queima, descasca? Isso aumenta muito a chance de desenvolver um melanoma", alerta, relembrando, mais uma vez - porque nunca é demais - que fotoproteção é essencial.

Para quem tem medo deste tipo de check-ups, Dra. Juliana assegura: "Não tem que ter medo, imagina. É um exame muito simples e que pode salvar uma vida". Ah, e uma vez por ano, na maioria dos casos, é suficiente! Marcou seu check-up? Lembre-se: tenha em mente bem fresquinho todo o histórico não só da sua família como também da sua pele com o sol.

vamos conversar?