A importância de cuidar das suas espinhas e o perigo de não fazê-lo

Cuidar das suas espinhas passa longe de ser uma questão estética. E quanto mais tempo você demorar para fazer isso, mais difícil pode ser.

A importância de cuidar das suas espinhas

As redes sociais são bastante problemáticas, já falamos muito sobre isso aqui, e proliferam comportamentos que me pergunto se teriam qualquer espaço na vida real. Por outro lado, elas foram um importante catalizador de movimentos de body positivity e skin positivity que mudaram genuinamente a forma como tanta gente se enxerga.

Outro dia mesmo, contamos a história de Hailey Wester, americana que vem documentando o progresso de sua pele acneica no Instagram. "Decidi não me importar mais com o que os outros pensam de mim e decidi expor minha pele real nas redes sociais. Isso me trouxe tanta paz!", ela escreveu em um de seus posts no Instagram.

O movimento de aceitar sua pele (e seu corpo) é maravilhoso, mas será que existe um limite para tamanha positividade? Por exemplo: será que o "linda até sem maquiagem" é positividade absoluta ou, inevitavelmente, mais uma forma de opressão?

Outro dia, em uma conversa entre amigas, fiquei sabendo de um movimento que andou pulsando no Instagram que pregava que você deve aceitar suas espinhas - com um detalhe que me chamou bastante atenção: o coro era para que você deixasse-as em paz. Orgulhe-se delas, deixe elas ali!

Opa, peraí: a luz vermelha acendeu aqui imediatamente. Aceitar espinhas, ok, a gente tem mesmo que aceitar que a vida é feita de atemporalidades - o Uber com tarifa altíssima, a passagem de avião para as férias que aumenta da noite para o dia antes de você comprar e sim, espinhas. Que teimam em surgir nos momentos mais inoportunos (HA! quando é um momento oportuno para que elas apareçam?).

Mas quando elas aparecem, a gente aceita... Mas a gente trata. Você tem que cuidar das suas espinhas. E não se trata de uma questão estética, é uma questão de saúde: espinha nada mais é do que uma inflamação na sua pele. E inflamação a gente precisa cuidar.

Espinha não tratada pode acarretar um quadro mais grave

"Na maioria dos casos não é um caso grave", comenta a dermatologista Dra. Juliana Piquet. "Mas a gente tem que pensar sim no problema a longo prazo, como você desenvolver uma cicatriz. Quanto mais tarde você tratar dela, mais complicado é", diz a dermatologista. "Dá muito mais trabalho e custa muito mais caro".

Dra. Juliana alerta que é muito importante ficar de olho e tomar cuidado com lesões maiores em algumas localizações. "Pode realmente ser perigoso. Especialmente no rosto, dependendo do ponto, há uma comunicação com os seios da face ou contato com meninge, por exemplo, e isso pode acarretar um quadro de infecção à distância. "Especialmente perto do nariz e entre as sobrancelhas", especifica a dermatologista. "Teoricamente, porém, isso pode acabar acontecendo em qualquer área, dependendo da progressão do caso, que pode levar a pneumonia, meningite e até septicepmia.

Não precisa ficar apavorado: a Dra. Juliana deixa claro que estes não são eventos comuns - na verdade, são bem raros -, mas é importante sempre sabermos do risco que uma espinha não tratada tem.

Orgulhe-se da sua pele? Sempre. Mas cuide dela também. É a sua saúde. <3

vamos conversar?

buscar

sua sacola

  • Loading