Fatores que podem ressecar a pele e como combatê-los

Você já pode ter sentido sua pele ressecada, mas sabe exatamente o que pode ressecar a pele? Como detectá-los e evitar o ressecamento? Tá tudo aqui!

ressecar a pele

Você sabe qual é a diferença entre pele seca e pele ressecada? Uma listinha bem simples pode te ajudar: a primeira é um tipo de pele, enquanto a segunda é um estado. E enquanto a primeira é caracterizada pela baixa produção de óleo, a segunda sofre pela falta de água. Sabia, aliás, que qualquer pele pode ficar ressecada, da seca à oleosa? Mas quais são os fatores que podem ressecar a pele? Aqui a gente faz uma lista dos principais, divididos por categorias, para te mostrar como o cuidado da nossa pele engloba tanta coisa: da proteção das agressões externas ao funcionamento do nosso corpo. Muita coisa pode ressecar a pele, mas uma boa notícia? Cuidar dela pode ser muito mais simples do que você imagina.

+ Pele seca ou desidratada? Entenda a diferença entre elas

Um ponto em comum entre tantos dos fatores listados abaixo? A grande maioria deles afeta diretamente a barreira cutânea da nossa pele, que é o que ajuda a manter sua umidade e a protege de agressões externas. Por isso, sempre que falamos sobre hidratar a pele, a barreira cutânea tem papel fundamental.

Fatores climáticos

Quem nunca sentiu a pele descamar no inverno? Ou ressecar depois da exposição excessiva ao Sol? Pois é: fatores climáticos são velhos conhecidos quando o assunto é o ressecamento da pele. O clima seco, que acontece especialmente no inverno, é um deles. É que durante esta estação do ano a umidade do ar cai, e junto com as baixas temperaturas, sua pele transpira menos, ficando mais ressecada. Junte aí o vento frio e a mudança em alguns hábitos (oi, banho quente!) e pronto: a pele sofre. Por outro lado, o calor também pode ressecar a pele, já que há uma perda de água muito maior pelo organismo, além do aumento da exposição solar: é nesse período que precisamos tomar ainda mais cuidados para repor água e sais minerais perdidos pelo nosso corpo - e isso inclui beber muita água.

+ Tipo de pele ou estado de pele? Entenda a diferença

Fatores externos

A gente já deu a dica ali em cima, mas ele aparece aqui, nos fatores externos que ressecam a sua pele: o banho quente. Lembra daquele papo de que a gente não pode jamais entrar na onda de querer tirar toda a oleosidade natural da nossa pele? A água quente faz justamente isso. O resultado? Barreira cutânea afetada e pele desidratada. Outro efeito ruim da água quente é que com essa desidratação a pele entende que precisa produzir ainda mais óleo (é o famoso efeito rebote), o que pode causar uma dilatação nos poros. Ah, e vale lembrar que dermatites pioram muito com a água quente, portanto, pelo menos para lavar o rosto, opte sempre pela água fria.

+ Pele cansada: 5 efeitos do cansaço na sua pele

Ainda entre fatores externos que podem ressecar a pele está o uso de remédios que podem agir diretamente na produção de sebo pela pele (alguns tratamentos para a acne têm esse efeito, como o Roacutan), cosméticos agressivos demais, que removem a barreira protetora da pele e, mais do que nunca, o uso constante de álcool em gel nas mãos.

Banho de mar ou piscina também podem ressecar a pele, especialmente quando são mais frequentes - um pela quantidade de sal, outro pela quantidade de química, como cloro.

Envelhecimento da pele

Conforme vamos envelhecendo, o metabolismo da nossa pele vai mudando: a pele produz menos ácido hialurônico e colágeno, por exemplo, fazendo com que a pele perca sua firmeza e elasticidade. Seu ritmo de renovação celular diminui, o que tira o viço da pele e pode até aumentar o aspecto dos poros. Ainda por cima, há alterações hormonais que mexem diretamente com o funcionamento da pele, especialmente após a menopausa.

+ Os benefícios dos produtos da Sallve para a pele madura

Na própria fisiologia da pele, há mudanças: nas camadas hipodérmicas a concentração de células de armazenamento de lipídios diminui (de tamanho ou quantidade), enquanto nas camadas dérmicas começamos a ver a chegada das rugas e sentir a perda da elasticidade. Tudo isso, agregado a fatores externos, afeta diretamente a barreira cutânea, que protege nossa pele e tem o poder de reter umidade. O resultado? Uma pele mais ressecada.

Doenças de pele como dermatite atópica, rosácea ou psoríase

Algumas doenças de pele também podem causar ressecamento, como explica Dra. Monalisa Nunes, dermatologista consultora da Sallve:

Dermatite Atópica: "A dermatite atópica é uma doença genética crônica em que a pele apresenta a barreira natural de proteção deficiente, com falta de alguns ácidos graxos essenciais como as ceramidas. Com isso, a pele fica mais ressecada e sensível".

Psoríase: "Esta é outra doença genética crônica, em que acontece uma renovação celular exagerada, gerando um acumulo de células na camada córnea, que fica muito espessa e acaba dificultando a entrada de água".

Rosácea: A rosácea é uma doença inflamatória crônica da pele, em que a barreira natural de proteção também está deficiente, gerando uma pele sensível, inflamada e ressecada".

Estilo de vida

Por último, mas não menos importante, hábitos do nosso cotidiano influenciam diretamente na nossa pele, inclusive em sua hidratação. Aqui entra, por exemplo, o consumo de álcool, especialmente em excesso: para metabolizar uma molécula de álcool, seu organismo precisa lançar mão de nove moléculas de água. Quando não há moléculas de água suficientes no corpo para isso, de onde seu organismo começa a tirá-las? Isso, da sua pele. Mas tem mais aí nessa conta: bebidas alcóolicas são diuréticas, ou seja: eliminam ainda mais água do seu corpo pela urina. A conta do bar chega - e ela toma não só sua hidratação, como seu viço também.

+ Todos os tipos de pele precisam de hidratação?

O fumo também resseca a pele: segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o cigarro é uma grande fonte de toxinas que aumentam a produção de radicais livres, que aceleram o envelhecimento precoce da pele. E é justamente por conta disso que ele resseca a pele.

Se seu cérebro está sobrecarregado por stress, ele comprovadamente funciona de outra forma, liberando uma quantidade maior de cortisol, um hormônio que afeta diretamente nosso sistema imunológico e, por consequência, a defesa natural da nossa pele (lembra do pH?). E quando o cérebro libera essa substância em maior quantidade (junto com adrenalina - um quadro clássico de stress), as glândulas sudoríparas do nosso corpo são ativadas. Traduzindo? Sim, a gente sua mais. Com maior perda de água, seu corpo pode entrar num quadro de desidratação e sua pele pode ressecar.

A alimentação também podem ressecar a pele, por isso, que tal inserir mais alimentos hidratantes na sua dieta? Junto a isso, beber água é fundamental: a Sociedade Brasileira de Dermatologia indica que "uma boa hidratação deve ser feita por dentro e por fora. Por isso, além do uso de dermocosméticos específicos para cada tipo de pele, recomenda-se a ingestão diária de, no mínimo, dois litros de água". Isso porque a pele é composta por células que por sua vez, têm água em sua composição. Uma pele bem hidratada (e com uma rotina de skincare) tem viço e elasticidade.

+ Pálpebras ressecadas: causas e como tratar

Alguns fatores que ressecam a pele são inevitáveis, enquanto outros podem ser contornados. O importante é lembrar sempre que nossa pele responde tanto a tudo o que acontece externa quanto internamente, no nosso corpo, e manter nossa pele hidratada é questão de saúde: uma pele hidratada é uma pele com sua barreira cutânea íntegra, ou seja, protegida de agressões externas e com seu funcionamento afinado - o que pode evitar doenças de pele como eczema, por exemplo.

ressecar a pele

A pele ressecada pode acontecer pelo corpo todo - ainda também por conta da fisiologia da pele em cada parte dele. Por isso nosso Hidratante Reparador é incrível: ele pode ser usado não só no rosto como no corpo. Só ele nutre a acalma peles secas e sensibilizadas, repara danos e restaura regiões extremamente ressecadas.

Sua fórmula vegana, cruelty free e não comedogênica combina ingredientes emolientes e umectantes poderosos como as ceramidas biomiméticas e pantenol,  com propriedades calmantes e que auxiliam na reconstrução e cicatrização da barreira da pele, o alfa-bisabolol com ação anti inflamatória, calmante e antioxidante, a manteiga de karité, que hidrata criando uma barreira e reduz a perda de água, e os eletrólitos, para garantir o balanço hídrico da pele.

O Hidratante Reparador foi formulado especialmente para peles sensíveis, secas e ressecadas, mas com benefícios comprovados em todos os tipos de pele. Ele hidrata por 72 horas, reduz a vermelhidão, deixa a pele luminosa e com toque macio, previne o acinzentamento e descamação. Em seus testes clínicos, nove em cada dez participantes sentiram a pele hidratada e oito em cada dez sentiram a pele luminosa e radiante. 

E aí: que tal inserí-lo em sua rotina de skincare?

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!