Home office + crianças. Combinação (explosiva) que pode funcionar

Quarentena é uma chatice, mas é necessária! Para quem faz home office e tem filhos em casa a combinação pode soar explosiva, mas ela funciona, viu?

Se você espera o relato de uma "super mãe" dizendo que a vida confinada com filhos, cachorro, marido, família e afins será um mundo cor de rosa e que você conseguirá manter o mesmo ritmo de trabalho, você caiu na página errada. Não, não vai ser igual. Não tem como fazer o roteiro do comercial de margarina em plena pandemia. E olha que eu sou uma daquelas otimistas, que diz: respira, vai passar (apesar de aqui no Velho Continente, onde vivo, no foco principal da contaminação, estar entrando na sexta semana dentro de casa).

Vamos falar francamente? Nós amamos nossos filhos, sobrinhos (coloque aqui qualquer outra relação que você tem com crianças que convivem com você na mesma casa). E também amamos as creches, pré-escolas e escolas. Amamos as tardes de brincadeira na casa do amigo ou o pijama party na casa da melhor amiga. Mas nesse momento, o mundo todo está vivendo uma fase de quarentena e quem trabalha em home office sabe bem que a vida de pai, mãe, avós, tios, etc, não é a das mais calmas.

Crianças se irritam trancadas dentro de casa, é fato. E isso não colabora pra quem tem uma agenda de trabalho apertada a ser cumprida - e tampouco pra nossa saúde mental. Mas, calma, lá! Respira. Não é (ainda) o fim do mundo. Te prometo. Palavra de mãe.

O que precisamos é entender que essa é uma fase temporária e que temos que rebolar pra fazer funcionar. É o nosso "se vira nos 30", mas que em vez de segundos, leva dias, semanas.

Energepic / Pexels

Trabalho

O primeiro ponto é explicar ao empregador que o ritmo de home office pode não ser o mesmo do escritório / ambiente de trabalho. Isso porque muitas vezes é preciso dividir o computador entre mais pessoas. Porque nem todo mundo tem um cantinho da casa isolado de todo o caos que reina. Porque é preciso fazer turno de quem tá de olho nas crianças que precisam de atenção (isso quando não se trata de mãe/pai/vó solo).

Traçar uma rotina

Para funcionar, é essencial criar uma nova rotina para essa fase. Faça um cartaz de uma forma que a criança entenda cada regra / horário. Aqui na minha casa, a minha filha de quatro anos desenhou cada atividade que elenquei das 7:00 às 20:00 (hora em que acorda e hora em que vai dormir). Assim ela sabe como funciona o dia. Pode ser novo pra você (e era pra mim, a mãe contrária à tão essencial rotina) mas as crianças estão super acostumadas a seguir uma agenda na escolinha / creche.

Concentre, se possível, a tua produção de trabalho no horário em que a casa é mais tranquila. Eu sou uma pessoa matutina. Na vida idealizada, acordo às 6:00, tomo o café da manhã com a maior calma, tomo um banho e aí me sento para trabalhar. E é o horário da manhã em que me sinto super carregada. Mas agora, tô vivendo na pura adaptação. Foi numa noite insone que me dei conta de que os filmes, séries e tudo mais que eu queria assistir com um copo de vinho na mão, vão ficar pra minha vida pós semi-apocalipse. É depois que coloco a minha filha pra dormir que acende uma lâmpada em cima da minha cabeça e me sinto mais produtiva. O mesmo acontece de manhã: acordo antes e dou um gás. (Vida de quem fez treino pro fim do mundo durante a amamentação - entendedores entenderão).

Para quem tem um companheiro (a), amigo, avós em casa: faça uma escala de horários - tanto para uso do computador como para quem é responsável pela criança naquele horário. E vale para todas as idades: do bebê que precisa ter fralda trocada, à criança que precisa sentar para estudar. É preciso dar um jeito de encontrar um equilíbrio.

Tente marcar as reuniões online para o horário do sono da tarde (para quem tem filho pequeno) ou, naquele horário estabelecido no cartaz da rotina de que ninguém pode te interromper. Peça pela compreensão dos colegas.

Lembre-se que estamos em um momento de emergência. Não carregue culpas, não se sinta obrigada (o) a fazer tudo junto ao mesmo tempo (ninguém é de ferro). E se tiver alguém ao teu lado que não se mexe, peça ajuda. Tem horas que a gente perde a estribeira mesmo, não tem jeito, faz parte do pacote. Mas, (mais uma vez), respira. E você vai ver que planejando, a roda vai girar, vai funcionar. Siga os horários do cartaz (com pausa para exercícios, horário de quem vai ler um livro, quando a criança pode ver um filme, etc). Com os dias, você vai se adaptando e o home office vai funcionar mesmo enquanto as crianças te chamam a cada 30 segundos. E fique de olho aqui: logo vamos trocar dicas de como entreter a criançada dentro de casa e mandar a irritação embora.

Vamos trocar experiências? Me conta como você está enfrentando esse período. E o mais importante: pense também em você. Precisamos respirar e encontrar um equilíbrio para essa fase temporária (que vai passar). Se possível, fique em casa. E se cuide.

vamos conversar?

buscar

sua sacola

  • Loading