Independência financeira é só ter dinheiro?

Afinal de contas, como alcançar a tão sonhada independência financeira?

Independência financeira. Eu não sou vidente, muito menos conheço todas as pessoas que existem na face da Terra. No entanto, posso dizer aqui com propriedade que esse sonho se passa - ou já se passou - pela cabeça de quase todo mundo. Desde a pessoa que sonha em juntar milhões na conta bancária até aqueles que seriam felizes apenas com o necessário: a gente quer ter independência financeira, e essa vontade aparece cedo ou tarde nas nossas vidas.

+ Sobre ter orgulho de como se fala

Nunca fui a pessoa que ganhava mesada dos pais. Até tentei ser, mas a minha mãe vinha sempre com aquela piadinha de: “Que? Como assim você quer que eu jogue uma mesa em você? Nunca faria isso!”. Ela era professora de português, então, adorava brincar com palavras. Brincadeiras à parte, mesmo sem ganhar mesada, meus pais sempre me davam um dinheirinho aqui e acolá para comprar lanches, artigos de papelaria e livros. Aquele dinheiro que era me dado sempre me fazia pensar: “de onde será que vem o dinheiro que ganho dos meus pais e como eles conseguem?”. Mais novinha, pensava que eram os pais deles que davam a eles dinheiro, assim como ocorria comigo. Crescendo, percebi que eles ralavam muito para conseguir aquela grana, e decidi que assim que possível iria fazer o mesmo para ter o meu próprio sustento, sem ter que pedir aos meus pais. 

Já falamos por aqui sobre sonhos x pagar boletos, com um tom bem mais voltado para sonhar. No entanto, enquanto uma jovem adulta muito sonhadora, tive que colocar o pé no chão para poder andar cada vez mais firme até o meu objetivo de ter o meu próprio dinheiro e ser, enfim, independente financeiramente. 

+ Vou te levar pra ver o sol

A cabeça de uma menina que ganhava dinheiro dos pais pra comprar livros e gomas de mascar andou comigo por muito tempo. No entanto, quando se está disposto a sair de casa e pagar suas próprias contas, o dinheiro que você recebe precisa ter um plano. Por isso digo que tive que pousar em solo firme. Quando sonhamos muito e não nos organizamos financeiramente, o nosso dinheiro pode criar asas e voar.

Quis escrever isso por aqui pois dinheiro e independência são as perguntas mais frequentes no meu Instagram e nas minhas redes sociais no geral - como se eu fosse uma Nath Finanças da vida rs. Só que venho por meio desse texto te informar que mesmo quando você começa a ganhar seu dinheiro, mesmo em meio a milhares de páginas e planilhas, é muito, M-U-I-T-O difícil ser independente financeiramente. Porque junto com essa independência vem uma enorme responsabilidade. A não ser que você seja herdeira de Genóvia e tenha milhõe$ na conta, se você não for responsável com o dinheiro que entra e sai, você vai virar dependente das dívidas. Vai por mim, eu sei do que estou falando. 

+ Entre sonhos e pagar boletos

A verdade é que, a não ser que você tenha tido algum tipo de curso de finanças na escola, geralmente a gente precisa aprender a se organizar sozinho. Nossos pais estão muito preocupados em nos dar sustento e fazer com que nada falte, e acabam que não nos inserindo nos ensinamentos e soluções financeiras da casa. Pelo menos, comigo foi assim. Com meus pais também, e com os pais dos pais deles. A gente vê ali de longe a movimentação, os perrengues, as contas abertas em cima da mesa de jantar, mas só tem noção de como lidar com elas quando, enfim, elas chegam na sua casa com seu nome impresso na folha e com números que são referentes aos seus gastos. 

E olha, é aquele ditado: tá tudo bem, sabe? Porque crescer e amadurecer é perceber que pessoas adultas não tem tudo sobre controle, não vão sempre ser super responsáveis com o seu dinheiro, muito menos sabem controlar tudo ao mesmo tempo. Amadurecer é perceber que ser adulto é perder o controle das coisas porque, agora, o controle está 100% em suas mãos.

O que eu digo aqui é: antes de sonhar em ganhar um salário enorme, jogar na megasena e virar milionário, pouse e perceba que nada disso dura sem uma boa dose de maturidade e responsabilidade. Seu dinheiro vale muita coisa, isso é fato. Mas saber pra onde ele vai, como ele entra, onde ele pode ser útil e outras cositas más é essencial nesse rolê inteiro da famigerada independência financeira. 

+ Ensinamentos de filha para mãe

Diquinhas mais práticas e palpáveis por aqui: 

1- Tenha um caderninho de finanças;

Sim, sou a doida dos cadernos, mas essa dica eu te dou de coração - e de bolso consciente. Dê um jeito de anotar os seus gastos e ganhos, da forma que mais fizer sentido pra você. Organização financeira é uma coisa bem pessoal, mas cadernos costumam dar bastante certo.

2- Não se culpe tanto por errar;

Tem meses que a gente vai estrapolar sim, principalmente no começo da nossa vida financeira, onde não temos tanto controle e estamos nos acostumando com a autonomia financeira. É normal meter o pé na jaca. O negócio é anotar o estrago, pra depois continuar de uma forma mais consciente e pé no chão. 

3- Veja os vídeos da Nath Finanças!

Até brinquei ali em cima dizendo que não era ela, mas falando sério aqui, os vídeos da Nath são super didáticos e reais. Ela ensina educação financeira de uma forma real e fora dos moldes privilegiados que a gente tanto vê por esse mundão que é a internet. E, claro, tô jogando aqui essa indicação porque, assim como você, eu também não sou a pessoa mais responsável do mundo com minha grana, e a Nath me ajuda muito. 

4 - Siga o perfil @graninhas no instagram.

Eles são bem legais e didáticos também. Gosto bastante do design e do conteúdo.

No mais, é um processo cheio de altos e baixos esse tal de rolê com dinheiro. Não sei exatamente quando que a gente vira de fato alguém pé no chão, e se isso é de fato possível. Por aqui, continuamos tentando uma organização para poder, enfim, voar bem alto para qualquer destino que me der na telha. Enquanto isso… deixa eu pagar meus boletos aqui antes que vençam e venha com juros rs :)

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!