Como manter a mente saudável para 2021?

Conversamos com uma psicóloga para avaliar o que passou e o que podemos fazer diante de um cenário cheio de ansiedade

2020 não foi para amadores. A pandemia do novo coronavírus mudou as regras do jogo e desfez todos os planos de quem esquematizou cada etapa do ano nos mínimos detalhes. Ela nos afastou fisicamente, fez com que a gente mudasse prioridades, gerou medo e insegurança, e nos impediu até de nos despedir dos que se foram.

E a ansiedade do “quando será que essa vacina vem”? Ou “será que um dia tudo vai ser como era antes”? Diante de um cenário desses, manter a mente saudável (e otimista), não foi tarefa fácil pra ninguém. E a pergunta que fica é: como manter nossa saúde mental e se preparar para um 2021 com tanta ansiedade e que, cá para nós, não começa muito fácil por infinitos motivos?

2021
Crédito: Pexel

2020 acabou e 2021 está quase aí!

Se cobrar e até lamentar por tudo o que aconteceu é um caminho natural de pensamento para as pessoas nesse finalzinho de ano. E a gente está aqui para te ajudar a pensar sobre isso com carinho, com um ar de positivismo, mas sem esquecer tudo que foi vivido, é claro. Para isso, convocamos a Dra. Fabiane Curvo de Faria, psicóloga e especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, para uma conversa sincera.

“É como o domingo. É um dia pesado para as pessoas, porque é um momento de ponderação da semana, de ver o que você planejou. O final do ano remete à mesma coisa, a ponderação sobre o que você fez no ano, o que conseguiu realizar em relação aos planos que tinha.  Muita gente teve as expectativas frustradas em setores diferentes da vida: umas pessoas não se casaram, outras não fizeram os investimentos desejados e houve ainda quem se viu obrigado a adiar planos. Acho bom comparar dezembro com domingo. Sempre que a gente acaba uma coisa, e vai iniciar outra, é um momento de ponderação”, aponta.

Olhe até para o mínimo ganho

A especialista aponta que apesar de ter sido um ano difícil, é importante que a gente enxergue até o mínimo ganho que possamos ter tido. “É bom pensar que, mesmo que tenha sido mínimo, algum ganho tivemos. Algumas pessoas conseguiram olhar mais para dentro de si. Outras, ao ficarem mais tempo em casa, com a família, puderam parar um pouco. É tentar pensar que, mesmo com todas as situações adversas, saímos do automático”, diz a psicóloga.

2021

“Foi um ano inesperado para todo mundo. Gosto da comparação que escutei de uma colega psicóloga: estamos na mesma chuva, mas em barcos diferentes. Não foi algo pessoal, e sim uma adversidade que atingiu a todos e com a qual temos que lidar. É importante focar, se manter estável e valorizar os mínimos ganhos”, completa a psicóloga, que está à frente da plataforma Aterapia.

Como se preparar psicologicamente para 2021?

Primeiro, é bacana considerar o contexto real de hoje e não sair fazendo um planejamento como se 2021 fosse um ano como outro qualquer. Afinal, a pandemia segue aí – use máscara, lave as mãos ou capriche no álcool em gel! – e não tem uma previsão exata de quando deve chegar ao fim.

“Uma coisa que aconselho é dividir as metas pela metade. Por exemplo, se a pessoa pretendia frequentar a academia três vezes por semana, deve se propor a ir apenas duas. Se pensava em investir R$ 50 mil, se proponha a investir R$ 25 mil. Não considere que isso é falta de habilidade ou incompetência. É apenas o momento adverso pelo qual estamos passando”, alerta a Dra. Fabiane.

Mas e a ansiedade com esse cenário incerto? A gente faz o que? Bom, a situação atual afeta a todos, uns bem mais do que outros. “Claro que a gente sempre quer aprender as coisas pelo amor e não pela dor. Mas toda perda vem acompanhada de um ganho, de um aprendizado. É hora de tentar estar próximo de quem a gente ama, ainda que de forma virtual, não pensar no pior, não fantasiar e se apegar à realidade. Tudo isso é importante para baixar o nível de ansiedade”, explica.

Ah, e não pensa que a gente esqueceu que esse ano as reuniões familiares e de amigos para celebrar o Natal e o Ano Novo provavelmente não vão acontecer como eram antes. Não ver quem a gente ama também causa ansiedade, angústia e tristeza. Se você puder e quiser, tente usar a tecnologia para minimizar o impacto negativo de tudo isso. Ligue, faça uma chamada de vídeo, esteja presente mesmo sem estar.

Na sua rotina, para minimizar essa ansiedade que todo esse cenário causa é preciso focar nas coisas boas e em fatos comprovados. Além de tentar sempre buscar evidências. “A pandemia assusta muito, e o cenário incerto dá pé para pessoas ansiosas criarem muitas fantasias”, esclarece ainda a Dra. Fabiane.

Atenção! A gente falou muito em ansiedade por aqui, mas quando a coisa atrapalha sua rotina, seus hábitos diários, não te deixa dormir e te faz mal, chegou a hora de buscar ajuda, ok?

Dito isso, seja gentil com você mesmo em 2021 (e sempre, né?)! <3

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!