Na sua pele: uma reflexão sobre skincare

Quem você quer ser ou quem você é?

Você se lembra de quando, há um tempo atrás, tudo em que se falava quando o assunto era beleza era a procura pela base perfeita? Tem que cobrir todas as manchinhas. Tem que disfarçar os poros, durar um dia inteiro. Encontrar a base perfeita era como colocar suas mãos no cálice sagrado. De uns tempos para cá, porém, a conversa mudou um pouco. De uma forma tão orgânica, que não podemos apontar exatamente quando aconteceu, não é mais sobre esconder a pele. É sobre cuidar dela.

Não acredito que seja coincidência o fato dessa nova febre pelo skincare ter surgido em meio a tantos movimentos liderados por mulheres mundo afora. A Marcha das Mulheres. O Time's Up. Autoras feministas, popstars explorando um universo que era tabu até tão pouco tempo atrás. O assunto aqui não é política, mas é impossível não ver alguma ligação, mesmo que inconsciente, entre o clima atual e como andamos nos vendo no espelho.

A procura pela base perfeita? Ela ainda existe. Ainda amamos um corretivo ótimo, que dá aquele truque. Suspiramos por um batom de cor elétrica que vai levantar nossa pele perfeitamente hidratada com uma passada da bala nos lábios. A maquiagem tem o poder de nos transformar no que bem quisermos. Maquiagem é fantasia: abuse do contorno para afinar seus traços, passe o lápis branco na linha d'água para abrir mais o olhar se isso faz com que você se sinta invencível. A sombra que pode mudar a nuance da cor dos olhos e dar aquela melhorada na sua auto-estima. Maquiagem é o máximo.

Mas se a maquiagem te entrega o que você quer ser naquele dia, mesmo que esse alguém seja um personagem, o skincare te entrega você, de verdade. E não é fácil: a gente escorrega, usa o creme errado, um tônico que resseca a pele, um sérum que dá alergia. Aquela vitamina C que dá algumas espinhas (acontece!), mas esse processo todo, que é uma verdadeira jornada, te entrega, no final dela, sem qualquer embrulho ou ilusão, você. Por inteiro. A cada tombo ou vitória de conhecer a nossa pele e cuidar dela, a gente está se conhecendo melhor, está tirando um tempo para cuidar de nós mesmas. Tudo vira auto-conhecimento.

Maquiagem é "Quem você quer ser?", skincare é "Olha aqui quem você é", sabe? As duas são maravilhosas e não são excludentes. A mudança da nossa relação com uma e com outra, isso sim, é que é interessante. Que máximo que nós estamos, finalmente, amando estar na nossa pele. Nos olhando com mais calma e carinho em um bom espelho de aumento. Cuidando da nossa saúde.

E você, como tem sido a sua jornada com o skincare?

Foto: Unsplash/ Zulmaury Saavedra

vamos conversar?