Tratamento isolado ou força extra? Nutricosméticos prometem ajudar a pele

Colágeno e vitamina C podem ser administrados também por via oral, sabia?

De uns tempos para cá, muito tem se falado sobre as famosas pílulas da beleza para dar um gás na rotina da pele e, é claro, que o assunto é um tanto controverso. Para quem ainda não se identificou, esse "milagre" também é conhecido pelos nomes de suplementos alimentares, nutricosméticos, cosméticos orais e até nutracêuticos! Mas a pergunta que não quer calar é: substitui a rotina de skincare? Melhor tomar uma cápsula ou passar aqueles cremes queridinhos todos os dias?

Crédito: Joshua Coleman/Unsplash

Primeiro, para quem não faz ideia do que estamos falando aqui: os nutricêuticos agem equilibrando um déficit nutricional de cada indivíduo. Eles podem agir contra a flacidez e linhas finas, com a vitamina C ou E e também o Silício orgânico. Ou até diminuírem os efeitos nocivos do sol, como com o extrato de Polypodium leucotomos, o famoso "protetor solar oral". Neste último, vale lembrar que ele não substituí a aplicação do filtro solar tradicional.

“Existem substâncias antioxidantes, capazes de reduzir os efeitos nocivos dos raios solares na pele. É o caso do picnogenol, polypodium leucotomos, luteína, vitaminas E e C. Existem componentes capazes de auxiliar no combate da acne, como o ômega 7. Cerasomosides possuem um efeito anti-irritante e melhora a elasticidade da pele. O colágeno hidrolisado ajuda a atenuar o afinamento da pele que ocorre com o envelhecimento”, explica a Dra. Kédima Nassif, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Substitui ou não a rotina de skincare?

Crédito: The Tonik/Unsplash

Aí vai a resposta: suplementos orais não substituem a rotina de skincare, são uma ajuda extra. “Os nutracêuticos, ou seja, termo que vem da junção de nutrientes + farmacêuticos, engloba os nutrientes que têm ação comprovada em prevenir e combater problemas de saúde. No que diz respeito à dermatologia, devem ser sempre associados à rotina de skincare e não substituí-la”, alerta a Dra. Kédima.

A Dra. Ana Carolina Sumam, dermatologista, também corrobora dessa opinião. "Quando você associa, você aumenta a ingestão e com isso o nível circulante daquela substância. Assim, você potencializa o tratamento. E mais ainda quando você associa com tratamentos dermatológicos (em consultório)”, afirma.

Mas todo mundo precisa de suplementação?

Crédito: Pawel Czerwinski/Unsplash

Bom, na verdade, não. “A indicação de um suplemento deve levar em conta o tipo de dieta do paciente, como dietas restritivas; problemas de absorção intestinal das vitaminas, como anemia perniciosa; ou pós cirurgia bariátrica; exposição alta ao estresse oxidativo, como atletas e tabagistas. Além disso, pessoas com doenças específicas da pele se beneficiam da associação de suplementos ao uso dos dermocosméticos. Pessoas muito jovens, com ótima alimentação e estilo de vida saudável podem ter bons resultados com dermoscosméticos, apenas”, aponta a Dra. Kédima.

“É um tema controverso dentro da dermatologia. É claro que (os benefícios) vão ser muito maiores em um paciente que tenha algum déficit. Agora, o paciente que não tem nenhum déficit, que tem uma alimentação saudável, é que o assunto é mais controverso. Ainda assim, a tendência hoje é fazer algum tipo de complementação, porque os estudos vêm corroborando nesse sentido”, completa a Dra. Ana Carolina.

Vale lembrar! Consultar um (a) dermatologista é sempre a opção mais correta e saudável para cuidar da melhor forma possível da sua pele! ;) 

Alguns textos e referências usados para este texto 

Nutraceuticals for Skin Care: A Comprehensive Review 

Oral Collagen Supplementation: A Systematic Review 

Safety and Efficacy of Oral Polypodium leucotomos Extract in Healthy Adult Subjects 

Tem alguma dica, dúvida ou sugestão? Fale com a Sallve. A gente adora trocar experiências!

vamos conversar?