O boom da maquiagem e do skincare para o público masculino

Os números não mentem: depois do boom no skincare masculino, a maquiagem para os garotos perde seu estigma e é incorporada ao vocabulário mainstream sem preconceito.

Em um papo animado que tive com Tássio Santos sobre beleza masculina, o jornalista de beleza e maquiador falou que aos poucos estava voltando a se jogar na maquiagem, muito tempo após tê-la deixado na gaveta por conta do bullying que sofria por conta disso.

Sorte a dele, várias marcas de cosméticos vem, aos poucos, se abrindo para sua clientela masculina - seguindo os passos de Eddie Izzard, que foi garoto propaganda de maquiagem no início dos anos 2000, bem antes de toda a conversa sobre regras de gênero.

Esta semana, em uma matéria na Bloomberg, um executivo de beleza japonês afirmou com todas as letras que a geração Z (a que sucede os tão falados e estudados millennials) vai sim consolidar a maquiagem masculina bem além de uma tendencinha passageira. E que os consumidores mais velhos vão seguir seus passos, inevitavelmente: "Para as gerações mais velhas ainda há alguma resistência. Eles ainda sentem vergonha, então é preciso dar um empurrãozinho", disse ele.

Homem maquiado sempre existiu! Nem precisa ir tão além do mainstream para pescar David Bowie, Prince ou os new romantics. Mas a grande diferença para esta nova geração é que ao invés da maquiagem ser usada quase como uma excentricidade, para chocar ou chamar atenção, ela agora é usada de forma mais natural. Pode ser até para o escritório (como bem provou Emmanuel Macron, presidente da França, que foi envolvido em um escândalo ao vir à tona que ele andava gastando mais de US$ 10.000 por mês com maquiador às custas do contribuinte).

Embora tudo ainda esteja acontecendo bem gradativamente, a expectativa é que o mercado de maquiagem para homens siga os mesmos passos da indústria de skincare masculino, que tem previsão de crescer 24%, batendo a marca dos US$ 5 bilhões nos próximos cinco anos. Atualmente, a previsão é que ela esteja movimentando US$ 31,7 milhões.

"Hoje em dia você não pode mais fazer bullying com uma pessoa que só está sendo ela mesma. Não funciona mais assim", afirma Frank Juarez, um americano de 23 anos que, em entrevista à Bloomberg, conta que hoje em dia sente um estigma bem menor ao não esconder mais que usa maquiagem.

Depois de uma pesquisa revelar que 70% dos homens heteros rouba os produtinhos de skincare das namoradas escondido, é hora de compartilhar a bancada de uma vez por todas e derrubar rótulos: lindos poros são para todos!

vamos conversar?