O fim da ditadura do sorriso perfeito

Depois de tanto tempo comprando a ideia de que até nossos dentes precisam se encaixar em um certo padrão, olha só... Até esta ditadura dos dentes Mentex está caindo por água abaixo!

Foto: Warner Bros/ Reprodução

"Porcelain Veneeeers!" Quem é que vai se esquecer de todos os episódios de Extreme Makeover em que aquela voz da narração, sempre empolgadíssima, nos contava que o eleito pela equipe do programa iria ganhar facetas de porcelana em todos os seus dentes?

Teria sido mais ou menos nessa época que essa febre do sorriso alinhadíssimo, perfeito e branco quase fluorescente (tipo Ross Geller) virou obrigatoriedade? Foi mais ou menos aí mesmo que sim, que boa parte dos seres humanos - pelo menos do Ocidente - começaram a entrar na onda de que tinham que ser clones um dos outros, iguaizinhos até nos dentes, levando-nos a pensar em alguns momentos onde estariam nossos óculos escuros ao sorrirem (estou falando com você, Bon Jovi).

Mas depois de tanto tempo comprando a ideia de que até nossos dentes precisam se encaixar em um certo padrão, até esta ditadura está caindo por água abaixo.

Em uma matéria para a Vogue britânica, o dentista Dr. Mark Hughes contou que tem sentido uma mudança grande no mundo da odontologia cosmética, que agora pende para resultados mais naturais: "Venho sentido uma tendência cada vez maior de pacientes pedindo por dentes mais tortinhos ou divertidos. Mudar completamente nosso sorriso está ficando ultrapassado. Agora as pessoas querem dentes naturais, mas um pouco melhores, 'perfeitamente imperfeitos', por assim dizer.

A tendência não é só por lá. Aqui no Brasil, vem se notando exatamente a mesma coisa. "Recebo muitos pacientes no meu consultório que chegam já avisando 'Não quero ficar com o dente branco demais igual ao de fulano! Pelo amor de Deus, não vou ficar com o dente igual ao daquela atriz não, né? Todo mundo tem ficado com medo. Hoje em dia muita gente busca o contrário desse padrão' conta a dentista Dra. Adriana Lucena, da Clínica Vitallis, no Rio de Janeiro.
"Já tive três casos em que inclusive tirei a resina dos dentes de pacientes, que chegaram no meu consultório pedindo 'Por favor, quero muito ver como são meus dentes de verdade, por baixo disso tudo!' Quando você faz isso com resina o resultado é reversível, mas estas lâminas de hoje em dia são um caminho sem volta. Você precisa pensar muito antes de fazer, e pensar se isso funciona para você".

Para a Dra Adriana, a ditadura do sorriso perfeito é uma cilada, que pode ter desdobramentos traumáticos quando imposta sobre, por exemplo, uma garota de 20 anos, que já passa a acreditar que todos os seus dentes precisam ter um determinado aspecto. "O ser humano parece que precisa entrar numa máquina e sair igual a todos os outros", ela comenta. "É um desespero. As pessoas não podem ter uma imperfeição no sorriso que já vira uma lâmina. Acaba que todos começam a achar aqueles brancos, grandes e de aspecto artificial bonitos, e isso muda até a cultura. Mas quem é que dita essa regra? Um sorriso saudável tem uma boa saúde periodontal, e dentes alinhados o suficiente apenas para não desgastar um ao outro ou dar problema de disfunção de articulação mandibular, entre outros problemas. Mas isso é uma questão de saúde".

A Dra. Adriana ressalta a importância de uma odontologia humanizada, em que os profissionais estão muito mais preocupados com o ser humano do que com o sorriso perfeito. "Será que essas pessoas que buscam essa perfeição a todo custo estão bem com elas mesmas? Como está a autoestima delas? Será que uma pessoa não pode usar um diastema, um desalinhamento nos dentes (que não prejudique sua dentição) ou outras peculiaridades a seu favor, para personalizar seu sorriso? No final das contas, tudo é uma questão de autoestima. Precisamos ser mais humanos, e esta busca pela perfeição não é humana. É por isso que tanta gente hoje morre de medo de dentista!", ela encerra.

É interessante sentir que tantos padrões de perfeição vem sendo questionados, mesmo que esta movimentação ainda não faça o mesmo barulho que feeds de redes sociais e "sorrisos de celebridade". É bom a gente questionar sim - sempre - todos os padrões que são impostos sabe-se lá por quem. "Tem que questionar mesmo, e sempre", é o recado da Dra. Adriana. "Até quando vamos mudar tudo no nosso rosto em função do padrão de beleza da vez? Ele passa, e como a gente fica?" Fica com cara da estação passada, ao invés de com a nossa cara. ;) 

vamos conversar?