Comedogênico: o que isso realmente significa?

Uma dica: pode ter tudo a ver com o surgimento da acne

Você talvez já tenha topado por aí com um produto cosmético que leve já no rótulo a inscrição: “não comedogênico”. Mas, afinal, o que isso quer dizer? Simples e fácil: um produto é considerado comedogênico quando ele pode obstruir os poros, facilitando o aparecimento de cravos e espinhas.

Crédito: Pexels

Dito isso, é mais fácil entender por que cosméticos e dermocosméticos que não são comedogênicos são indicados para pessoas que têm pele oleosa e com tendência à acne, né?

“O poro é um orifício onde desemboca um duto, que traz para o exterior da pele a produção da glândula sebácea, ou seja, o sebo. As substâncias comedogênicas entopem esse orifício, fazendo com que ocorra um acúmulo de sebo dentro do duto, podendo ocasionar o surgimento de cravos e, se houver inflamação ou infecção, de espinhas”, explica o Dr. Alberto Cordeiro, dermatologista.

Índice comedogênico

Há uma tabela, usada por pesquisadores, em que se classifica o índice comedogênico dos ingredientes de zero a cinco. Sendo zero o que não causa entupimento de poros e cinco, aquele que tem alta chance da formação de comedões:

0 - Não entope os poros

1 - Ligeiramente comedogênico

2 a 3 - Moderadamente comedogênico

4 a 5 - Severamente comedogênico

Crédito: Pexels

O site Skin Reference disponibilizou uma lista em que é possível verificar o índice de alguns óleos e outros ingredientes. Mas atenção, hein! O que pode parecer uma solução para tirar uma dúvida, na verdade, pode ser uma fonte para causar ainda mais confusão.
Explicamos: um ingrediente pode constar na lista como comedogênico, mas em baixa concentração não significa que o produto o seja. O importante é sempre conversar com seu médico para entender melhor o potencial de entupimento de poros de um produto que você está louco para usar.

É ou não é comedogênico?

Algumas empresas testam o índice de comedogenicidade do produto final, e indicam o resultado na embalagem. Fique de olho nessa informação! Essa é a forma mais segura de se certificar de que a fórmula não é comedogênica.

Todo mundo deve fugir dos comedogênicos?

“Varia de acordo com cada pele. Se a pessoa tiver uma pele mais oleosa, ela não pode optar pelo uso de produtos com alto índice comedogênico. Já as peles secas permitem que o índice comedogênico seja um pouco maior”, aponta o Dr. Alberto.

Porém, não é por que você não tem pele oleosa que pode caprichar no uso de substâncias que possam entupir os poros o tempo todo. Moderação é tudo nessa vida, pessoal!
“Todo mundo precisa se importar, sim. Até mesmo uma pessoa que tenha uma pele seca não pode ficar utilizando um produto com alto índice comedogênico, caso contrário, ela pode desenvolver a formação de acnes e cravos também”, completa o especialista.

Crédito: Pexels

Altamente comedogênicos

Não vá pensando que um ingrediente natural é mais seguro nesse quesito. O óleo de coco, por exemplo, é quatro na escala de comedogênese, ou seja, alto. Aplicar o óleo de coco direto na pele pode acabar gerando mais acne, caso você tenha propensão a isso. Porém, como tudo na vida, há exceções, como já te contamos por aqui, em outro texto
Aqui entra em jogo o risco de se usar as receitas caseiras na pele, sem a segurança de origem da matéria-prima, teste dermatológico ou em concentrações que causam mais danos do que benefícios. 


Consultar um (a) dermatologista é sempre a opção mais correta e saudável para a sua pele, combinado? ;)

 

Artigo usado para este texto

Comedogenicity and irritancy of ingredients in skin care products

 

Tem dúvidas, quer saber mais ou quer sugerir um tema? Fale com a Sallve. A gente adora trocar experiências!

 

vamos conversar?