Como medimos a hidratação dos produtos da Sallve?

Para quem adora a área de testes clínicos, seu lugar é aqui!

Ciência e tecnologia são dois assuntos levados muito à sério aqui na Sallve. Investimos pesado nesses dois campos, o que inclui uma área específica dedicada apenas aos testes clínicos das nossas fórmulas. Como nunca é demais falar um pouco mais sobre alguns testes que fazemos por aqui, hoje vamos falar sobre hidratação! Já parou para pensar como medimos e concluímos que um produto hidratante realmente hidrata a pele? É isso que a gente vai te explicar aqui. 

medimos hidratação

Cosméticos e a hidratação

Para começo de conversa, vale lembrar que a hidratação, de forma resumida, nada mais é do que a retenção ou reposição de moléculas de água no organismo. Isso pode acontecer pela ingestão de água, por exemplo, ou pelo uso de hidratantes.

+ Por quanto tempo se mantém a hidratação?

A água é essencial para o funcionamento da nossa pele – e já falamos sobre essa relação especial aqui no blog - especialmente em sua camada mais externa, o estrato córneo. E como um hidratante garante que isso aconteça? Pela hidratação por dentro das células, pela ação de umectantes ou emolientes.

Então, cosméticos hidratam a pele por duas frentes, principalmente. A primeira é por oclusão, os famosos emolientes. É aquela hidratação formada por óleos e manteigas, que formam como se fosse uma camada que previne que a sua pele perca água, mantendo a umidade no interior das células córneas e ainda assegurando o nível adequado de umidade no estrato córneo.

+ É possível potencializar a hidratação?

Já a outra frente é por umectação, que é quando um produto tem ativos higroscópicos, como ácido hialurônico e pantenol, por exemplo. Esses ingredientes têm uma afinidade por água, atraem a água para perto deles. Quando você aplica na pele, aquele produto entra um pouquinho no estrato córneo e começa a atrair água. Esse processo ajuda a compensar níveis reduzidos de agentes naturais de hidratação - os umectantes naturais chamados de NMF.

Como medimos a hidratação?

Para medir a hidratação de um produto usamos métodos biofísicos, não invasivos, que não causam nenhuma dor para os participantes de pesquisa.

+ Como funciona a área de Testes Clínicos da Sallve?

De acordo com que frente de hidratação queremos medir, usamos o método mais adequado. No caso do Hidratante Reparador, por exemplo, que é um hidratante completão, que tem ativos umectantes e emolientes, usamos os dois métodos para comprovar a hidratação:

  • Tewameter ®: esse equipamento mede o TEWL (sigla para perda de água transepidérmica). Por ele, é avaliada a hidratação por oclusão. Ele mede a taxa de vapor de água que está sendo perdida para o ambiente em g/h/m2.
  • Corneometer ®: é um equipamento que mede a hidratação do estrato córneo. De forma mais leiga, é como se ele fosse medir o quanto de água está retida dentro da pele. O princípio biofísico é a capacitância.

Por fim, além de testes clínicos, sempre realizamos testes de eficácia percebida para saber se, além dos equipamentos medirem essa hidratação de maneira comprovada, saber se as pessoas também tiveram essa sensação de hidratação.

medimos hidratação

Hidratante Reparador e Hidratante Firmador

Para se ter uma ideia, usando como exemplo os resultados do Hidratante Reparador, que tem ativos umectante e emolientes, e usamos os dois métodos acima.

O produto foi aplicado sobre a pele dos voluntários e a hidratação foi medida com o Corneometer®. Ali, foi atestado que o produto promoveu aumento estatisticamente significativo (p<0,001) na hidratação da pele dos participantes da pesquisa após duas (aumento de 76% da hidratação cutânea), seis, doze e vinte e quatro horas após aplicação, além de tendência de aumento até 48hs horas, em relação à hidratação basal (antes da aplicação do produto).

+ Como recuperar a pele após procedimentos dermatológicos? O Hidratante Reparador pode ajudar

Além disso, também testamos com o Tewameter® (que mede a perda de água transepidérmica), por uma questão específica. Ele é um produto que tem excelentes ativos, super recomendados quando o assunto é recuperar e acalmar a pele após procedimentos dermatológicos. A Sallve, então, realizou testes específicos para comprovar a eficácia do produto.

Aqui vale a pena dizer que os testes foram feitos em um grupo de pessoas que fizeram peeling químico com 15% de ácido salicílico. Foram feitas avaliações logo após o procedimento estético, além de 7 e 15 dias depois. As pessoas usaram o Hidratante Reparador de acordo com as instruções de uso em metade da face. Na outra metade, não passavam nada.

+ Todos os tipos de pele precisam de hidratação?

No teste com o Tewameter®, conseguimos comprovar que, após 15 dias, a face tratada com Hidratante Reparador apresentou resultados estatisticamente superiores (p<0,05) de perda de água transepidérmica em relação ao lado sem produto, indicando que o produto ajuda a recuperar a barreira cutânea após procedimento estético.

Já no Hidratante Firmador, usamos o teste com o Corneometer®. Esse teste foi feito aplicando o produto sobre a pele dos voluntários e medindo a evolução da hidratação da pele de cada um deles.

Duas áreas de 25cm2 foram demarcadas no antebraço dos participantes. O produto foi aplicado sobre uma delas e a outra foi mantida como controle. A hidratação foi medida usando um Corneometer® antes da aplicação do produto e após 15 minutos, duas, oito, vinte e quatro e quarenta e oito horas da aplicação.

Após 15 minutos de aplicação, o produto apresentou um aumento de hidratação de 39% e, após 48h depois da aplicação, a hidratação da pele ainda apresentava um aumento de hidratação de 17%, comprovando o efeito alto e prolongado de hidratação.

Tem alguma dica, dúvida ou sugestão? Fale com a Sallve. A gente adora trocar experiências!

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!