Barreira cutânea x barreira lipídica: qual a diferença?

O papo é bom e vai te ajudar ainda melhor a barreira de proteção da pele!

A gente já falou por aqui sobre a barreira cutânea e o quanto ela é importante para a saúde da pele e do nosso corpo também. Porém, vez ou outra você já deve ter visto por aí o nome barreira lipídica da pele. E a dúvida surge: barreira cutânea e barreira lipídica são a mesma coisa ou são diferentes?

Crédito: Pexels

Barreira cutânea x barreira lipídica

Primeiro, vamos relembrar. A barreira cutânea é a camada mais exposta da pele. Ela é composta por células da camada córnea e substâncias que unem essas células (ceramidas, colesterol, ácidos graxos livres). Ou seja, é como se a barreira fosse um muro perfeito. Sendo que os tijolos são as células e as gorduras são o cimento que une esses tijolos da melhor maneira possível.

Pois bem, essa superstar é também conhecida por um outro nome: manto hidrolipídico, filme ultrafino formado por lipídeos, que são em sua grande maioria ceramidas!

Tá, mas e a barreira lipídica? Bem, resumidamente, quando falamos de barreira cutânea/de proteção e barreira lipídica, estamos basicamente falando da mesmíssima coisa.

Crédito: Pexels

Com a palavra, a Dra. Liliana Bechelli Torloni, dermatologista consultora da Sallve. "A barreira cutânea tem componentes lipídicos. E esse é o nome mais correto, mas alguns acabam chamando a barreira cutânea de barreira lipídica ou manto hidrolipídico", explica.

"O estrato córneo (barreira cutânea) é a interface entre o organismo e meio ambiente, sendo fundamental para manutenção da vida. É a camada mais externa da pele e mantém o equilíbrio entre a entrada e saída de substâncias na pele. A porção superficial está em contato com o meio ambiente e as variações externas podem alterar seu nível de hidratação, composição lipídica e organização estrutural. A principal função do estrato córneo é a de barreira. Essa importante função é realizada, principalmente, pelas estruturas do estrato: corneócitos e lipídios que formam largas folhas laminadas intercelulares responsáveis pela barreira estruturada e adaptada ao nosso ambiente", afirma.

Crédito: Pexels

A Dra. Liliana ainda alerta que o equilíbrio entre o conteúdo de água do estrato córneo e de lipídios da superfície cutânea é essencial para a manutenção da aparência e das funções da pele. Se esse equilíbrio é rompido, o resultado é a condição dermatológica conhecida como: pele seca. “Quando a barreira está íntegra, ela está hidratada, ou melhor, mantém sua capacidade de atrair, reter e redistribuir água, bem como a proteção à penetração de substâncias tóxicas”, explica.

Portanto, se você chama de barreira de proteção, manto hidrolipídico ou barreira lipídica, tanto faz. Mas o importante é lembrar: barreira cutânea íntegra é sinônimo de pele saudável e protegida.

Não se esqueça... consultar um dermatologista é sempre a opção mais correta e saudável para cuidar da melhor forma possível da sua pele! ;)

Tem alguma dica, dúvida ou sugestão? Fale com a Sallve. A gente adora trocar experiências!

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading