Mudou? Novos cartuchos para novos encontros

Talvez você já tenha reparado que os cartuchos que envolvem nossas embalagens mudaram. Explicamos tudo aqui!

Com uma linha maior, novos encontros e longas conversas, enxergamos a necessidade de mudar os cartuchos (aquela caixinha que envolve as embalagens, sabe?) dos nossos produtos. A mudança é discreta, mas essencial e traz muito mais informação para quem dá de cara com a nossa família por aí.  O primeiro produto que chegou na casa das pessoas com o novo cartucho foi o Hidratante Antiatrito, mas a linha inteira vai mudar. Aqui te explicamos o que mudou e, claro, por quê!

Por que os cartuchos mudaram?

A nossa linha cresceu bastante nos últimos tempos, você deve ter notado. Isso sem dúvida foi um motivo para repensar nossos cartuchos. Afinal, mudanças são naturais e muito bem-vindas, sempre contando com a parceria tão valiosa da nossa comunidade.

Mas o projeto de novos cartuchos tem muito a ver com um novo encontro que teremos: nas farmácias (explicamos tudo por aqui!). Quem conta um pouco é a Ana Carolina Dellabarba, Senior Creative da Sallve, área responsável por conceito de produto, campanhas de lançamento e estratégia criativa: “Este projeto de cartucho teve muito a ver com projeto de entrarmos nas farmácias. Olhamos para as nossas embalagens e pensamos: em uma prateleira de farmácia nosso cartucho conta bastante quem a Sallve é, mas, ao mesmo tempo, precisávamos ser um pouco mais didáticos para que pessoas que nunca tiveram contato com a gente, entendessem o que nossas fórmulas são e o que elas fazem de incrível na pele das pessoas.”

+ Sallve na farmácia? Sim, juntinho com a nossa comunidade

A padronização da nossa família também surgiu como uma necessidade. “A mudança é parte desse movimento de crescimento de portfólio e de novos pontos de contato com as pessoas. É sobre como a gente consegue ser Sallve e, ao mesmo tempo, dizer todas as informações que a gente precisa. Deixar claro para os consumidores o que aquela fórmula faz e se ela tem chances de combinar com a pele da pessoa”, completa Ana Carolina.

O que mudou?

As mudanças foram discretas, e a ideia nunca foi descaracterizar a carinha já reconhecida e amada dos nossos produtos. “Foi uma mudança muito funcional, mas que não é para parecer que mudamos a marca. Pelo contrário: a gente demorou muito tempo para fazer a mudança mais simples que conseguimos. Não é algo que o consumidor vai olhar e falar, ‘meu Deus, eu não sei mais qual é o meu produto’. Precisamos que as pessoas continuem reconhecendo. Foi uma mudança estrutural muito grande para que, na verdade, as pessoas percebessem muito pouco o que mudou. É só o suficiente para melhorar”, começa Talita Cardozo, uma das lideranças do projeto de mudança dos cartuchos.

A primeira grande diferença é: saem todas as embalagens vazadas e entram caixas fechadas e com uma maior gramatura. Isso permite que elas fiquem em pé em gôndolas, mas também têm a ver com a logística. “Ela é mais grossinha para poder ser mais resistente e proteger melhor tanto o produto que vai estar na farmácia quanto o que vai para a casa das pessoas”, aponta Talita.

A face já conhecida dos nossos produtos (com o nome de cada um bem grande, o logo da Sallve e quantidade do produto) permanece. Do outro lado, sai a face branca e entra muito mais informação para quem pega o produto na mão pela primeira vez. Na frente, ela é igualzinha à embalagem do produto e dá as informações mais importantes que você precisa sobre ele: ativos, as principais funções e benefícios do produto, para quais tipos de pele e a informação de que ele é vegano e sem crueldade. “Deixamos nas cores do produto para que quem já conhece consiga identificar. É como se a gente tivesse achatado o produto físico no cartucho. Deixamos ele em 2D”, descreve Talita.

Nas laterais, agora temos de um lado informações sobre testes clínicos e também uma “régua” que indica em qual etapa da rotina de cuidados o produto se encaixa (limpeza, tratamento, hidratação ou proteção)”, além de um QRCode para quem quiser saber mais informações. Do outro, informações sobre modo de uso, precauções, lista de ingredientes e algumas informações, como os selos do “eureciclo” e “cruelty free and vegan” (o famoso coelhinho).

A ideia também era trazer um pouco da experiência de receber a Sallve em casa para quem vai comprar em um ponto físico. Ao abrir o cartucho do produto, em uma das abas você pode ver o #vivasuapele.

“As informações aqui também replicam um pouco a experiência de você receber o produto em casa. Então, por exemplo: se você abre vai ver o viva sua pele aqui dentro. Quando você recebe o kit em casa, a caixinha, você sempre tem uma mensagem dentro. E agora você vai ter na embalagem também”, completa Talita.

Comunidade sempre presente

Como tudo na Sallve, a mudança dos cartuchos é fruto de uma grande conversa com a comunidade: os novos cartuchos também passaram por colabs para serem aprovados e algumas mudanças foram implementadas após essas conversas.

“Entregamos para cada uma das pessoas uma embalagem antiga e a nossa nova proposta. A maioria das pessoas gostou bastante da nossa nova embalagem, porque explicava muito mais. Principalmente quem não conhecia tanto a Sallve, que pode saber um pouco mais do produto sem ter o histórico ou o contato que outras pessoas tiveram”, conta Ana Carolina.

A empreendedora Yara Geines foi uma das pessoas que esteve nas colabs, e que deu a ideia de deixar a informação de que o cosmético é vegano e cruelty free mais aparente, na frente da caixa. “Foi minha primeira experiência em colab, nunca tinha participado, eu gostei muito. A mudança dos cartuchos é importante para uma melhor visualização do produto pelos clientes. Ficou muito bom. O que eu mais gostei foi ter os testes, as advertências e o modo de uso. Fiquei muito feliz que colocaram essa informação de ser uma fórmula vegana, ficou muito legal."

A Della explica um pouco mais: “Tínhamos deixado essa informação na lateral, mas falaram que era importante ter na frente, porque era uma decisão de compra para elas. É uma informação super relevante. Então, a gente colocou na frente. Gostaram muito da indicação de tipo de pele, que é uma coisa que a pessoa bate o olho e já consegue saber se vai funcionar para a pele dela ou não. Acharam bem interessante também a parte da régua, de indicação de qual etapa da rotina aquele produto se encaixa (limpeza, tratamento, hidratação, proteção)”.

A empresária Telma Souza, 47 anos, também participou da colab e achou que a mudança é essencial para vendas em pontos físicos. “A mudança para a venda em farmácia é ótima, porque as embalagens são abertas na parte de cima, o que complicaria a integralidade do produto. Lembro que pedi para deixar em evidência os passos de uso e para reforçar os símbolos de livre de crueldade, vegano etc. Acho essenciais essas informações, porque tem gente (como eu) que procura por isso”, relembra.

Reciclável? Sim, é claro!

Vale lembrar que nossas embalagens seguem 100% recicláveis. O Brasil é um dos maiores consumidores de produtos de beleza no mundo, atrás de Estados Unidos, China e Japão. Ou seja, a quantidade de lixo gerada só pode ser enorme, causando um problemão para o meio ambiente. Portanto, reciclar é preciso! Assim como observar com cuidado as embalagens dos produtos que você escolhe.Já falamos sobre isso aqui, mas se você reparar, nas nossas embalagens temos o selo do “eureciclo”, que conecta marcas de bens de consumo com recicladores, promovendo reciclagem com responsabilidade social, através da compensação ambiental.

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!