Turnê Sallve: Rio Grande do Sul

Nossa parada pelo Rio Grande do Sul trouxe o contraste não só da temperatura como do skincare!

Na última quarta-feira (05.08), nossa Turnê Sallve foi lá para o Sul do Brasil e aterrissou no Rio Grande do Sul, onde nossos convidados continuaram a conversa sobre pele exatamente onde nossa edição no Mato Grosso do Sul parou: o clima de extremos. "Tenho pele mista a oleosa, e uma das coisas que mais sinto hoje em dia é essa mudança de temperatura: no verão faz muito calor e no inverno muito frio", conta Laura Paré. "Tenho impresão de que se eu não ficar passando hidratante direto fico com a pele cinza, o que me incomoda muito."

Essa parada da Turnê Sallve foi marcada por "novatos do skincare". A turma que representou o estado na nossa colab virtual, em sua grande maioria, começou a se interessar por skincare e cuidar da sua pele há pouco tempo, mas já sente diferenças significativas em suas peles. No caso da Laura, ela prefere deixar o fim de semana para uma rotina mais extensa, e de tão animada que fica, já aproveita e faz junto uma hidratação no cabelo: "É quando fico mais pilhada para cuidar da pele", ela contou.

"O país esquece muito do fora do eixo RJ-SP. As vivências da gente no Rio Grande do Sul são completamente diferentes da vivência de quem está no Norte."

Laura Pavé

Outra coisa que Laura já aprendeu é que a pele responde a muito mais do que uma rotina de skincare: "Tenho me dado conta de que muitas vezes quando fico com mais espinha ou pele oleosa há uma ligação com minha alimentação, então tento adaptar e fazer com que elas caminhem juntas - faz parte do meu autocuidado", explica. Outra coisa que ela descobriu sobre si mesma desde que começou a fazer uma rotina de skincare mais disciplinada? Que ela cuida muito mais da pele no verão do que no inverno!

A Ani Tondin também começou a cuidar melhor da sua pele recentemente: "Claro que desde sempre convivo com ela, mas nunca tive um cuidado específico - talvez até por nunca ter tido muitos problemas de pele", contou. "Sou de uma família super humilde, então meus pais sempre achavam que cuidar da pele era algo fútil: você pode usar o mesmo sabonete que passa no corpo no rosto. Mas no fim do ano passado tive uma alergia de pele super forte, que não foi no rosto, e decidi procurar pela primeira vez um dermatologista. Foi ele que me disse que tenho dermatite atópica, e só então comecei a ter cuidados mais específicos com a minha pele."

O susto de uma dermatite atópica fez com que a Ani começasse a cuidar da pele do rosto também. E a mesma abordagem que ela tem com sua pele do corpo ela aplica na sua rotina de skincare no rosto: "Não sou de passar dez produtos no corpo, então ter um Limpador Facial e um Antioxidante Hidratante para mim é o suficiente. Eu comecei minha relação com a minha pele do rosto quando a Sallve nasceu, na verdade! Inclusive com maquiagem: eu nunca ligava para validade ou qualidade, agora já tenho uma consciência maior."

Um projeto bacana da Ani durante a quarentena foi, quando se viu obrigada a não comprar mais novos cosméticos, usar tudo o que já tinha em casa: "Acabei com cremes que eu nem gostava muito", relembrou. Nesse mesmo processo, outra coisa que diminuiu seu consumo de cosméticos foi se acostumar a comprar pela internet: "Foi uma experiência muito boa, e comecei a reparar que influencers que falavam mal de um produto que eu queria investir às vezes usavam 15 outros aos quais eu não tinha acesso, então acabava querendo experimentar assim mesmo, e funcionou muito bem para mim. Ao mesmo tempo, também gosto de ouvir mais as pessoas que estão em volta de mim, que eu conheço."

"O online deu certo comigo: compro menos, com mais pesquisa e mais cuidado."

Ani Tondin

A Bea começou a cuidar da sua pele esse ano: "Nunca tive nenhum problema com minha pele, só lavava o rosto com água. Agora que completei 19 anos, passei por uma diferença de clima muito grande e minha pele sentiu muito: comecei a ficar com poros muito visíveis e muitas espinhas. No verão minha pele ficava muito oleosa, no inverno ficava muito seca", ela contou. "Quando começou a quarentena comecei a juntar dinheiro e investi no Antioxidante da Sallve, protetor solar, e comecei a cuidar da minha pele, que está totalmente diferente. Meu nariz em nenhum momento ressecou, minha pele está ótima. Vi a diferença imediata de uma pele hidratada."

O que Bea já aprendeu em tão pouco tempo? "Quando não lavo o rosto antes de dormir, no dia seguinte minha pele se rebela, porque ficou produto ficou na pele."

"Minha rotina de cuidados com a pele virou sinônimo de um dia bom, porque quando acordo muito bem, faço ela com calma e mais cuidado."

Bea

Na vez de Janderson, ele contou que sempre foi apenas do básico, como máscaras caseiras. Mas em 2018, após pegar catapora - que deixou marquinhas e cicatrizes, ele resolveu procurar uma dermatologista: "Mas comecei a me preocupar mais com minha pele quando comecei a ver que muitas manchinhas que eu tinha no rosto não eram da catapora. Nunca tive muitas espinhas mas sempre tive bastante cravo, e a gente que tem a narina escura sabe que sempre que tira cravo fica uma mancha", contou. "Sempre tive manchas escuras no meu rosto por conta de cravos, então comecei a fazer tratamento com dermatologista para deixar minha pele o mais uniforme possível. Fiz um tratamento por seis meses e deu muito certo, então comecei a me cuidar mais dentro dessas recomendações.

"Minha pele é parte de mim e minha rotina é uma parte muito importante do meu dia. Minha pele também é muito oleosa no verão e muito seca no inverno também."

Janderson

Mauricio, a metade do Instagram @maisumcasalpreto, também é dos novatos: "Minha relação com cuidar com a pele tem 30 dias. Nunca tive um exemplo de cuidado com a pele. Minha mãe não cuida da pele, ela usa o creme barato para não ficar cinza no rosto e no corpo", contou.

"Eu como homem negro no Rio Grande do Sul, sofro com esse frio e esse calor, ainda mais de barba - tenho espinha, cravo, alergia, tenho tudo, então vi que precisava de um creme específico para a minha pele do rosto. E pele negra é um pouco mais oleosa, teimosa em receber cuidados, mas os cremes da Sallve me salvaram. Agora sinto a diferença de cuidar da minha pele - ela está muito mais viçosa, mais viva, mais bonita. Vocês abriram meus olhos."

Michele, a outra metade do @maisumcasalpreto, por sua vez, contou que sempre viu sua mãe cuidando da pele, mas só começou a cuidar da sua mesmo por agora: "Foi quando comecei a comprar produtos específicos para o rosto. Antes, o que eu passava na pele era o mesmo que passava no rosto. Agora que estou entendendo que minha pele é mista, que quando está frio ela fica super seca e até vermelha e quando está calor suo muito, então agora que estou começando a me cuidar." Um dos produtos que ela mais gosta de usar? Água termal: "Vi que fez muita diferença para a minha pele e também não a deixa muito oleosa", mandando a real sobre morar no Rio Grande do Sul: "O que mais me irrita são as mudanças bruscas de temperatura!"

"Fui aprendendo que a gente precisa valorizar a nossa pele. Por mais que a gente que tem pele negra pense que não envelhece, a gente precisa cuidar, senão em algum momento sua sorte vai acabar. Não é só porque você tem sua pele bonita que você não precisa cuidar"

Michele

Uma realidade entre casais que Michele levantou na Turnê foi o uso em conjunto dos (seus, no caso), cosméticos: "O Mauricio rouba todos os meus produtos de skincare caros!", brincou. "Mas precisamos colocar como meta separar nossos produtos. Cada um tem que usar o seu." Apoiadíssima!

Fechando nossa conversa de skincare, Laura Küchle foi na contramão dos novatos: "Desde que me lembro por gente tenho uma relação forte com minha pele, pois também tenho dermatite atópica. Então esses cuidados começaram quando eu era bebê - desde sempre frequento dermatologistas", contou. "Fui encontrando tratamentos no decorrer da infância. Os médicos me diziam que quando eu entrasse na adolescência isso ia passar e realmente, acabou passando, então hoje é muito pontual - quando faz muito frio tenho alguma alergia."

Apaixonada por skincare, Laura contou que começou a usar cremes com 13 anos: "Era muito novinha e minha mãe sempre usou muitos cremes, eu sempre via ela fazendo e queria fazer, então sempre teve esse incentivo - que hoje rola ao contrário!", brincou.

"Continuo indo na dermatologista, mas hoje gosto de descobrir produtos diferentes, que sempre mostro para ela, claro. Mas tem muitos altos e baixos: tem períodos que tenho a maior vontade de estar me cuidando e fases que só quero passar protetor solar e acabou."

Uma turma de bebês do skincare com um membro do time que se cuida desde bebê por problemas de pele: o contraste combina perfeitamente com o clima da região, né?

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading