Como os produtos da Sallve ajudam a manter a barreira cutânea da sua pele íntegra

Como cada produto da Sallve age para proteger a barreira cutânea da sua pele? Aqui a gente te explica tudinho.

barreira cutânea

Sempre que falamos sobre a nossa pele, especialmente a oleosa, fazemos questão de falar sobre a importância de mantermos nossa barreira cutânea íntegra. É que foram tantos anos da gente achando que pele limpa pra valer é pele repuxando, sem qualquer vestígio de oleosidade, tantas décadas achando que não podia hidratar de forma alguma pele oleosa, confundindo oleosidade com hidratação, que nos esquecemos de levar em conta a proteção da nossa pele.

"Essa sensação de pele hiper seca e repuxando, pra muita gente, é 'ufa, consegui tirar toda a umidade e oleosidade'. Não é verdade. Você está estragando sua pele, sensibilizando sua pele".

Julia Petit

Mas a pele repuxando é o oposto de sucesso no skincare: a pele repuxando é sinal de alerta, de que não apenas você pode ter limpado sua pele: você tirou junto com a sujeira toda a barreira cutânea (ou lipídica) que sua pele tem e que precisa ter para ser saudável.

+ Cuidado com a pele repuxando depois de esfoliar!

Qual é a função da barreira cutânea da nossa pele?

A barreira lipídica é a camada mais exposta da pele. Ela é composta por células da camada córnea e substâncias que unem essas células (ceramidas, colesterol, ácidos graxos livres). Pense nela como um muro perfeito, sendo que os tijolos são as células e as gorduras são o cimento que une esses tijolos da melhor maneira possível.

A barreira lipídica é um escudo de proteção da sua pele e do seu corpo: se por um lado ela retém a hidratação da sua pele, impedindo que o nosso corpo se desidrate, por outro ela protege sua pele de todas as agressões externas - raios solares, calor, diferenças de temperatura e daí por diante.

+ Barreira cutânea x barreira lipídica: qual a diferença?

Quando ela está danificada, você pode ter vermelhidão, sensibilidade, coceira e o temido efeito rebote - que nada mais é do que uma reação de proteção da pele. Pense assim: água não mistura com óleo, certo? Se você tem uma barreira de óleo sobre a pele, a água fica "presa", sem conseguir atravessar a barreira de óleos. É assim que sua pele se mantém hidratada. E pele hidratada, como a gente já te explicou, é pele saudável e protegida, com barreira cutânea íntegra.

Por tudo isso, a reposição da barreira lipídica da sua pele é uma função que todos os produtos da Sallve têm em comum - da etapa de limpeza até a etapa de tratamento e hidratação. E como essa ação de reposição da barreira lipídica acontece em cada um dos nossos produtos? Pela escolha de ativos que vão agir especificamente nessa frente:

+ O que é barreira cutânea e qual sua função na nossa pele?

No Bálsamo Demaquilante, o óleo de macadâmia e seus ômegas 7 e 9 cumprem essa função por emularem os principais ácidos graxos já presentes na barreira lipídica da nossa pele, ao mesmo tempo em que demaquilam.

No Limpador Facial, essa reposição da barreira cutânea acontece graças ao phytoesqualano, cujas moléculas são muito próxima de um composto que a pele produz naturalmente. E aí o que acontece? Nosso organismo as reconhecem e as processam como se elas tivesse sido produzida por ele mesmo, absorvendo-as radicalmente e promovendo assim a reparação da barreira natural da sua pele.

No nosso Esfoliante Enzimático, essa reparação acontece graças aos ômegas 6 e 9 em sua fórmula, de origem natural (extraídos de óleos vegetais). Eles são gorduras saudáveis que, com uso tópico, restauram a barreira da pele e regeneram as células danificadas. "Nosso esfoliante conta com uma carga oleosa relativamente alta comparada aos esfoliantes do mercado. Isso faz com que, mesmo quando ele é enxaguado, um resíduo oleoso fique no rosto - propiciando uma leve hidratação que previne o ressecamento excessivo da pele recém esfoliada (ou seja, descamada)", explica Marcus Amaral, da equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Sallve. "Esse resíduo oleoso (dos óleos vegetais que estão na fórmula, principalmente o de acabate) que fica no rosto funciona como reposição da barreira lipídica da pele e é ele que tem os ômegas 6 e 9."

Já no Tônico Renovador, a escolha de não incluir o álcool em sua formulação foi especificamente para que não houvesse risco de forte ruptura da barreira cutânea. Embora a fórmula conte com três AHAs, a ação esfoliante do trio é equilibrada pelos extratos de physalis e alcaçuz, que são calmantes e reduzem o risco de irritação da pele.

No Sérum Antiacne, é a niacinamida que faz esse papel. Ela estimula a síntese de ceramidas e ácidos graxos mas também da queratina e da filagrina, que ajudam a reter água, promovendo a hidratação da pele. Assim, ela repara a barreira cutânea, além de todos os seus vários benefícios.

Por terem a ação hidratante do ácido hialurônico, além de outros ativos hidratantes, o Antioxidante Hidratante e o Hidratante Firmador também agem diretamente na manutenção da barreira cutânea da pele. No Antioxidante Hidratante, a niacinamida é um dos ativos que cumpre esse papel, enquanto no Hidratante Firmador, o extrato de tara hidrata a pele ao formar um filme sobre ela, que atrai água do ambiente e ao mesmo tempo ameniza a perda de água pela nossa pele, enquanto o extrato de ruibarbo reforça os mecanismos naturais de hidratação da pele aumentando a síntese de filagrina (proteína responsável pela coesão dos filamentos de queratina, sendo fundamental para a função de barreira), involucrina (proteína fundamental para a estrutura do envelope celular que protege ascélulas queratinizadas) e ceramidas (que compõem a barreira da pele), promovendo uma hidratação estrutural a longo prazo.

As duas fórmulas, por sua vez, contém ácido hialurônico - um poderoso hidratante que mantém a pele hidratada e com sua barreira cutânea íntegra.

No nosso Sérum Uniformizador, a niacinamida volta a brilhar, aqui em dupla com o óleo de rosa mosqueta: rico em ácidos graxos e com efeito regenerador, ele restaura a barreira cutânea e reforça a síntese de colágeno, promovendo firmeza à pele - além de ter propriedades cicatrizantes, antioxidante e hidratante.

Mas pera, óleo? Pode? E a pele oleosa?

Pode sim! Todos os nossos produtos foram testados como não-comedogênicos, ou seja, eles não obstruem os poros. "Tudo na pele é uma questão de equilíbrio", explica Dra. Denise. "A pele tem uma necessidade de produção de óleo, então às vezes, se você já está dando esse óleo de fora para dentro, a pele entende que não precisa produzir mais", ensina Dra. Denise Steiner.

+ Óleo na pele oleosa: mas pode?

Ainda dentro desse equilíbrio da oleosidade, o uso de produtos não-comedogênicos com óleo em sua formulação muitas vezes entregam para a sua pele um óleo que ela já produz em alguma escala (são os cosméticos biomiméticos), fazendo com que sua barreira lipídica mantenha-se sempre estável, sem aquele efeito ressecado de pele repuxando, que pode acabar mandando a mensagem para suas glândulas sebáceas de que elas precisam produzir mais óleo para compensar o desequilíbrio - também conhecido como efeito rebote: quanto mais óleo você tira da sua pele, mais ela produz.

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading