9 dicas simples para cuidar da pele oleosa

Cuidar da sua pele oleosa não precisa ser complicado. Aqui reunimos 8 dicas que vão te ajudar a montar sua rotina e evitar cravos e espinhas no caminho!

dicas pele oleosa

Você que tem pele oleosa pode até achar que só você vive de aprender a cuidar dela, evitando cravos, espinhas e o tão temido efeito rebote. Mas aqui no Brasil pele oleosa é maioria, viu? Para se ter uma ideia, as estimativas apontam que 80% da população brasileira tem pele oleosa ou mista. No nosso quiz da pele, 37% da nossa comunidade se encaixa no perfil da pele oleosa.

E cuidar da pele oleosa é isso mesmo: uma jornada de aprendizados e constante diálogo com a sua pele. Pode hidratar todo dia? Tem que tirar todo o óleo dela mesmo?

Aqui, reunimos oito dicas simples para te ajudar a cuidar da sua pele oleosa, de dicas de texturas à sugestão de um olhar mais carinhoso sobre sua pele. Vamos lá?

Customize sua rotina para o seu tipo de pele

O primeiro passo ao pensar no cuidado com a pele oleosa é escolher produtos e texturas indicados para esse tipo de pele. De limpadores faciais ao protetor solar, o ideal é optar sempre por fórmulas não comedogênicas, ou seja, que não entupam os poros, e que vão te ajudar a controlar a produção excessiva de oleosidade sem causar cravos ou espinhas ou ainda o tão conhecido efeito rebote. Séruns, por exemplo, são excelentes para o tratamento da pele oleosa por terem a textura bem leve e de rápida absorção, reunindo uma concentração alta de ativos.

+ Séruns da Sallve: diferenças, ordem e como combinar

Há ativos, aliás, que são grandes estrelas para o tratamento da pele oleosa e são bem-vindos em uma rotina de skincare de pele oleosa, como o ácido salicílico, que limpa profundamente os poros e remove o excesso de oleosidade, a niacinamida, que tem ação seborreguladora, ou ainda o extrato de hamamélis, um clássico dos tônicos, que é um excelente adstringente natural.

+ Montando uma rotina para sua pele oleosa

Limpeza equilibrada

Uma das três principais etapas de uma rotina de skincare, cuidar de como se lava o rosto é fundamental para tratar a pele oleosa. Depois de anos acreditando no mito de que pele limpa é aquela que fica repuxando, sem qualquer resquício de oleosidade, é importante lembrar que uma limpeza delicada mas profunda é possível e faz parte dos cuidados com a pele oleosa também, para evitar que sua barreira cutânea fique desequilibrada, causando irritação, ainda mais cravos e espinhas, irritação e sim, mais oleosidade ainda.

+ Ah, e seu limpador deve ser específico também para a limpeza da pele do rosto, tá?

"Muita gente acha que a pele só está limpa mesmo quando tem aquela sensação de muita refrescância ou de pele repuxando", diz Dra. Monalisa Nunes, dermatologista consultora da Sallve. "Isso não é bacana. A sensação que você deve ter é da pele normal. Se você lavou o rosto e está com uma sensação urgente de que precisa passar um hidratante, com a pele esturricada, é porque aquele sabonete não é adequado para a sua pele."

+ Limpeza da pele oleosa: pode entrar, Limpador Facial!

Tônico: esse grande amigo da pele oleosa

O tônico faz a transição entre as etapas de limpeza e tratamento da pele, e é um ótimo amigo da pele oleosa. Ele limpa os poros em profundidade e, se tiver ácidos como os AHA em sua fórmula, como o Tônico Renovador da Sallve, promove a renovação celular, que remove as células mortas e ajuda não só com a desobstrução dos poros como a diminuição dos poros dilatados. Outra característica comum dos tônicos é a função adstringente, que remove o excesso de oleosidade da pele.

O tônico entra ali logo após a limpeza do rosto e antes da etapa de tratamento (como séruns e produtos tópicos, se você usar) ou hidratação.

+ Tônico Renovador: adstringência sem ressecar

Esfoliação: mais uma aliada

A esfoliação também é uma aliada incrível nos cuidados com a pele oleosa, ajudando na desobstrução dos poros e renovação celular.

+ Por que é importante limpar a pele antes de fazer sua esfoliação?

Nosso Esfoliante Enzimático remove o excesso de sebo produzido pelas glândulas sebáceas e o acúmulo células mortas da superfície da sua pele, que é o que entope seus poros e, por consequência, propicia o aumento de cravos, espinhas e até pústulas. Tudo isso sem deixar sua pele repuxando, já que seu passo final é promover a reposição da sua barreira lipídica.

O Esfoliante Enzimático ajuda ainda na remoção de cravos, como te mostramos no vídeo abaixo:

Hidratação: fundamental também para a pele oleosa

Em nossas tantas conversas com nossa comunidade nas séries #vivasuapele e #jornadadapele, é comum ouvirmos sobre o medo antigo do hidratante, quando o assunto é pele oleosa. Só que a hidratação é um passo essencial também para o cuidado desse tipo de pele, afinal, pele oleosa e pele hidratada são duas coisas completamente diferentes.

Quando sua pele está desidratada, ela perde o viço e, especialmente no caso da pele oleosa, pode produzir ainda mais óleo como mecanismo de defesa, para repor sua barreira cutânea. "O hidratante serve para recuperar a barreira cutânea, para deixar uma pele controlada, com todos os seus fatores de hidratação e proteção equilibrados - afinal de contas, nossa pele é uma barreira entre o interno e o externo do nosso organismo, então tudo tem que estar equilibrado. E o hidratante é peça chave para isso também na pele oleosa", ensina Dra. Camila, que ressalta: a pele precisa ser hidratada todos os dias sim!

Para Dra. Camila Rosa, o medo tão recorrente do hidratante por quem tem pele oleosa é consequência do uso de fórmulas que não foram pensadas para esse tipo de pele, e que podem mesmo causar cravos ou espinhas ou deixar a pele com aspecto mais oleoso mesmo. O mesmo vale para hidratantes corporais, que não devem ser usados no rosto, especialmente se você tem pele oleosa. Por isso, voltamos à primeira dica: escolha um hidratante com fórmula e textura que funcionem na sua pele e que sejam não comedogênicos. Só não deixe de hidratar!

+ Hidratante Firmador: muito mais do que hidratação em textura sérum-gel

Não esprema espinhas!

O mantra é dos primeiros que ouvimos antes mesmo de começarmos a cuidar de fato da nossa pele, mas nunca custa repetí-lo. "Quando você espreme uma espinha você aumenta aquela inflamação, que é uma das bases da acne, e prolonga esse período de cura. Pode acontecer também de você aprofundar ainda mais essa inflamação, aumentando o risco de hiperpigmentação pós-inflamatória (que são as manchinhas), e da formação de cicatrizes", explica Dra. Monalisa Nunes, dermatologista consultora da Sallve.

+ Como funciona a ação secativa do Sérum Antiacne?

Outra dica importante? Não deixe a espinha "secar sozinha": "Quanto mais tarde você tratar dela, mais complicado é. Dá muito mais trabalho e custa muito mais caro", já nos ensinou a dermatologista Dra. Juliana Piquet, citando cicatrizes como consequência de espinhas não cuidadas a tempo.

Cuidado com o banho quente

Especialmente no inverno, é impensável não pensar em um banho quente para espantar o frio ou relaxar no fim do dia. A água quente, porém, afeta diretamente a barreira cutânea da pele, removendo a oleosidade natural produzida pela pele como forma de proteção, além de desidratar a pele. "Com essa desidratação, a pele entende que precisa produzir ainda mais óleo, o que, além do efeito rebote, pode causar uma dilatação dos poros", lista Dra. Camila Rosa.

Mas precisa apelar para a ducha gelada? Não! "A água pode ser morna. Nesta temperatura, ela consegue remover a oleosidade da pele sem excessos e limpá-la sem agredir sua barreira cutânea", ensina a Dra. Camila.

Outra maneira de integrar a água fria à sua rotina de cuidados com a pele sem radicalismos é finalizar seu banho morno com uma boa chuveirada de água fria (bastam dez segundos) e sempre usar água fria quando for lavar o rosto.

Protetor solar sempre

Sim, todos os dias, mesmo dentro de casa ou no inverno. "O Sol estimula ainda mais a produção das glândulas sebáceas, piora a inflamação de espinhas e aumenta a intensidade e frequência das manchas", explica Dra. Monalisa Nunes, completando que a radiação solar por si só já causa inflamação na pele, pela própria queimadura.

+ Como passar protetor solar (e reaplicar também)

+ Protetor Solar FPS 60 da Sallve: conheça sua defesa multifacetada

Não lute contra sua pele oleosa

Para encerrar, uma dica essencial: não lute contra sua pele oleosa. A ideia de que só quando conseguirmos retirar toda a oleosidade conseguimos controlá-la é antiga e pode gerar muito mais problemas para a sua pele.

"As pessoas confundem a oleosidade natural da pele com pele suja", comenta nossa Julia Petit. "Sim, a sua pele pode estar produzindo muito óleo, mas isso não significa que ela está suja. É tão estranho, é quase como se as pessoas se sentissem sujas com a própria hidratação natural da sua pele. Você não vai nunca conseguir mudar seu tipo de pele. Ela vai ser sempre oleosa, ou mista, e daí por diante", continua Julia. "O que você precisa fazer é reequilibrá-la, para que o óleo seja produzido na quantidade certa para o seu tipo específico de pele, sem ressecá-la".

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!