Penetração ou permeação? Como o ativo alcança a camada da pele

Adsorção, absorção, penetração ou permeação: você conhece a diferença entre essas palavras que aparecem quando se fala de ativos cosméticos?

Quando nos informamos sobre como um cosmético ou um ingrediente específico age na nossa pele, encontramos facilmente quatro palavras que descrevem esta ação: adsorção, absorção, penetração ou permeação. Mas você sabe o que significa cada uma delas? Qual a diferença entre uma e outra? É o que vamos entender hoje.

Pra começo de história, vamos relembrar quais são as camadas da pele.

Camadas da pele

  • Epiderme: a primeira e mais externa, onde se forma a barreira cutânea, que por sua vez é composta de células do estrato córneo e substâncias que unem essas células (ceramidas, colesterol, ácidos graxos livres), formando um muro perfeito, uma barreira de proteção física, microbiana e química.
  • Derme: a camada intermediária da pele, formada por fibras de colágeno, elastina e gel coloidal, que dão tonicidade, elasticidade e equilíbrio à pele, e por grande quantidade de vasos sanguíneos e terminações nervosas.
  • Hipoderme: a última camada é formada de células de gordura.

Adsorção, absorção penetração ou permeação?

Em poucas palavras, a diferença entre penetração, absorção ou permeação é até onde chega e age o ativo do cosmético aplicado sobre a pele.

  • Adsorção: como o próprio nome sugere, o ativo cosmético se adsorve na superfície da pele, sem atravessar as diferentes camadas que a compõe.
  • Penetração: é um ativo cosmético que consegue atravessar o estrato córneo da primeira camada, alcançando as camadas mais superficiais da epiderme. A penetração pode ser chamada também de absorção cutânea.
  • Permeação: se trata de um ativo cosmético que consegue agir em mais camadas, chegando até a derme, mas no entanto, não alcança os vasos sanguíneos. A permeação pode ser chamada também de absorção transcutânea.
  • Absorção: é um termo usado para medicamentos e situação em que o ativo não chega até a corrente sanguínea. Para cosméticos, não é desejável que o ativo chegue até o sangue.

Como o ativo chega em cada camada?

Para responder como o ativo alcança o lugar exato de sua ação, procuramos o Professor Adjunto na Universidade Federal de Santa Catarina, Dr. Thiago Caon, especialista no assunto.

"Um ativo cosmético pode apresentar uma ação mais superficial como no caso dos protetores solares, repelentes de insetos e produtos de maquiagem; ou uma ação nas camadas mais profundas da pele, como acontece com os anti-sinais. Enquanto o primeiro grupo de ativos não deve penetrar a pele, ou seja, atravessar o estrato córneo, que é a camada da pele mais externa, o segundo grupo deve alcançar a derme. Nesta última situação, é preciso que o ativo penetre o estrato córneo, permeie a epiderme viável e, finalmente, alcance a derme, uma camada altamente hidratada composta de colágeno e elastina. Além dos alvos mencionados até agora, há ativos que podem exercer sua ação nos anexos da pele, como acontece com os produtos utilizados no crescimento capilar, cujo alvo são os folículos pilosos, e antitranspirantes, que devem alcançar glândulas sudoríparas. Mas e como estes ativos alcançam nestes alvos?

Nanotecnologia: camadas profundas

"A nanotecnologia aplicada à cosmética refere-se à utilização de pequenas partículas contendo ativos cosméticos que são capazes de penetrar nas
camadas mais profundas da pele, potencializando os efeitos do produto", indica um estudo da UFPR - Universidade Federal do Paraná.
Essas partículas que contém ativos são realmente pequenas: nos cosméticos, têm tamanho de 200 e 500 nm, sendo que 1 nm corresponde a um milésimo de milímetro. É a nanotecnologia que protege os ativos da oxidação, antes de penetrarem nas camadas mais profundas do tecido, no nosso Antioxidante Hidratante.

antioxidante hidratante


"O maior desafio é certamente permitir que os ativos alcancem as camadas mais profundas da pele. Além de incluir na formulação agentes capazes de modificar as propriedades de barreira da pele, deixando-a mais permeável, a nanotecnologia também pode ser utilizada para este propósito. Os lipossomas, um dos tipos de nanopartículas utilizados na área cosmética, apresentam uma composição bem parecida com as membranas biológicas, sendo utilizados para o encapsulamento de ativos que necessitem alcançar as camadas mais profundas da pele. Em geral, estes sistemas são compostos de fosfolipídios, mas podem conter outros agentes capazes de deixar estas partículas mais flexíveis ou então promover uma desestruturação do estrato córneo, os chamados promotores de penetração, permitindo o alcance da derme", explica o professor da UFSC.

Dr. Thiago Caon aponta ainda que as "nanopartículas podem também ser utilizadas com outras finalidades. No caso dos protetores solares, nanopartículas oferecem maior proteção e não deixam a pele esbranquiçada após a aplicação do produto".

Ativo x veículo

Outro fator que influi na penetração ou permeação são as propriedades do ativo, como ele se comporta em um determinado veículo (sérum, creme, gel, mousse) e os emulsionantes.

"Os ativos cosméticos, por si só, podem apresentar algumas características que proporcionam uma maior ou menor afinidade pela pele. Quanto menor for o tamanho e afinidade destas moléculas pela gordura, mais facilmente transitam pelas camadas superficiais da pele, o que não acontece quando elas chegam na derme, já que esta camada tem uma natureza muito mais aquosa. Quanto mais hidratada estiver a pele, mais facilmente as moléculas conseguem permeá-la e alcançar regiões mais profundas, Esta hidratação muda com a idade, sendo maior em peles mais jovens", explica o professor de Ciências Farmacêuticas.

Como já vimos aqui no blog, tanto o ácido hialurônico quanto o colágeno produzidos pelo nosso corpo, responsáveis pela hidratação e elasticidade, têm as suas produções naturais diminuídas a partir dos 25 anos. Por isso é tão importante manter a rotina de skincare diária.

"Além dos ativos cosméticos, estas formulações podem apresentar polímeros, óleos, emulsionantes e outros agentes, os quais acabam por interferir na taxa com o que os ativos são transferidos para a pele. Os emulsionantes, por exemplo, constituintes utilizados para estabilizar cremes/loções, podem aumentar a fluidez de membrana ou promover a extração de lipídeos ou proteínas do estrato córneo, o que afeta as propriedades de barreira da pele, deixando-a mais permeável. Durante a fase de desenvolvimento de novos cosméticos, várias bases são testadas até se chegar em uma formulação que permite que o ativo encontre seu alvo de ação". 

Estudos consultados no texto

"Penetração de ativos na pele: revisão bibliográfica", Natália Cristina Alves / Medicina do Centro Universitário UnirG, Gurupi - TO / Amazônia Sci Health.

"Eficácia de Produtos Cosméticos: Importância da Penetração de Ativos na Pele", Comissão da Indústria Cosmética / CRF-PR.

"Nanotecnologia Aplicada aos Cosméticos", Baril, M.; Franco, G; Viana, R; Zanin, S. M. / UFPR - Departamento de Farmácia - Laboratório de Farmacotécnica.

vamos conversar?

mais do blog

Turnê Sallve Bahia

Turnê Sallve Bahia

Alô, alô! A Turnê Sallve desembarcou na Bahia! A conversa contou com os nossos embaixadores Luciellen Assis e o Matheus Araponga e convidados
Saiba mais

buscar

sua sacola

  • Loading