Adolescência: quais são os cuidados com a pele jovem?

Tem dúvidas de como cuidar da pele jovem? A dermatologista consultora da Sallve explica quais são os cuidados para adolescentes.

Recebemos muitas dúvidas da nossa comunidade sobre como cuidar da pele em diferentes fases, tipos ou estado de pele. Algumas delas eram perguntas específicas sobre a pele de adolescentes: e são elas que responderemos hoje.

Se você também tem dúvidas ou tem curiosidade de saber mais sobre um determinado assunto / ingrediente / cuidado de skincare, nos escreva aqui nos comentários do blog ou nas nossas redes sociais.

David Gomes / Pexels

Cuidados com a pele adolescente

"Essa é uma pele que está passando pela fase de transição hormonal, com o aumento das substâncias que deixarão a pele oleosa", explica a Dra Liliana Bechelli Torloni, dermatologista consultora da Sallve.

"É o momento que surgem os cravos (os primeiros a aparecer!), as inflamações, as espinhas, a dermatite seborreica. Em geral, a pele do adolescente é mista com tendência a oleosa", explica a dermatologista.

O primeiro passo na rotina de skincare, e o mais importante, é a limpeza facial - o que vale como lição pra vida toda. Higienizar a pele todos os dias é essencial para mantê-la saudável e para garantir que sua rotina de cuidados tenha uma melhor eficácia (alô Limpador Facial). A pele limpa permite uma maior penetração dos ativos cosméticos, fazendo com que o tratamento tenha resultados mais satisfatórios.

A escolha dos ingredientes

"As opções são ingredientes que atuem na renovação celular, que tenham ação antioxidante, adstringente", indica a Dra Liliana. O veículo (ou seja, as formas de diferentes estados físicos, como gel, sérum, emulsões, etc) deve sempre ser "leve e não gorduroso, como o sérum ou o gel", aponta a dermatologista.
"A compreensão dessa pele não é a idade, mas sim como ela está se comportando. Há pessoas que com 12 anos já apresentam a pele que terão com 18 anos, pois os hormônios já começaram a ter efeitos", ensina a Dra Liliana.

O que evitar?

Procurar ingredientes que não sejam comedogênicos é um adianto, já que podem causar o entupimento dos poros. Um produto é considerado comedogênico quando ele pode obstruir os poros, facilitando ainda mais o aparecimento de cravos e espinhas.
Ou seja, nada de petrolatos e óleos vegetais pesados, como o óleo de coco, que é muito comedogênico. Produtos à base de álcool, como muitos tônicos, removem óleo em excesso da sua pele e podem causar efeito rebote, gerando inflamações e até causando mais espinhas. E é exatamente o que não queremos, ainda nessa fase da vida.

Um cuidado essencial é o de não espremer as espinhas, por mais que você adore ficar na frente do espelho tratando o rosto como um campo de batalha. Quando você espreme um cravo, pode estar, na verdade, empurrando o sebo e as bactérias para o fundo do poro causando inflamação e até mesmo uma espinha. O que pode também evoluir para uma cicatriz. O ideal é que a extração seja feita por uma profissional através da limpeza de pele, para diminuir o risco de inflamações em vez de aumentar o problema. 

Lavar o rosto muitas vezes na tentativa de combater a oleosidade é um mito que pega muita gente ainda. O ato pode acabar ressecando e irritando a pele. Além disso, faz com que a pele “entenda” que precisa produzir mais sebo, causado o famoso efeito rebote. Ou seja, poderá até aumentar a quantidade de cravos

É muito válido também não tocar muito o rosto, ou cuidar para que o toque com as mãos limpas.

Controlar a alimentação

Prestar atenção aos nossos hábitos alimentares é sempre positivo, mas antes de montar uma lista de restrições, vale lembrar que o ideal é sempre procurar um dermatologista para entender melhor as particularidades da sua pele.

A Dra. Paola Pomerentzaff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), já nos explicou os efeitos de alguns alimentos. 
Alimentos que levam farinha branca (carboidrato simples) ou açúcar acarretam o aumento da insulina no sangue, que, por sua vez, estimulam a produção de hormônios andróginos, que desencadeiam uma maior produção de sebo pelas glândulas sebáceas, aumentando a chance de aparecimento de cravos. Frituras e alimentos mais gordurosos, assim como o leite e seus derivados, estimulam a maior produção de gordura pelas glândulas sebáceas. O chocolate pode ser um vilão, mas não pelo seu principal ingrediente (cacau) e sim pelo açúcar, leite, e gorduras em sua composição. Então, se você for chocólatra, opte por chocolates com concentração mais alta de cacau e consuma com moderação”.

vamos conversar?

buscar

sua sacola

  • Loading