Proteger a pele: por que devemos nos preocupar?

Radiação ultravioleta, poluição, luz visível e até baixa umidade do ar são alguns dos motivos para levar a sério essa preocupação

Ah, a importância de usar filtro solar! A gente aposta que você já ouviu mais de mil vezes sobre isso e não é para menos. E, sim, esse é o melhor (e mais famoso!) jeito de proteger sua pele. É insubstituível na rotina de skincare, podemos afirmar. Mas, e aí? Você já parou para pensar qual a real importância de proteger a pele? Do que você está se resguardando? Ou, então, do que você deveria estar se protegendo? É só do sol? Bom, as perguntas são muitas, sem dúvida.

Crédito: Pexels

Vamos lá! A sua pele protege seu corpo de várias maneiras, como por exemplo, formando uma barreira contra a invasão de bactérias ou outros riscos ambientais que podem ser perigosos para saúde. Glândulas sudoríparas e vasos sanguíneos presentes na sua bela cútis ajudam a controlar a temperatura do corpo.

Ah, também há terminações nervosas que permitem que você sinta! E quantas vezes já falamos aqui que ela pode te alertar quando alguma coisa não vai bem no seu corpo? Uma mancha, uma alergia, uma erupção cutânea, uma coloração diferente. Tudo isso pode ser um alerta para conversar com seu médico. Esses são só alguns fatores que ajudam a dimensionar a importância da nossa pele. Enfim, porque você não ia querer proteger uma “maravilhosidade” dessas? 

Do que devemos proteger?

"Da radiação ultravioleta, que é o sol; do infravermelho, que é o calor produzido por essa radiação; da poluição e também para o caso de uma baixa umidade relativa do ar. Também é preciso proteger a pele da luz visível, que é a iluminação emitida por lâmpadas e pela tela do computador ou celular", esclarece o Dr. Alberto Cordeiro, dermatologista.

E não pense que a luz visível é um problema menor do que a luz solar. Não é, não. A luz visível é emitida por lâmpadas, celulares, televisão, computadores e outras telas, por exemplo. Ela pode penetrar a pele mais profundamente e agravar problemas, como o melasma, promovendo uma pigmentação mais difícil de tratar.

Além disso, é uma das maiores responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele, aumentando a produção de radicais livres. Consequentemente, a pele fica menos viçosa e saudável, favorecendo o aparecimento de sinas e linhas de expressão. A luz azul, parte com maior energia dentro da luz visível, pode causar manchas e queimaduras, entre outros problemas, como apontam alguns artigos científicos.

Crédito: Pexels

E o que acontece se não usarmos produtos, como o filtro solar, para proteger a nossa pele? São essenciais “para não sofrermos uma queimadura do sol, não desenvolvermos um câncer de pele por conta da exposição prolongada a radiação ultravioleta, para não termos nenhum processo alérgico, já que a pele é a barreira principal contra os alergenos e também para não envelhecermos mais rapidamente”, continua o Dr. Cordeiro. 

Como fazer isso?

Bom, para a radiação ultravioleta aposto que você já sabe! É o protetor solar, inclusive, existem alguns protetores que também bloqueiam o calor do infravermelho. Já para a poluição e para a baixa umidade relativa do ar, a hidratação é uma boa pedida. Já até falamos sobre isso aqui no blog da Sallve, além de produtos que tenham função antioxidante - alô, vitaminas C e E, Coenzima Q10, Resveratrol, cafeína, entre outros! Alô Antioxidante Hidratante Sallve!

“A melhor forma de proteger a pele é utilizar um filtro solar. Ele é o produto que mais tem evidência cientifica na prevenção do envelhecimento. Alguns filtros já têm associação de hidratantes e antioxidantes. É importante conversar com seu dermatologista para avaliar o mais indicado para sua pele”, alerta ainda o Dr. Damiê Villa, dermatologista.

Crédito: Unsplash/ Hong Nguyen 

Mas e a luz visível? Alguns estudos apontam que o uso de um protetor solar com cor pode ajudar na proteção contra a luz visível. Segundo um estudo publicado por pesquisadores do Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina (USP), os raios UVA estimulam o acúmulo de um pigmento chamado lipofuscina, que mais tarde atua como um fotossensibilizador para a luz visível na epiderme. Ou seja, o UVA danifica a pele e a luz visível aumenta o dano.

A pesquisa ainda diz: "Uma barreira física, como pano ou vestuário, ou então um protetor solar colorido, é necessário para proteger a pele dos efeitos adversos da luz visível". O filtro solar com cor deve ter o mesmo matiz que o tom de pele da pessoa. Uma outra novidade é que os pesquisadores já desenvolveram também um produto que protege a pele contra os raios UVA, UVB e luz visível, utilizando nanopartículas revestidas com uma fina película de melanina. A  invenção é patenteada pela Universidade de São Paulo, com o apoio da FAPESP.

Vale lembrar! Consultar um (a) dermatologista é sempre a opção mais correta e saudável para cuidar da melhor forma possível da sua pele! ;)

Tem alguma dica, dúvida ou sugestão? Fale com a Sallve. A gente adora trocar experiências!

vamos conversar?

buscar

sua sacola

  • Loading