Uau! Frete grátis para todo Brasil 😱

Esfoliar a pele é mesmo necessário? Entenda a importância

Esse passo da sua rotina de skincare ajuda na renovação celular da pele <3

Já falamos aqui um pouco sobre a renovação da pele, lembra? Uma das formas mais eficientes de promovê-la é justamente com a esfoliação. Porém, muita gente não entende muito bem como isso tudo funciona. Ou, por que é tão importante incluir esse passo na rotina de skincare.

De forma geral, esfoliar é o processo de remoção de células mortas da superfície da pele. Se você não retira esses resíduos, a pele fica opaca, sem brilho e vitalidade. Além disso, pode resultar em manchas e poros entupidos.

Crédito: Pexels

Uma boa esfoliação pode ajudar nessa tarefa de manter a pele saudável! Segundo a Academia Americana de Dermatologia, a esfoliação deixa a pele mais brilhante e ainda melhora a eficácia dos produtos para cuidado com a pele, aumentando sua absorção. Ótimo, né?

Como fazer?

“A esfoliação deve ser feita em movimentos circulares e suaves. A recomendação é que seja feita de uma a duas vezes na semana, sem excessos. Em alguns casos, podem ser feitas até três vezes. A escolha do produto vai depender do tipo de pele do paciente, porque nem todos podem usar um esfoliante mais abrasivo”, explica a Dra. Ana Carolina Sumam, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A prática pode ser adotada por todos os tipos de pele, mas a frequência com que isso deve ser feito deve ser indicada pelo seu dermatologista. Por que? Cada tipo de pele tem suas particularidades. As mais oleosas podem pedir uma esfoliação duas vezes na semana, enquanto nas secas uma vez pode ser suficiente. Esfoliar demais não é nada bom e pode causar o temido efeito rebote na oleosidade. Portanto, atenção!

Crédito: Pexels

Esfoliação química e física

Esfoliante físico ou manual são aqueles que promovem a retirada mecânica das células mortas da pele usando o atrito físico. Pode ser uma esponja esfoliante ou um produto que contém pequenas partículas que você massageia pelo rosto e depois enxágua.

Enquanto isso, o esfoliante químico é feito com ativos que estimulam a renovação celular, como ácido, enzimas e retinóides. Esses ingredientes dissolvem a "cola" que mantém juntas as células mortas da pele, que não são removidas durante a limpeza. Você não precisa necessariamente esfregar o rosto, o produto químico faz isso por você.

Entre os ativos químicos estão, os Alfa-hidroxiácidos (AHAs), como o ácido glicólico, ácido lático, ácido málico, entre outros. Há também os Beta-hidroxiácidos (BHAs), como o ácido salicílico.

Crédito: Designed by Freepik

As enzimas (papaína, bromelina, etc) já são uma solução mais suave do que os ácidos, não danificando ou removendo o tecido da pele, apesar de penetrarem consideravelmente na pele para limpar os poros. Já os retinóides são derivados da vitamina A e ajudam na regulação da renovação celular.

Acne

Sim, as peles acneicas podem se beneficiar com a esfoliação, mas o melhor nesses casos é consultar um especialista, antes mesmo de pensar em passar algo agressivo no seu rosto. “Para esse tipo de pele é muito importante a renovação celular. Ajuda na redução da oleosidade e contribui com o tratamento”, aponta a Dra. Sumam. Nas peles com acne, é bastante comum o uso de ácido salicílico para promover a esfoliação. 

Consultar um (a) dermatologista é sempre a opção mais correta e saudável para a sua pele, combinado? ;)

Tem dúvidas, quer saber mais ou quer sugerir um tema? Fale com a Sallve. A gente adora trocar experiências!

 

vamos conversar?