Retinol: o que é e quais são os benefícios do ativo para a pele?

Quando o papo é retinol, muitas dúvidas surgem! Por isso, estamos aqui para explicar tudo sobre esse derivado da vitamina A

O retinol, sem dúvida, é um superstar dos ativos dermocosméticos. Além de estimular a produção de colágeno e promover a renovação celular, esse ativo está entre os mais prescritos dermatologicamente no tratamento de diversas doenças cutâneas.

E quando a gente fala em retinol, em geral, surgem diversos questionamentos juntos. Mas não é muito forte? É sensibilizante? Ácido retinóico e retinol é tudo a mesma coisa? Bem, aqui estamos nós para explicar direitinho o que é esse ativo e quais os benefícios comprovados para a pele.

+ Quiz da Pele: você já descobriu do que sua pele precisa?

Ah, e antes de qualquer coisa é sempre bom lembrar aquela dica de ouro: procure o seu dermatologista para entender o que pode ser melhor para sua pele, ok? 😉

retinol

O que é retinol?

Para falar de retinol, a gente precisa falar sobre a família que ele pertence: os retinóides. Eles são uma classe de derivados naturais e sintéticos da vitamina A. Fazem parte desse grupo: retinol, tretinoína, isotretinoína, palmitato de retinol, etc.

+ Retinol biomimético: quais os benefícios para pele?

Mas é tudo igual? Todos os fazem o mesmo efeito? Posso usar qualquer um? Não é bem assim. Primeiro é bom saber que alguns derivados da vitamina A são medicamentos, como a tretinoína, e devem ser prescritos por um médico.  Até porque tudo depende do seu objetivo de tratamento.

E, segundo, é bom entender o que acontece quando aplicamos retinóides na pele. Não é tão complicado, a gente jura!

O que acontece na pele?

Para fazer efeito na sua pele, os retinóides precisam estar em sua forma ativa, o conhecido ácido retinóico. Alguns membros da família, já são ácidos retinóicos, como é o caso da tretinoína e da isotretinoína. Ou seja, ao aplicar na pele, não precisam se transformar e já começam a fazer efeito.

+ Retinol biomimético age do mesmo jeito que o retinol tradicional?

Enquanto isso, nessa família há formas não ativas, como acontece com o palmitato de retinol ou o retinol em si. Formas não ativas de retinóides precisam que aconteçam algumas reações químicas na pele para que ele se transforme em ácido retinóico, a forma ativa.

Por exemplo, quando o retinol entra em contato com a pele, ele precisa de duas reações para se transformar em ácido retinóico. Primeiro, ele se transforma em retinaldeído e depois se transforma em ácido retinóico, que é quando começa a fazer efeito.

+ Rotina de skincare diurna e noturna: o que usar em cada uma

Como te dissemos, o ácido retinóico é a forma mais ativa e reativa dos retinóides. Esse ácido retinóico, por sua vez, se liga a receptores da nossa pele (conhecidos com RAR e RXR). É como se fosse a chave certa entrando na fechadura: eles se encaixam perfeitamente e conseguem agir em uma cascata de benefícios para a pele, como estimular a produção de colágeno e elastina, por exemplo.

Lembrando: o ácido retinóico é a forma mais ativa, porém também a mais reativa, podendo ser sensibilizante para algumas peles, causando irritação, vermelhidão ou descamação. Além disso, é um ingrediente que pode ser instável, o que é um desafio em algumas formulações, além de poder ser fotossensibilizante. Por isso, quando se fala em retinol, o uso recomendado é sempre à noite.

Quando usar retinol?

O retinol pode ser usado para o tratamento de diversas condições de pele, como quadros de acne, por exemplo. Além disso, ele pode ser usado para pessoas que buscam uniformizar tom e textura da pele, suavizar rugas e linhas finas, suavizar manchas e muito mais.

+ Manchas: para cada caso existe um tratamento específico

Para saber o que é mais indicado para sua pele, o ideal é sempre consultar um dermatologista. Afinal, os retinóides podem ser sensibilizantes para a pele e cada um tem sua particularidade. Além de alguns tipos, serem considerados medicamentos.

retinol

Quais os benefícios do retinol?

O retinol é um dos ativos mais estudados quando falamos em cuidados com a pele. São anos e anos de estudo e ele é daqueles ativos completos. Como diz a nossa pesquisadora sênior do P&D da Sallve, Renata Ribon de Melo, o retinol é o "faz tudo" do skincare. Aqui te contamos os principais benefícios.

+ Pele madura: qual o melhor jeito de cuidar?

  • Estimula produção de colágeno e ajuda a suavizar sinais do tempo

O retinol atua em muitas frentes, mas talvez a mais conhecida seja justamente a de ajudar na prevenção do envelhecimento da pele e a suavizar rugas e linhas finas. Talvez você esteja se perguntando: e como ele faz isso?

O retinol atua como inibidor na produção de colagenase, uma enzima que destrói o colágeno. Além disso, estimula a produção de colágeno tipo I e IV, além de elastina, que são imprescindíveis quando o assunto é firmeza da pele e aparecimento de sinais do tempo.

+ Os benefícios das fórmulas da Sallve para a pele madura

E não é só isso, não. Ele também colabora para inibir a expressão de MMP (Metaloproteinases da matriz).  Essas enzimas são responsáveis pela degradação de proteínas da matriz extracelular. Entre algumas outras funções, elas equilibram a degradação e síntese de proteínas estruturais da pele.

E o que isso significa? À medida que a nossa pele envelhece, há redução da produção de inibidores de MMPs, induzindo a uma maior degradação da matriz extracelular e a um envelhecimento natural. Além disso, fatores externos, como a radiação UV e toxinas, acabam causando um aumento da expressão de citoquinas, mediadores de reação inflamatória.

+ Pele sensível x pele sensibilizada: tem diferença?

Esses mediadores de inflamação acabam induzindo a expressão de MMPs e diminuindo a expressão de colágeno, levando a uma deterioração da matriz extracelular e causando o aparecimento de sinais do tempo, vulgo, envelhecimento da pele (Wlaschek M, 1994 e Park CH, 2004).

  • Estimula a renovação celular

Sim, o retinol ajuda a estimular a renovação celular da pele, o que contribui para uniformiza tom e textura da pele. Com o tempo, a taxa de renovação celular diminui e nossa pele perde completamente o viço. Quando há um acúmulo dessas células mortas na camada córnea, a pele fica opaca, sem brilho e sem vitalidade. Se não estimulamos essa renovação, a pele perde sua força e não se apresenta de forma saudável.

+ Esfoliação e renovação celular: tem diferença?

  • Suaviza manchas

Atua reduzindo produção de melanina, diminui a produção de alfa-MSH e também reduz regiões hiperpigmentadas. O retinol também ajuda a reduzir manchas por conta do estímulo a renovação celular.

  • Ajuda na retenção de hidratação

O retinol estimula a síntese de GAGs (glicosaminoglicanos), um carboidrato que fica entre as células e tem como principal função reter água. Ou seja, ajuda a retenção de hidratação e a deixar a pele mais preenchida e saudável.

+ Afinal, como as manchas se formam?

  • Ajuda no tratamento da acne

Segundo artigos científicos, os retinóides tópicos são seguros e eficazes para o tratamento da acne vulgar. E aqui podemos falar de vários benefícios, como:

- Reduzir o acúmulo de células mortas na pele e ajudar a manter os poros limpos;

- Bloquear várias vias inflamatórias importantes que são ativadas na acne, ajudando a diminuir o inchaço e a vermelhidão;

- Atividade reguladora de oleosidade;

- Retinóides também ajudam a reduzir lesões visíveis e inibir o desenvolvimento de microcomedões e novas lesões.

+ As principais causas das espinhas, explicadas por uma dermatologista

  • Atividade antioxidante

O ativo ajuda reduzir a produção de radicais livres. Lembrando: eles provocam, por exemplo, um aumento na degradação das fibras de colágeno, o que causa o aparecimento de sinais, linhas de expressão e flacidez. Para se ter uma ideia, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os radicais livres são uns dos maiores responsáveis pelo envelhecimento da pele.

Todo mundo pode usar?

O uso de retinol é seguro, mas como já te dissemos por aqui, ele pode acabar sensibilizando a pele em alguns casos, causando descamação e vermelhidão. Pessoas que tem pele sensível ou condições de pele que deixam a pele mais sensível, como a rosácea, é sempre bom conversar com o seu dermatologista antes, ok?

+ Pele sensível: você sabe qual é o seu tipo?

Cuidados ao inserir retinol na rotina

  • Use pouco produto e comece com dias alternados;
  • Utilize um hidratante facial antes de aplicar o produto. "Normalmente, preferimos utilizar ácidos/ ativos que são mais sensibilizantes depois de um hidratante e, de preferência, algum que tenha uma propriedade calmante. Dessa forma, você diminui o potencial irritativo, deixa a pele hidratada e evita descamação, que pode acontecer com esses ativos", já nos disse a Dra. Monalisa Nunes, dermatologista consultora da Sallve;
  • Não esqueça jamais do protetor solar. Passar protetor solar é ainda mais importante quando fazemos uso de retinóides;
  • Consulte um dermatologista!

Artigos e referências usadas para o texto

Cosmeceuticals: The Evidence Behind the Retinoids

Do retinoids really reduce wrinkles?

A comparative study of the effects of retinol and retinoic acid on histological, molecular, and clinical properties of human skin

Improvement of Naturally Aged Skin With Vitamin A (Retinol)

Retinoids: active molecules influencing skin structure formation in cosmetic and dermatological treatments

A Clinical Anti-Ageing Comparative Study of 0.3 and 0.5% Retinol Serums: A Clinically Controlled Trial

Retinoids in the treatment of skin aging: an overview of clinical efficacy and safety

Retinol - PC

Depigmenting mechanisms of all-trans retinoic acid and retinol on B16 melanoma cells

Atividade antioxidante do beta-caroteno e da vitamina A. Estudo comparativo com antioxidante sintético

Topical Retinoids in Acne Vulgaris: A Systematic Review

Why Topical Retinoids Are Mainstay of Therapy for Acne

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

subtotal

Loading
Login efetuado com sucesso!