Cabelo oleoso e pele oleosa: existe alguma relação?

Conversamos com uma dermatologista para tirar algumas dúvidas

Será que todo mundo que tem cabelo oleoso tem pele com excesso de sebo também? Bem, os dois não necessariamente andam juntos, mas pode haver realmente uma relação entre cabelo oleoso e pele oleosa, e até ao surgimento de acne, viu?

Explicamos! Quando há um aumento da produção de sebo pelas glândulas sebáceas, isso atinge e afeta principalmente a região do couro cabeludo e da face.

Cabelo oleoso e pele Oleosa: tem relação?

Cabelo oleoso e pele oleosa juntos: as causas

"Essa produção excessiva de sebo geralmente acarreta as espinhas no rosto e ainda pode se concentrar no couro cabeludo. Isso porque cada folículo capilar tem uma glândula sebácea que o nutre. A dermatite seborreica, outro exemplo, de um modo geral, apresenta sintomas de oleosidade em ambas as regiões", conta a Dra. Joana D’Arc Diniz, tricologista.

Cabelo oleoso e alterações hormonais

Outros fatores que podem estimular e desencadear o combo cabelo oleoso e pele oleosa são o excesso do hormônio masculino di-hidrotestosterona (DHT) ou até a síndrome dos ovários policísticos.

"Se houver alterações hormonais é um forte indício da causa do problema, já que os hormônios têm influência sobre as glândulas sebáceas, o que vai aumentar a produção de sebo e, consequentemente tornar a pele e o cabelo mais oleosos e provocar o surgimento de espinhas", emenda ainda a especialista.

A oleosidade natural e equilibrada do cabelo e da pele é super benéfica e funciona como uma camada protetora, respectivamente, das fibras capilares e da camada lipídica do tecido cutâneo.

"No entanto, seu excesso leva a diversos problemas capilares, entre eles, opacidade, queda, diminuição da resistência dos fios, afinamento, redução do volume e algumas patologias. É comum apresentar um aspecto engordurado. Já na pele os maiores efeitos são acne, cravos e comedões", aponta.

Cabelo oleoso e pele Oleosa: tem relação?

Quem tem pele oleosa sempre vai ter cabelo oleoso?

Não, as pessoas podem ter cabelo oleoso e pele oleosa de forma isolada também: não é uma regra que quem tem pele oleosa vai ter um cabelo também oleoso. "Muitos possuem oleosidade concentrada somente em uma região. Porém, existe muitas vezes uma significativa predisposição", explica a Dra. Joana D’Arc Diniz.

Glândulas sebáceas muito ativadas no organismo podem desencadear a oleosidade em várias áreas, pois produzem um grau elevado de sebo, que pode ser liberado tanto na pele quanto nos cabelos. “Salientando: as causas da oleosidade em uma ou nas duas áreas podem se manifestar de formas distintas em cada pessoa. Então, é uma propensão que irá variar de acordo com o agente causador”, completa.

O que causa oleosidade nos cabelos?

As causas são muitas! Em geral, herança e predisposição genética, distúrbios hormonais e glandulares, dermatite seborreica, caspa, androgenia, medicação, estresse, calor, umidade, mudanças bruscas de temperatura, radiação solar, uso incorreto de produtos, má alimentação e higienização, entre outros.

O curioso é que as mesmas causas podem aumentar oleosidade da pele. “Vale lembrar que os cabelos são anexos da pele. O que difere é que a pele, por ser o maior órgão do corpo humano, tem distribuição de glândulas sebáceas em quantidades diferentes pelo corpo, havendo maior quantidade e predomínio em áreas como a face e tronco (colo e costas)”, diz a dermatologista.

Cabelo oleoso e pele Oleosa: tem relação?

Cabelo oleoso pode gerar espinhas?

Sim! “Os fios oleosos em contato constante com a pele da face, ombros, colo e costas é um aspecto que favorece o aparecimento de espinhas”, responde a Dra. Joana.

Acne no couro cabeludo: existe mesmo?

Sim! O couro cabeludo é basicamente uma pele revestida de pelos e, por isso, elas são até frequentes em quem tem propensão a acne e que apresentam excesso de oleosidade, acúmulo de sebo ou transpiram muito na região. 

“As espinhas ainda podem estar associadas a outras patologias, como dermatite seborreica. No entanto, estas espinhas são observadas normalmente nas pessoas que já apresentam acne, por exemplo, na face ou nas costas. Esse processo, em geral, é motivado ainda devido a outros fatores, que contribuem para favorecer o seu aparecimento, como o uso de condicionadores, leave-in ou finalizadores no couro cabeludo, alterações hormonais ou nas glândulas sebáceas, má higienização e excesso de resíduos de produtos que não são apropriadamente retirados nas lavagens”, aponta a especialista.

Segundo a Dra., a acne capilar costuma abranger toda a extensão do couro cabeludo, mas pode aparecer só em algumas partes também, dependendo do caso. A  formação da acne na região acontece porque os folículos capilares que constituem o cabelo foram obstruídos por óleo e células mortas.  Aqui é importante dizer que são nos folículos que nascem novos fios e, por isso, quando estão obstruídos eles costumam ficar inflamados. E o que isso causa? Acne!

Apesar de não ser grave, se não cuidada, pode provocar e acentuar a queda de cabelo, coceira, inflamação e até mesmo o aparecimento de feridas entre outros problemas.

Cabelo oleoso e pele oleosa: tem relação?

Qual melhor forma de cuidar de um cabelo oleoso?

A gente já fez diversos conteúdos aqui no blog sobre como cuidar da pele oleosa, mas e o cabelo oleoso? O quer fazer para que ele também não traga problemas para a pele?

Dependendo do caso, pode ser recomendada a lavagem diária com o uso de xampus específicos para esse tipo de cabelo para manter a saúde dos cabelos e do couro cabeludo. A especialista ainda alerta que os xampus para cabelos oleosos devem manter um equilíbrio entre os tensoativos.

“Portanto, um xampu altamente detergente não é aconselhável, porque aumenta a atividade da glândula sebácea. Dê preferência aqueles à base de enxofre, Hamamelis, aminoácidos, ortiga, cisteína, ácidos cítricos e zinco que auxiliam no equilíbrio da oleosidade. Os extratos vegetais, os agentes antioxidantes e antimicrobianos também costumam fazer parte do roteiro dos cabelos oleosos”, explica.

Também é preciso ficar atento ao uso de cremes, condicionadores e leave-ins. O uso inadequado ou exagerado de qualquer produto estimula a produção de óleo e sebo, obstrui o couro cabeludo e causa danos aos fios. Ou seja, acentua e piora o quadro.

“Além disso, é válido citar que alguns hábitos podem contribuir para aumentar a produção de óleo. Dentre os quais, o uso excessivo de bonés e afins, que abafam a região e facilitam a proliferação de bactérias, e dormir com o cabelo preso e molhado”, completa a Dra. Joana D’arc Diniz.

Portanto, aí vão mais algumas dicas para cuidar do cabelo oleoso:

  • Lavar os cabelos com água fria;
  • Lavar os cabelos diariamente sem excesso de xampu;
  • Use xampu com ativos para controle de oleosidade no couro cabeludo;
  • Não massageie demasiadamente o couro cabeludo;
  • Não passe o condicionador próximo ao couro cabeludo, use-os somente nos fios;
  • Para as máscaras de hidratação, tome cuidado para não encostar no couro cabeludo;
  • Evite manusear demais os fios;
  • Procure um profissional tricologista para definir o melhor para o tratamento dos seus cabelos;
  • Não use secadores com temperaturas elevadas;
  • Evite exposição solar direto no couro cabeludo. Utilize filtro solar capilar.

vamos conversar?

mais do blog

buscar

sua sacola

  • Loading